Ter irmãos será uma boa experiência para muitas pessoas, mas a verdade é que a família pode ser uma verdadeira lotaria do desastre. Eu, pessoalmente, não me posso queixar muito, embora o meu irmão já se tenha referido a mim como “worst sister ever”, coisa que eu desminto absolutamente e que ele diz na brincadeira, embora eu admita que pudesse ter ficado mais bem servido. Agora fora de brincadeiras, há irmãos das séries que transformam as vidas uns dos outros num verdadeiro inferno e é precisamente sobre as piores relações fraternas da televisão que vou falar hoje.

[Contém spoilers]

Kai e Winter Anderson e Rudy Vincent [American Horror Story: Cult]: Há relações entre irmãos bem piores, mas não consigo evitar pensar que Rudy manipulou Kai de forma a convencê-lo a esconder o que realmente aconteceu com os pais. Depois, Rudy e Kai manipularam também Winter para que esta alinhasse na mentira. Há algo de tóxico inerente a estes personagens e que transparece para as suas relações. Além disso, Kai já se mostrou bastante cruel para com Winter.

Mary e Edith Crawley [Downton Abbey]: As irmãs Crawley mais velhas devem ser um dos casos mais soft nesta lista, mas nem por isso são um bom exemplo de amor entre irmãs. Acho que é justo dizer que não gostam muito uma da outra, visto que passaram anos a sabotar-se e a infernizar-se mutuamente, mas a verdade é que também houve momentos em que fizeram tréguas. No entanto, nunca foram verdadeiras companheiras nem chegaram a uma fase boa na relação. Fez-lhes falta a presença de Sybil, a irmã mais nova que gostava delas de igual forma e que era uma espécie de figura mediadora nas suas guerras.

Cersei e Tyrion Lannister [Game of Thrones]: Esta série está repleta de relações tóxicas, nomeadamente entre irmãos, mas mesmo com casos graves de incesto, há coisas piores. Bem, a verdade é que entre ter um envolvimento amoroso com o gémeo ou odiar o irmão mais novo até à morte venha o diabo e escolha, mas optei por decidir dedicar a minha atenção a Cersei e Tyrion. Os dois odeiam-se, isso é ponto mais do que assente. Na série já nem me lembro, mas a Cersei dos livros tem um gostinho especial por esbofetear Tyrion, que é vítima da sua ira desde que nasceu. Como se um bebé pudesse ser responsabilizado pelo facto de a mãe ter morrido ao dá-lo à luz, mas digam isso a Cersei e a Tywin. Depois, junte-se à equação o facto de Tyrion ter nascido com nanismo para ser visto pela irmã (e novamente pelo pai) como uma espécie de aberração. Cersei bem gostaria de ter visto Tyrion morto (e não é como se não tivesse tentado), mas no final ele foi o único dos irmãos Lannister a sobreviver. Não nos podemos esquecer que Cersei apontou imediatamente o dedo a Tyrion em relação à morte de Joffrey, mas a verdade é que ela é como Jon Snow e não sabe nada. Daenerys e Viserys também tinham uma péssima relação, mas que tivemos pouca oportunidade para ver desenvolvida, visto que ele morreu numa fase muito inicial da série.

Benjamin Greene e Kieran [Gold Digger]: Que tipo de homem é que deixa que o irmão mais novo, um miúdo ainda, vá para a prisão por um crime que ele cometeu? Kieran, pois! Ele apareceu tarde na trama e só veio armar confusão e fazer tremer a relação do irmão com a noiva. É claro que Benjamin já tinha criado a sua própria teia de mentiras, mas ser o responsável pela morte de outra pessoa é a pior de todas e a verdade é que o personagem não tem a culpa disso. Tudo o que ele fez foi tentar proteger o irmão, a quem seria atribuída uma pena muito mais pesada, dada a sua idade. Kieran teria sido um irmão muito melhor se nunca tivesse reaparecido na vida de Benjamin, permitindo-lhe deixar o passado para trás.

Amelia, Kathleen e Nancy Shepherd [Grey’s Anatomy]: A sério, até parece missão impossível conseguir escrever duas personagens tão terríveis como Kathleen e Nancy. Não pretendo dizer que são pessoas maléficas, embora não exclua essa hipótese, mas são péssimas irmãs. Não admira que Amelia tenha encontrado em Addison e, mais tarde, em Meredith e Maggie o amor que é suposto haver entre irmãs. Kathleen e Nancy são tão exageradamente desagradáveis e críticas que quase parecem personagens saídas de desenhos animados. Aquele jantar/emboscada que organizaram para Amelia e Link foi um enorme desastre que parece ter sido organizado para apontarem defeitos à irmã mais nova. A relação é tão boa que nenhuma delas esteve no casamento de Amelia (acho que nem sequer foram mencionadas na altura) e está tudo dito quando a própria sente que precisa de mentir acerca de já não estar com Owen e sim com Link. Teria sido melhor para todos os envolvidos que aquele jantar nunca tivesse acontecido. Quando três irmãs gostam tão pouco umas das outras e se dão tão mal, o melhor é mesmo manterem a distância.

David e Phil Collins [Innocent]: Tudo o que Phil aparenta ser é um excelente irmão mais velho que acolhe David em sua casa depois de este ter estado vários anos preso pela morte da mulher, para além de ter passado todo esse tempo a lutar por ele e a acreditar na sua inocência. No entanto, à luz de novas revelações, o único motivo para Phil nunca ter duvidado que David cometeu o crime é porque foi ele o culpado. Deixou o irmão arcar com as culpas, o que colocou também em risco a relação deste com os filhos, de quem se viu obrigado a estar afastado durante metade das suas vidas, e criou um sentimento de grande desconfiança em toda a família. No final, a verdade veio ao de cima, mas David nunca poderá recuperar aqueles anos perdidos. Mais um homem que desejava ter sido filho único!

Dan e Keith Scott [One Tree Hill]: Quando um irmão mata outro, está tudo dito. Todos sabemos que Dan é má pessoa, mas matar o irmão é um new low. No entanto, não deixa de parecer que foi algo de que os argumentistas se lembraram só para chocar. E porquê? Tudo porque Keith estava com Karen, que Dan abandonara quando ela estava grávida dele? Porque agora era Keith que ia ter um filho com Karen? É certo que os ciúmes podem ser um sentimento muito poderoso, mas isto parece demais até para Dan, um homem que nunca soube amar os que lhe eram mais próximos.

Carol e Barb Denning [Orange Is the New Black]: Carol e Barb são, facilmente, duas das piores personagens de Orange Is the New Black, e são também uma dupla horrível de irmãs. No entanto, o ódio mútuo vai muito além da sua própria relação e resultou na formação de gangues rivais na prisão, responsáveis por um sem número de confusões e situações de perigo. Pior que tudo, contudo, é que, apesar da sua rivalidade, no passado, quando ambas ainda eram adolescentes, decidiram unir-se para matarem a irmã mais nova, Debbie, só porque esta participava em competições que obrigavam a família a mudar-se frequentemente contra a vontade delas. Poderiam ter fugido de casa, poderiam ter-se esforçado por apelar aos pais que não era justo, poderiam ter até aproveitado o facto de que a própria Debbie não gostava de estar sempre a mudar-se, mas não… A única forma que arranjaram de controlar a questão foi matarem a irmã!

Sun e Joong-Ki Bak [Sense8]: Parece que é recorrente que as péssimas relações entre irmãos acabem em prisão, pelo menos para um dos elementos. Foi precisamente isso que aconteceu com Sun, que aceitou as culpas pelos crimes económicos do irmão. Isto porque, dotada de um sentido de honra, Sun prometera à mãe, quando esta estava a morrer, que protegeria o pai e o irmão. Ao assumir as culpas pelos crimes de Joong-Ki, ela manteve o irmão fora da prisão, uma decisão que permitiu que a empresa da família sobrevivesse ao escândalo. O irmão, apesar de mais novo e menos capaz, foi sempre favorecido no que à empresa dizia respeito, simplesmente por ser homem. No entanto, quando o pai dos dois mudou de ideias e se preparava para revelar a verdade, Joong-ki matou-o. A partir daí, Sun fez os possíveis para vingar a morte do pai e limpar o próprio nome.

Arthur e Harry Tudor [The Spanish Princess]: As coisas começaram a correr mal nesta série no momento em que foi tomada a decisão de alterar por completo a idade de Harry, fazendo dele um adolescente carismático ao invés da criança que era na realidade, quando se deu o casamento entre Arthur e Catarina de Aragão. A rivalidade entre os dois teria sido certamente muito diferente (ou até nem existiria) se Harry fosse uma criança, mas isso não servia os propósitos dramáticos. Arthur, como filho mais velho, é o herdeiro ao trono, mas Harry, como menino bonito e convencido que é, acha-se o dono do mundo. Então, achou-se no direito de se corresponder com a noiva do irmão e é claro que Catarina não fazia ideia que as cartas eram dele. O clima entre Catarina e Harry fez-se notar logo ao início, embora seja óbvio que para o príncipe tudo é um jogo em que grande parte da piada consiste em seduzir a cunhada, mas passar por cima do irmão é um grande bónus. O pior é que Arthur acabou por morrer muito jovem, Harry herdou o trono, tornou-se no tirano que todos conhecemos da História e a vida de Catarina terminou no exílio.

Se quiseres, podes ler também três crónicas que escrevemos sobre algumas das melhores relações entre irmãos das séries: uma de 2014, outra de 2018 e uma última mais recente, de 2019. Também já dedicámos a nossa atenção exclusiva às melhores irmãs das séries.

Diana Sampaio