O prometido é devido e por isso hoje trazemos a segunda parte da crónica sobre momentos memoráveis de One Tree Hill que lançámos na semana passada. Esta é uma série de emoções fortes que nos faz sentir uma ligação com os personagens e com as suas histórias, seja em momentos mais ou menos dramáticos. Há de tudo um pouco em One Tree Hill, mas o sentimento de que esta é uma daquelas séries que nos marcam como poucas é garantido. É como se Tree Hill também fosse um bocadinho a nossa casa!

Peyton termina a amizade com Brooke (04×15) – Este momento tem, precisamente, uma ligação aos acontecimentos da road trip descrita na primeira parte da crónica. Peyton acusa Brooke de se envolver com o namorado de outras pessoas, algo que Brooke também lhe poderia apontar, mas aquela que parecia uma cena sem grande importância e que representava apenas mais uma discussão feia entre as duas transformou-se em muito mais. Acabam por se envolver à pancada e Brooke considera que foi ela quem ficou a perder nisto tudo porque Peyton está com o rapaz que ama. No entanto, por muitos erros que possam ter sido cometidos de parte a parte, a verdade é que Brooke desce muito baixo e faz o imperdoável quando usa a morte da mãe de Peyton como uma piada. Como é que disputas e traições amorosas de adolescentes podem ser comparadas ao sofrimento da perda de uma mãe? Não podem! Vê-se que Brooke está arrependida das suas palavras, mas a verdade é que foram ditas e é tarde demais para poderem ser retiradas, por isso Peyton decide pôr um ponto final na amizade, numa cena extremamente bem interpretada por parte de Hilarie Burton. No entanto, apesar de sabermos que terminar a amizade era tudo o que fazia sentido naquele momento, a verdade é que Brooke e Peyton já passaram por muita coisa juntas e são demasiado importantes uma para a outra para as coisas acabarem assim. Sabíamos – estas coisas sabem-se – que eventualmente fariam as pazes, mas que a relação dificilmente voltaria a ser o que era depois de algo assim e isso é triste.

Peyton acorda do coma (06×24) – Toda a história de Peyton correr risco de vida durante a gravidez e depois de ter tido a menina foi imensamente deprimente. Ninguém quer pensar que algo assim pode acontecer a uma rapariga de 20 e tal anos que devia ter a vida toda pela frente. Ainda para mais porque Peyton e Lucas estavam finalmente juntos e felizes depois de anos e anos de obstáculos – alguns por culpa deles, é certo – na sua relação. Embora estivéssemos com esperança de que a série não mataria uma das suas personagens principais, só conseguimos respirar de alívio quando Peyton acordou do coma. A felicidade e o alívio de Lucas e Brooke por Peyton estar de volta é tão puro, tão tocante! Ver Peyton conhecer a bebé, a quem chamou Sawyer, também é um momento cheio de ternura e que aquece o coração, de uma maneira muito especial de que só One Tree Hill é capaz. No entanto, a cena só fica completa quando as outras pessoas importantes da vida de Peyton e Lucas se juntam para assistir ao momento feliz da pequena família. Não nos podemos esquecer também que esta temporada e este final, em especial, são marcados pela despedida de Chad Michael Murray e Hilarie Burton da série, o que contribui ainda mais para tornar este momento memorável.

Brooke conta a Julian que não pode ter filhos (07×10) – Para nós, Brooke é sem sombra de dúvida a personagem mais icónica de One Tree Hill. A sua relação com Julian é marcada por vários altos e baixos e uns quantos pseudo triangulos amorosos. Quando ambos decidem que querem ficar juntos e que vão lutar para que a relação resulte, Brooke descobre que não pode ser mãe. Para Brooke esta é uma das piores coisas que lhe poderia acontecer na sua vida, porque, para além de ter o sonho de ser mãe, durante toda a sua vida foi desprezada pelos próprios pais, o que a fez desejar ainda mais assumir este ‘papel’ que considerava estar apta a desempenhar. A vida de Brooke nunca foi fácil, mas este acontecimento marca um obstáculo inultrapassável que só acabou por ser tolerável com o apoio de Julian, que soube o que dizer e fazer perante uma situação impensável e dolorosa para ambos. Este momento fica também marcado pela dor que Sophia Bush consegue transmitir à sua personagem.

Jamie e Quinn fazem uma caça ao tesouro (07×21) – Da sexta para a 7.ª temporada fomos presenteados com novos personagens e novas histórias que marcaram o cenário de One Tree Hill. Quinn, a irmã mais velha de Haley, é uma dessas personagens. Com uma beleza natural e um sentido de humor peculiar, entra de rompante na história e consegue desde logo conquistar protagonismo. Quando a mãe de ambas morre, Haley não consegue lidar com essa perda da melhor forma, então Quinn tenta animar o sobrinho Jamie com um filme e depois uma caça ao tesouro. Todos gostávamos da relação que Jamie tinha com o tio Lucas, mas na ausência dele, esta acaba por ser substituída pela relação de Jamie com a tia, o que proporciona diversos momentos interessantes. Quinn põe-se ao nível do sobrinho vezes e vezes se conta e este momento acaba por ser memorável, pois Quinn consegue passar a Jamie valores e ensinamentos importantes que o marcam para o resto da vida.

Haley discursa no casamento de Brooke e Julian (08×13): Sabemos que Brooke e Peyton são, provavelmente, a amizade mais marcante de One Tree Hill, mas Haley e Brooke desenvolveram uma relação muito boa ao longo dos anos. Podemos dizer, com toda a justiça, que se tornaram melhores amigas e que estiveram sempre lá uma para a outra quando foi preciso, nos melhores e nos piores momentos das suas vidas. O discurso de Haley no casamento de Brooke é bonito, uma homenagem às qualidades da noiva enquanto pessoa, mas também enquanto amiga, e é divertido, recordando-nos um outro momento icónico ocorrido na 1.ª temporada, quase no início de One Tree Hill, e que nos deixa com verdadeira nostalgia. A amizade de Brooke e Haley é especial e merece todos os créditos por ser muito equilibrada, com cada uma das partes a dar muito à outra, coisa com a qual Brooke nem sempre teve sorte nas suas relações. Um brinde também a Julian, que é totalmente merecedor do amor da fantástica Brooke Davis.

Logan aceita Clay como pai dele (09×10) – Clay é outro personagem que entra na vida dos nossos personagens de One Tree Hill. A química com Quinn e a amizade com Nathan são as relações que mais marcam Clay, até que, na última temporada, descobrimos que este ficou com sequelas após a mulher ter falecido à sua frente. Clay descobre que é pai e que abandonou o filho porque se “esqueceu” que ele existia. Esta foi, sem dúvida, uma das histórias mais tristes e estranhas das nove temporadas desta série. Clay fica de tal modo transtornado com a morte de Sarah que ‘bloqueia’ das suas memórias o filho que tinham em comum. Quando Clay se apercebe desta situação, com a ajuda de um terapeuta e de Quinn, consegue que o pequeno Logan, o filho, o aceite novamente. Este momento é inegavelmente um dos mais marcantes na história desta personagem, pois Clay sente a culpa de ter abandonado o filho, apesar de a sua condição na altura fazer com que ele não fosse responsável pelas suas ações. Logan é um menino de ouro e é capaz de perdoar o pai.

Partilha connosco: quais são os teus momentos favoritos da série?

Diana Sampaio e Margarida Rodrigues