You – Review da 3.ª Temporada
| 28 Out, 2021

Publicidade

[Contém spoilers]

Temporada: 3

Número de Episódios: 10

Ao fim de mais de um ano à espera, a 3.ª temporada de You chegou finalmente aos nossos ecrãs. Twists, discussões, mortes “acidentais” e um humor negro impecável continuam a ter lugar nesta narrativa que nos conquistou pela primeira vez com a sua originalidade no último trimestre de 2018.

A temporada anterior da série terminou com Joe (Penn Badgley) e Love (Victoria Pedretti) a mudarem-se para uma nova casa em Madre Linda, um bairro familiar nos subúrbios da Califórnia, depois de descobrirem que tinham um bebé a caminho (e depois, também, de Joe ter tentando, em vão, matar Love). Recordo-me que foi dos acontecimentos que mais me chocou: como é que dois psicopatas irão educar uma criança? Contudo, o facto é que nesta nova temporada o casal consegue aguentar um ano e picos sem dar completamente em louco e queimar o bebé numa fogueira ou dá-lo aos lobos para o comerem.

Tal como não poderia deixar de ser, a 3.ª temporada de You traz-nos ainda mais loucura, obsessão e sangue. Como sempre, vulnerável a picos de loucura, Joe, no momento em que se muda para a nova casa, ganha uma obsessão compulsiva por Natalie (Michaela McManus), uma mulher casada e, curiosamente, sua vizinha do lado. Love, também dada a alguns distúrbios e a uma instabilidade emocional acentuada pela chegada de Henry, o bebé, apercebe-se do sucedido, e, tal como não poderia deixar de ser, age em prol do seu próprio bem estar, ao assassinar Natalie com um machado, tornando-se, oficialmente, numa axe murderer. Tudo isto vai despoletar uma guerra silenciosa entre Joe e Love, que acabam por encontrar diversas falhas no seu casamento. No entanto, simultaneamente, apercebem-se de que o que mantém a sua relação estável não são gestos, palavras ou momentos bons, mas sim violência. Creio que para eles foi uma descoberta inédita. Já para nós, que conhecemos tão bem a loucura de ambos, não nos parece novidade.

Após a morte de Natalie, o casal trabalha em conjunto de modo a conseguir criar uma narrativa credível para o seu desaparecimento. Paralelamente, há várias relações que se começam a formar: Love torna-se amiga de Sherry (Shalita Grant), uma influencer local que se preocupa mais com a aparência e bem estar físico do que com a sua própria saúde mental, e cria uma relação especial (e extraconjugal) com Theo (Dylan Arnold), enteado da falecida Natalie e filho de Matthew (Scott Speedman). Joe começa a trabalhar na biblioteca de Madre Linda e conhece duas pessoas igualmente importantes para a narrativa: Marienne (Tati Gabrielle) e Dante (Ben Mehl). Além disto, é também obrigado a tornar-se amigo de Cary (Travis Van Winkle), marido de Sherry. Estas relações vão ser fundamentais para o desenlace da temporada.

Marienne, como já mencionado antes, é fundamental para o desenvolvimento destes dez episódios, visto que será a segunda (e última) mulher por quem Joe terá uma obsessão durante a sua estadia em Madre Linda, admitindo, por mais que uma vez, que é o amor da sua vida, a pessoa por quem sempre procurou. Consequentemente, apercebe-se de que sofre de (mais) um distúrbio perturbador, para muitos conhecido como mommy issues. Contudo, parece não se importar muito. Marienne torna-se, em conjunto com Henry, a sua prioridade, e tudo aquilo que faz desde o momento em que se “apaixona” por ela é com o objetivo de a manter segura e, preferencialmente, longe de Love.

Entre crises de sarampo, flashbacks ao passado de Joe, alucinações, fantasias sexuais, diversas mortes e ocorrências pouco comuns em Madre Linda, You oferece-nos, mais uma vez, uma temporada inesquecível. Contudo, há que ser honesta, e a verdade é que à medida que as temporadas vão avançando, menos real a história nos soa. O que é que se seguirá na vida deste casal, o que será que acontece a Henry, a Marienne, a Sherry e a Theo? Apesar de, para alguns, o desfecho ser claro, há ainda várias perguntas que ficam por responder no décimo e último episódio desta temporada. No entanto, simultaneamente, parece-me difícil imaginar mais uma temporada, mais uma narrativa, mais uma obsessão. Será que vamos ter paciência para mais do mesmo, para mais sangue e mais loucura?

Ainda assim, um dos pontos a ressalvar no que toca à storyline da 3.ª temporada é o incentivo à vacinação, as consequências dos atos daqueles conhecidos como anti-vaxx (pessoas contra as vacinas e a vacinação de crianças), e a importância de sermos, efetivamente, todos vacinados, não só para o nosso bem, mas também para o dos outros. Apesar de não ter sido, de todo, a minha temporada preferida, e ter sido a mais fraca das três, há pontos que a tornam interessante, útil e informativa, e este foi um deles. Teremos de esperar para ver o que nos reserva a 4.ª temporada.

Melhor Episódio: 

Episódio 8 – Swing and a Miss – Logicamente, não há forma de justificar ou explicar o quão bem estruturado este episódio está: desde a ligação entre as personagens, à forma como determinados temas relacionados com a sexualidade e experiências sexuais são abordados. Tudo isso faz com que este episódio seja, por um lado, um episódio extremamente constrangedor e desconfortável de ser ver, mas, por outro, um episódio que deu espaço aos atores para sair da sua zona de conforto e mostrar diferentes facetas das suas personagens. Love, Sherry, Joe e Cary fazem deste episódio algo inédito, começando de forma muito soft, como uma nova experiência, única e cativante, um jantar e diversão entre dois casais amigos, e terminando em pura loucura, gritos, sangue e, como não podia deixar de ser, “jaulas” de vidro.

Personagem de Destaque:

Love Quinn (Victoria Pedretti) – Esta é uma das atrizes mais promissoras desta geração, já tendo participado em séries como The Haunting of Hill House e The Haunting of Bly Manor, protagonizando duas personagens complexas e totalmente diferentes. Contudo, You é, sem dúvida, a série em que mais se destaca, e esta temporada comprova esta teoria. Nestes dez episódios não só nos encontramos muito mais próximos de Love, na medida em que seguimos a sua história quase tão de perto como a de Joe, como vemos diversas facetas da jovem: a mãe, a mulher, a amiga, a chef de cozinha, a amante, a traidora, a curiosa, e a assassina. A terceira temporada de You é uma dádiva, porque nos dá, oferece e mostra Love – tudo o que tem de bom e tudo o que tem de mau (que, claro está, é consideravelmente mais significativo).

Inês Ribeiro

Publicidade

Populares

calendário estreias posters maio 2024

the big cigar

Recomendamos