Há coisas que são especiais e Friday Night Lights é uma dessas séries, para nós. É o tipo de série que nos põe nervosas e a vibrar com o resultado de um jogo de futebol americano, apesar de até aí nunca termos gostado de desporto; o tipo de série de adolescente que vai muito além dos dramas típicos a que todos estamos habituados neste género, trazendo personagens com problemas reais. No entanto, Friday Night Lights é, acima de tudo, uma série com uma grande alma, daquelas que nos aquecem o coração e nos fazem sofrer em partes iguais. Deu-nos a saudade, por isso achámos que valia a pena recordar a série. Não conseguimos a diversidade de cenas que queríamos, porque no YouTube não são assim tantos os momentos da série que é possível encontrar, por isso tivemos que jogar com isso e acabámos bastante cingidas à 1.ª temporada, o que também não deixa de fazer sentido, porque é uma das nossas preferidas e uma das mais relevantes da série. Recorda então connosco alguns momentos memoráveis de Friday Night Lights.

[Os vídeos das cenas em questão podem ser vistos através das hiperligações e atenção aos spoilers]

A equipa visita Jason no hospital (01×05): O acidente de Jason será sempre a cena mais traumática de Friday Night Lights, mas é também a situação responsável por desencadear o que há de melhor nos desportos de equipa: a compaixão e o companheirismo. Quando a equipa visita Jason no hospital, percebemos realmente o que significa fazer parte dos Dillon Panthers, dentro e fora do campo! É por cenas como esta que nos apaixonámos pela série e ainda nos aperta o coração o momento em que Tim admite ter saudades de Jason. E quando a equipa sai e Jason começa a chorar, percebemos, em simultâneo, a dor que Jason sente naquele momento e o carinho e admiração que tem por todos os colegas de equipa.

Matt e Julie têm o primeiro encontro (01×09): A sério, Tami e Eric podem ser muito bons pais, mas há momentos em que se pedia menos, muito menos. Para começar, é estranho receberem à porta o rapaz com quem a filha vai sair. A coisa normal teria sido Matt enviar uma mensagem a Julie quando chegasse e depois ela saía. Mas não, os Taylor decidem ser embaraçosos como tudo. OK, os sapatos de salto alto podem ser um bocado demais para uma miúda de 15 anos, mas o vestido não tem nada de mal. Maior pérola: quando o treinador pergunta a Matt se ele quer uma cerveja e depois diz que estava a brincar. Impagável e muito engraçado, principalmente se tivermos em conta a cara séria que Eric mantém o tempo todo. Devíamos ter percebido que o encontro tinha tudo para correr mal quando Matt não consegue arranjar bilhetes para o filme do qual Landry (e apenas Landry) lhe falou bem. A saída acaba rapidamente interrompida por um telefonema de Landry, que está a ter dificuldades em tomar conta da avó de Matt. No entanto, se Julie ainda não tinha noção do quão bom rapaz Matt é, de certeza que passou a tê-la quando o viu lidar com a avó. Ele é apenas um miúdo, mas cuida da avó, que tem demência, com o mesmo carinho que sabemos que Lorraine lhe dedicou quando estava bem de saúde. A relação de Matt e Julie está longe de ser uma das nossas favoritas da série, até porque Julie foi uma péssima namorada muitas das vezes, mas este início é tão giro!

Tyra e Jason embebedam-se e falam mal dos ex (01×09): Friday Night Lights é uma série que se destaca pelo bom drama que nos apresenta, mas também tem alguns bons momentos engraçados e este é um dos melhores nesse aspeto. Jason recebe a visita inesperada de Tyra no hospital, mas a verdade é que eles são, basicamente, as únicas pessoas que estão na cidade naquela noite e, portanto, porque não juntarem-se? Tyra traz uma garrafa de álcool e Jason fica feliz por ter companhia. Os dois bebem uns copos, fazem um jogo em que tentam colocar uma moeda dentro de um copo e riem-se com a palermice, mas a coisa torna-se hilariante quando os dois começam a gozar com Lyla, a ex de Jason, e com Tim, o ex de Tyra. A sério, a imitação que Jason faz da voz rouca de Tim e do seu “Texas forever” é hilariante! A imitação de Lyla feita por Tyra não é tão boa e é ligeiramente mázinha, mas a verdade é que Jason e Tyra se sentem traídos e precisam daquele escape. Formam então uma dupla improvável naquela noite, mas é bastante bom vê-los a interagir, porque ambos estavam a precisar de um amigo.

Lyla é alvo de slut shaming na escola (01×10): Lyla disse tudo quando disse a Tim: “It’s different for girls. You can sleep around all you want and people think you’re cool. I make one mistake…” (“É diferente para as raparigas. Tu podes dormir com quem quiseres e as pessoas acham que és fixe. Eu cometo um único erro…”). O slut shaming está, infelizmente, muito presente no universo das escolas secundárias e é muitas vezes representado em equipas de cheerleading. A série aproveitou uma situação comum no mundo adolescente para falar desta tradição sexista de que um homem pode dormir com quem e quantas pessoas quiser, mas se for uma rapariga a fazê-lo já é errado. Em vez de Lyla apenas tentar negar o acontecimento, de forma a acabar com os rumores, a série soma pontos ao criar uma conversa entre Lyla e Tim, onde Lyla tem a oportunidade de explicar e desconstruir este mito criado pela sociedade à volta das mulheres, como forma de as denegrir, enquanto enaltece esse comportamento se vier de um homem.

Tyra expulsa de casa o namorado abusivo da mãe (01×12): Mais uma vez, Friday Night Lights mostra que não tem receio de abordar temas negros, mas tão relevantes para a sociedade atual. Quando Tyra protege a mãe do seu namorado abusivo, a série consegue abordar os efeitos da violência, tanto para a vítima, como para quem é obrigado a assistir a estes atos num contexto diário, como é o caso da adolescente. No entanto, a nossa parte favorita é mesmo aquela resolução, quando a mãe se livra do homem e garante à filha que nunca escolheria um homem em vez dela. Apesar de escolher relações que acabam por se tornar tóxicas, a mãe de Tyra está a tentar mudar por si e pela filha. É difícil mudar atitudes de um dia para o outro, mas dá para perceber que a mãe realmente se esforçará por mudar. A honestidade de Tyra para com a sua mãe é algo que também nos comove nesta cena, pois ela é obrigada a assumir um papel de mãe com a própria mãe e é como se estivéssemos a ver os seus papéis trocados. No fundo, esta cena mostra-nos que estarão sempre lá uma para a outra, não importa o que aconteça.

A mãe de Smash descobre que ele anda a tomar esteroides (01×13): A mãe de Smash é uma daquelas personagens com pouco tempo de ecrã, mas é uma pena, porque é uma mulher extraordinária. Pode parecer um pouco severa nalgumas situações, mas é uma mãe solteira com poucos meios e por isso sente que tem que ser exigente com os filhos para que eles sejam alguém no futuro e tenham uma boa vida. Não é de estranhar, portanto, que ela espere grandes coisas de Smash, que tem um verdadeiro talento para o futebol americano. Smash tem uma hipótese de fazer carreira na NFL, o que lhe proporcionaria essa vida boa com que a mãe sonha. Por isso, quando Corrina encontra esteroides no quarto do filho, não se trata apenas de um adolescente a fazer uma estupidez. Smash pode ser o maior fanfarrão de sempre, mas nem tem hipóteses quando a mãe está furiosa. No entanto, ela pensa que o treinador é o responsável por aquilo, quando, na verdade, Smash é o único responsável. Sorte para Eric, porque a mamã Williams era capaz de dar cabo dele se tivesse alguma coisa a ver com os esteroides. A desilusão dela em relação ao filho é impagável e é inevitável pensar que, naquele momento, ela está a imaginar o futuro do filho a ir por água abaixo. É uma cena muito poderosa, porque também nós nos ficamos a perguntar o que isto poderá significar para Smash.

A crónica já vai longa, portanto não percas a segunda parte, na próxima semana! Entretanto, estás à vontade para partilhar connosco alguns dos momentos de Friday Night Lights que mais te marcaram!

Ana Oliveira e Diana Sampaio