Sugestão do Mês (setembro) – Conversations With Friends
| 01 Set, 2022

Setembro traz quase sempre consigo sentimentos de nostalgia e melancolia causados pelo fim do verão e tudo o que este representa (férias, sol, calor, passeios) e temos, portanto, a sugestão perfeita para acompanhar este estado de espírito e o regresso das temperaturas amenas, Conversations with Friends.

Para ser vista em dias de pouca energia, embrulhados numa manta no sofá, Conversations With Friends é um drama romântico de 12 episódios baseado no livro, com o mesmo nome, escrito por Sally Rooney, autora do sucesso internacional Normal People. As duas séries partilham parte da equipa criativa, incluindo o realizador Lenny Abrahamson e a guionista Alice Birch. Conversations With Friends também é uma produção irlandesa do estúdio Element Pictures para a BBC Three e a Hulu, estando disponível em Portugal através da HBO Max.

Alison Oliver (Frances), Sasha Lane (Bobbi), Joe Alwyn (Nick) e Jemima Kirke (Melissa) protagonizam o enredo intimista, introspetivo e incrivelmente humano desta série irlandesa. Ao longo da narrativa que abrange o fim do verão e os meses frios do final do ano, as quatro personagens envolvem-se numa rede romântica complicada e várias vezes questionável, ainda que nunca de resposta simples.

As complexidades das emoções humanas

Em Conversations With Friends, Sally Rooney privilegia emoções complexas que se debatem numa luta entre o correto e o prazeroso, criando personagens que são quase tão difíceis de gostar como são difíceis de rejeitar.

A protagonista, Frances, recebe a porção principal do screen time enquanto navega as relações amorosas, platónicas e familiares da sua vida. Enquanto estudante universitária, a sua história funciona também como um coming of age em que Frances, através dos seus erros e deslizes, ganha independência de espírito e constrói a sua personalidade. É a típica protagonista moldável e, muitas vezes, apática, que vai ganhando forma definitiva ao longo dos episódios. Apesar de imperfeita e frustrante, vê-la crescer acaba por criar no espectador empatia e uma vontade de a ver triunfar.

O elenco de apoio é igualmente ambíguo. Nos primeiros episódios, Nick aparenta ser o interesse amoroso galã, um inglês sofisticado e moderno, com uma aparência cuidada e um amor pela arte, mas ao mesmo tempo que se descobre o lado submisso da sua personalidade, são revelados também detalhes sobre o seu passado que conferem à personagem uma profundidade que faz pensar. Já com Bobbi, o estereótipo da jovem boémia reacionária também é rapidamente subvertido através da sua complicada relação com Frances e de momentos em que o seu exterior desafetado cai e revela alguém bem mais vulnerável.

Novas visões de romance

Conversations With Friends brinca um pouco com os estereótipos e clichés das novelas românticas ao abordar temas como a infidelidade, a paixão arrebatadora ou o amor de infância, mas consegue desconstruí-los de forma subtil e bem integrada. Ao fazê-lo, apresenta novas perspetivas sobre o que é ou não correto e permitido dentro do amor romântico.

Uma das principais ideias exploradas na série é o contraste entre a monogamia e a poligamia – em que pontos estas duas filosofias se encontram, se há áreas cinzentas de dúvida e se é possível uma pessoa caminhar nessa linha que as separa.

A abordagem à sexualidade – e por associação à orientação sexual – das personagens é de igual forma uma lufada de ar fresco pela sua nuance. Bobbi, Frances e Melissa são todas mulheres que se sentem atraídas por outras mulheres e que falam sobre esse facto abertamente, sem que nunca as questões queer da narrativa se tornem de qualquer forma diferentes das restantes dinâmicas românticas. Por a sua atração por pessoas do mesmo sexo ser apenas mais uma das suas características, entre muitas outras, e não o centro da sua existência, estas personagens conferem uma representação da experiência LGBTQ+ mais terra a terra e real.

Ainda que com os seus defeitos e com um ritmo que pode desafiar a capacidade de atenção da geração TikTok, o que torna Conversations With Friends uma série que merece o tempo investido por quem a vê é, por um lado, as questões que levanta sobre as relações românticas e, por outro, a acessibilidade das personagens, assente nas suas imperfeições, que são, no final de contas, recebidas pela história com uma empatia reconfortante. Um abraço acolhedor para os meses cinzentos que se avizinham.

Publicidade

Populares

Conversations With Friends

calendário estreias

new amsterdam 5 poster

Recomendamos