The Sex Lives of College Girls – Review da 2.ª Temporada
| 19 Dez, 2022
8.3

The Sex Lives of College Girls regressou à HBO Max com a sua 2.ª temporada e, se leste a nossa sugestão do mês, sabes que somos fãs desta série e a nova temporada não desiludiu.

Claro que é difícil seguir as pegadas da 1.ª temporada e, obviamente, a fórmula da série já não é novidade, mas diria que conseguiu manter o nível e que, talvez, esta temporada até tenha sido mais divertida do que a outra. Deve-se muito a já conhecermos bem as personagens, sabermos os seus comportamentos e conseguirmos antecipar algumas situações. No entanto, parte do que me fazia adorar esta série era o seu lado mais emotivo, que penso que desapareceu um pouco. Ainda assim, continua a abordar questões super importantes como o financiamento de espaços inclusivos, o pagamento de salários dignos a estudantes e a questão terrível do custo da educação nos Estados Unidos de forma bastante digna e sem fazer cair no ridículo. Ainda não acredito que vender óvulos é algo que se faz para pagar as propinas da universidade!

Embora tenhamos conhecido algumas personagens novas, foi em torno das habituais que a temporada girou. Leighton conseguiu contar aos seus pais sobre a sua namorada e, depois de se apaixonar por Tatum, quase uma doppelganger sua, percebeu o quanto mudou desde que chegou à universidade. Foi mesmo positivo ver o quanto ela cresceu e como agora se sente confortável para falar da sua vida amorosa com as amigas. Depois de na temporada passada o seu relacionamento com Alicia não ter acabado bem, as duas estão juntas novamente e Leighton abandonou as Kappa.

Por falar em Kappa, Whitney também entrou para as Kappa, o que não combina de todo com ela, e começou a ter aulas para se formar em saúde. Durante a temporada vimos a personagem dizer à sua mãe que não quer ajuda a encontrar um estágio e que deseja fazer o seu próprio caminho, o que é bastante honrado da parte dela. Onde Whitney sofreu mais foi no amor, quando a sua relação com Canaan é oficializada e terminada em poucos episódios, mas é claro que depois ela se envolve com o parceiro de laboratório e o abandona por completo sem considerar os seus sentimentos. Confesso que me custa não ver muito o lado dos rapazes que são magoados pelas protagonistas. Sei que a série se dedica a elas, mas não são perfeitas…

Por falar em rapazes magoados… Como assim, depois de Kimberly terminar com Jackson do nada, não o vemos mais? Admito que eles se tornaram dos meus casais favoritos e concordo totalmente que Kimberly tem um “tipo”. É refrescante ver uma personagem como ela ser um íman de personagens como Jackson e Nico, mas Jackson merecia mais consideração. Ele sempre foi respeitador e simpático para Kimberly desde que a conheceu. É triste. Numa outra nota, acho que Kimberly fez bem em ser honesta com ele, claro. Se o tivesse sido com Whitney evitaria o drama que está para vir. Adoro que se tenha apaixonado por Canaan, e vice-versa, e adoro o quão ponderada ela tentou ser quanto ao assunto, mas no fim não foi uma boa amiga.

Na onda das más amigas temos Bela, que realmente tem uma necessidade de aprovação acima do normal. Esta temporada foi horrível para ela, desde todos os dramas com Eric, a envolver-se com o comediante, às suas inseguranças com Prya, a passar por cima das Foxy e a humilhar a rapariga que queria ser comediante. Até fiquei surpreendida que ela não tenha provocado nenhum drama entre as colegas de quarto. Se é verdade que ela foi detestável, no final fiquei com esperança que tivesse ido a uma psicóloga. Confesso que fiquei bastante triste ao perceber que ela quer mudar de universidade. Para já, não acho que vá acontecer, e, mesmo que aconteça, não resolverá os problemas que tem. Espero que as amigas que ainda tem a ajudem a navegar este período da sua vida.

O último episódio da temporada criou desde logo a questão de que na próxima temporada as nossas protagonistas não irão viver juntas. Se, no início, Leighton e Bela iam sair para morar com outras pessoas, foi Whitney que tomou a decisão de abandonar as amigas depois da traição de Kimberly e Bela decidiu abandonar Essex. Será bem estranho se esta nova dinâmica for para a frente, mas traz algo novo, isso é certo. A 3.ª temporada já está confirmada e ainda bem, pois ficou muita coisa em aberto no final desta. Que venha mais uma!

Melhor episódio:

Episódio 5 – Taking Shots Nenhum episódio se destacou, pois foram todos bons em geral, mas neste vemos Leighton tratar de Kimberly e dar-lhe as suas injeções e Jackson a ser um bom amigo e deixar Kimberly dormir no seu quarto quando ficou trancada fora do dela. É também neste episódio que Bela e Eric concordaram em ter uma relação séria, o que foi bastante positivo, ainda que pouco tenha durado.

Personagem de destaque:

Leighton (Reneé Rapp) – Não que não goste de personagens que erram, mas Leighton realmente evoluiu bastante nesta temporada e tornou-se uma melhor pessoa. Ou seja, a faculdade está a fazê-la crescer e aprender, não regredir. Está cada vez mais segura de si mesma, das causas que apoia e das companhias que quer manter. Para além de que foi um apoio imprescindível para Kimberly.

The Sex Lives of College Girls - Review da 2.ª Temporada
Temporada: 2
Nº Episódios: 10
8.3
9
Interpretação
8
Argumento
8
Realização
8
Banda Sonora

Publicidade

Populares

calendário estreias

freeridge poster

Recomendamos