Classificação

6.5
Interpretação
5.5
Argumento
5.5
Realização

[Não contém spoilers]

Antes de me ter viciado completamente em séries, fui uma grande fã de wrestling. Era uma daquelas pessoas que via tudo o que passava na SIC Radical e que ficava chateada quando os meus lutadores preferidos perdiam. Não apanhei muito da época de ouro do wrestling porque nessa altura ainda era pequena, mas o meu irmão mais velho deixava-me neutralizá-lo em combates encenados. Mas porque é que estou para aqui com isso, perguntas tu? Porque Big Show, um famoso lutador de wrestling, é o protagonista de uma comédia familiar da Netflix, intitulada The Big Show Show, e lembrei-me de ver o episódio piloto. Coisas de quando se tem demasiado tempo livre!

A série já estreou há mais de um ano e foi cancelada ao fim de uma temporada, o que não é muito surpreendente. Este episódio piloto traz-nos uma comédia igual ou muito parecida com tantas outras que já se viram por aí. A única particularidade é mesmo Big Show, um homem com mais de 2,10 metros de altura, facto que obriga a mulher a subir a uma cadeira para o beijar. A alternativa era ele ficar com uma dor de costas descomunal de tanto se baixar! A figura imponente do personagem principal é usada como fonte de piada em diversos momentos e seria um desperdício não o fazer, mas a melhor parte é a filha mais nova dele, uma chica esperta muito engraçada. Neste tipo de séries, os miúdos são sempre o melhor, mas não há aqui nada de diferenciador.

Esta é uma série perfeitamente adequada para miúdos que já sejam capazes de ler as legendas, mas não vale muito a pena para pessoas mais velhas, a não ser para ver em família com os mais novos. O elenco não é nada de especial e ninguém merece destaque pela sua interpretação, mas também nenhum dos elementos se revelou aquém dos demais, o que mostra equilíbrio numa série que, apesar de estar longe de ser brilhante, original ou muito engraçada, também não se envergonha. Inclusive, a Netflix já fez muito pior (olá, The Crew)! É uma série que entretém, que me fez rir num ou noutro momento e sorrir noutros tantos, com um argumento aceitável. No entanto, achei também que o episódio só beneficiaria se tivesse menos uns 5 minutos, que se enquadrariam na habitual duração das séries de comédia: 20/22 minutos. A história não tinha tanto sumo quanto isso e o episódio já estava a parecer um bocadinho maior do que o necessário. Já vi muito pior, mas também já vi claramente melhor!

Diana Sampaio