Classificação

7.3
Interpretação
7.3
Argumento
7.5
Realização
8
Banda Sonora

[Contém spoilers.]

Grey’s Anatomy regressa esta semana com Sorry Doesn’t Always Make It Right, o mais recente episódio da sua 17.ª temporada.

Neste novo episódio, os médicos de Grey Sloan estão presos no meio de uma luta entre um casal de recém-casados que chega ao hospital após um acidente de viação. Entretanto, a generosidade de Jackson para com pacientes que testam positivo à COVID-19 vai demasiado longe, e Hayes convence Maggie a realizar uma arriscada cirurgia cardíaca a uma criança.

No final de Breathe, Richard e Owen tomam a decisão de retirar Meredith do ventilador que a tem vindo a ajudar a respirar desde Helplessly Hoping. Já neste episódio, a nossa protagonista mostra-se capaz de respirar sozinha sem o auxílio do aparelho, apesar de se encontrar demasiado fraca para permanecer acordada. Felizmente, Meredith consegue ficar consciente durante tempo suficiente para trocar umas palavras com Webber, agradecendo ao seu mentor por tudo o que tem feito por ela e informando-o sobre a situação de Jo (porque, sabemos agora, Meredith tem estado a ouvir tudo aquilo que as restantes personagens lhe têm dito durante o seu coma). A interação é breve mas calorosa, ainda que me pareça algo agourenta. O agradecimento a Richard e o facto de Meredith ajudar a resolver o dilema de Jo deixam-me com a sensação de que a personagem está a arrumar a casa antes de partir de vez. Ainda que não acredite que este seja o caso, questiono-me se Meredith estará no fim das suas sete vidas – pelo aspeto da promo do próximo episódio, talvez.

De qualquer forma, Jo explica a Meredith que pretende trocar de especialidades uma vez que precisa de alguma felicidade na sua vida, um sentimento com o qual certamente nos podemos identificar. Uma vez que não encontra essa felicidade na área de cirurgia geral, onde as desgraças são algo recorrente, procura-a agora em ginecologia e obstetrícia. Nas palavras de Jo, a obstetrícia em particular é uma área na qual as pessoas geralmente estão felizes em ver o médico. Desde que Alex partiu, a personagem precisa de um lugar feliz na sua vida e tem esperanças que o seu local de trabalho possa ser esse mesmo lugar. É uma storyline que se tem vindo a desenvolver a passo (por vezes demasiado) lento ao longo desta temporada, mas que, na minha opinião, tem algo de muito humano. Durante muito tempo, Jo esteve dividida entre escolher um caminho que lhe trará felicidade ou permanecer em cirurgia geral de modo a não desiludir os seus mentores, pelo que consigo apreciar o empurrão de Meredith ao mencionar este grande dilema a Richard e encorajar assim a personagem a seguir os seus sonhos.

Entretanto, os pais de Link surpreendem o personagem e Amelia com uma visita e levam as crianças a passear por um dia, proporcionando ao casal um merecido momento de descanso. Mas, na verdade, esta pausa nas suas obrigações diárias não traz qualquer tipo de sossego a qualquer um dos personagens. Acontece que a mãe de Lincoln faz uns comentários sobre como o seu filho já deveria ter pedido Amelia em casamento, o que leva a toda uma conversa emotiva entre Shepherd e Link. Não vou relatar aqui a discussão verbatim, é para isso que serve o episódio, mas Lincoln vive traumatizado pela atribulada relação dos seus pais e Amelia, bem… Amelia admite que a pandemia tem dificultado o seu percurso de sobriedade, e que não consegue parar de pensar em drogar-se. Mas, apesar de ambas as personagens não se sentirem prontas para o compromisso que é um casamento, isto não as impede de se apoiarem mutuamente. O amor entre os dois é enternecedor, mas aquilo de que realmente gostei nas suas cenas é a honestidade e a abertura com que falam. Infelizmente, ainda é raro ver relações saudáveis representadas na televisão, pelo que momentos como aqueles partilhados entre Amelia e Link em Sorry Doesn’t Always Make It Right são sempre bem-vindos.

De volta ao hospital, Bailey e Owen lidam com o caso dos recém-casados que sofreram um acidente de viação em Station 19. A discussão entre estes pacientes parte do facto de Karissa, a mulher, ter pedido para ser salva primeiro, uma vez que ninguém quer saber de Shayne, o seu marido, a não ser ela. Yikes. Enquanto Owen acredita que Shayne teve sorte em descobrir este lado de Karissa antes de terem filhos ou partilharem uma casa, Bailey tenta remendar a situação ao falar com o seu paciente sobre os altos e baixos das relações. No fim, a médica não tem muita sorte, uma vez que Shayne acaba por pedir o anulamento da sua união com Karissa. Tudo isto acontece para que os conselhos de Bailey sejam interiorizados por Owen, que acaba por visitar Teddy para tentar remendar a sua amizade depois de tudo o que se passou. Aprecio o sentimento, mas espero que se fiquem pela amizade uma vez que já não tenho muita paciência para drama entre estes os dois.

Por fim, Jackson tenta ajudar os pacientes que testam positivo à COVID-19 e não têm lugar onde passar de forma segura o seu período de isolamento ao proporcionar-lhes quartos de hotel com o seu próprio dinheiro. No entanto, a sua boa ação tem consequências negativas quando este mesmo hotel começa a expulsar pessoas que foram lá colocadas por organizações que, através de contratos com o estabelecimento, pagavam menos pelos mesmos quartos. Ortiz, uma das internas que passou a integrar esta nova temporada, chama o médico à atenção, estando dentro do assunto por ter trabalhado enquanto assistente social antes de se juntar ao staff do Grey Sloan Memorial. Apesar de não ser particularmente fã da forma como Ortiz abordou Jackson relativamente a este assunto, em especial quando o médico apenas queria ajudar, percebo o sentimento de frustração por ela sentido e agrada-me que Jackson tenha reagido da melhor forma. Estou curiosa em ver de que modo Jackson, com a ajuda de Ortiz, irá proporcionar apoio à comunidade local, e acredito que poderemos já ver um pouco dessa sua ação no próximo episódio.

Não posso dar esta review por concluída sem antes mencionar que a cirurgia de Maggie e Cormac a Arthur, uma criança com um grave defeito cardíaco que aguarda um milagroso transplante de coração, corre da melhor forma. Parece que, pouco a pouco, Grey’s começa a inverter a tendência negativa que tem assombrado esta sua 17.ª temporada, pelo que aguardo mais vitórias e momentos encorajadores em episódios futuros.

Nacionalmente, podes acompanhar Grey’s Anatomy todas as quartas-feiras às 22h20, na FOX Life Portugal.

Inês Salvado