[Pode conter spoilers]

Hoje é dia de Star Wars (May the 4th) e nada melhor para celebrar esta data do que a estreia da nova série animada do Universo. Estamos a falar de The Bad Batch (O Lote Estragado), que estreou hoje no Disney+ e arrancou com o episódio de 70 minutos, Aftermath.

Para quem seguiu as sete temporadas de Clone Wars deve então estar familiarizado com este tema da nova série do Universo criado por George Lucas, mas para quem não tem tanto conhecimento deixo aqui um pequeno resumo deste esquadrão. Os bad batch, tal como o nome indica, são uma má colheita de clones. Como sabes, se és fã de Star Wars, no episódio II soubemos que o Jedi Syfo Dias mandou criar um exército de clones, em Kamino, baseados na aparência do caçador de recompensas Jango Fett. Os clones serviram a república durante os três anos da guerra dos clones, tal como pode ser visto na série Clone Wars. No entanto, nem todos os clones nasceram perfeitos. Alguns nasceram com problemas genéticos ou deformações físicas, como é o caso do clone 99, por exemplo. Os elementos deste esquadrão, chamado Clone Force 99, em homenagem ao clone 99, são precisamente clones que nasceram danificados e por isso são vistos como sendo diferentes pelos outros. Ainda assim, as deformações dão capacidades a estes clones como super-força, pontaria eximia ou até um sentido de perceção acima da média. Foi na última temporada de Clone Wars que ficamos a conhecer este esquadrão, que basicamente está encarregado de fazer os trabalho complicados e mais perigosos.

Neste primeiro episódio começamos com um dos momentos mais impactante do episódio III da trilogia, prequels de Star Wars, quando o agora auto-proclamado Imperador Palpatine lança a ordem 66. Esta ordem basicamente ativa um chip na cabeça dos clones que lhes indica que os Jedi passaram a ser inimigos da República, agora Império, e que devem ser mortos. No entanto, como estes clones estão danificados, por natureza são imunes à ordem do Imperador e começam inclusive a questionar o que se está a passar. Este é logo o primeiro ponto que me fez adorar o episódio. Conseguimos pela primeira vez ver um pouco mais deste início de transformação da República no Império. É engraçado perceber que neste início a mudança estava a ser aclamada e inclusive é bom perceber a perspetiva destes clones, sendo que uns não questionam, outros sentem que o que estão a fazer é errado. Este lado mais humano dos clones é muito interessante de ser explorado. Temos ainda uma nova personagem, Omega, que é uma criança clone que se junta ao esquadrão e promete conquistar os fãs.

Outro aspeto que acho muito bom de ser explorado é, como já disse em cima, a criação do Império. A presença do general Tarkin é um ponto grande a favor deste conceito. Temos uma das grandes caras do Império a regressar e quem sabe não teremos episódios que nos contem mais sobre ele e que mostrem este início da era da escuridão na galáxia. Só neste primeiro episódio já vimos o general a tentar mudar os clones, inclusive dando-lhes munições de fogo para que estes sejam mais perigosos, tal como vemos na trilogia original durante os anos de ouro do Império. Fica também a curiosidade se vamos ver Darth Vader, Obi-Wan ou a própria Ashoka de volta, mas uma coisa é certa, teremos o clone Rex a regressar para alguns episódios!

Este primeiro episódio deixou água na boca. Sabemos bem que o Universo de Star Wars é gigantesco, mas confesso que este começo do Império, a própria ascensão de Darth Vader, o início dos rebeldes e até o general Tarkin são das minhas fases favoritas da história Skywalker. É bom finalmente ter uma série que explore o inicio destes anos negros para a galáxia. Estou muito curioso com o que está para vir, inclusive com as possíveis conexões que poderemos ver entre os filmes e as outras séries do Disney+, já que existem personagens das séries live-action de The Mandalorian e de Obi-Wan Kenobi que estarão também em The Bad Batch. Acho esta espécie de crossover muito interessante e sem dúvida que é uma excelente altura para ser fã de Star Wars e continuar a explorar este magnifico Universo.

Espero que gostes tanto como eu! “May the force be with you“!

Carlos Real