Classificação

8
Interpretação
6.5
Argumento
8.5
Realização
9
Banda Sonora

[Contém spoilers]

The Mandalorian volta com The Passenger para o segundo episódio da temporada. Tornou-se oficialmente a minha série de sexta-feira à noite (uma pessoa não pode andar nas noitadas de antigamente, então tem de se entreter de outra maneira). No entanto, por muito que eu adore a série e queira muito que melhorem os pontos fracos da 1.ª temporada, ainda não aconteceu.

Não me entendam mal. Como já disse, The Mandalorian faz o seu papel em entreter. Contudo, a série tem potencial para ser tão épica como os próprios Star Wars, mas ainda anda um pouco à deriva e não se foca no principal. Digo isto porque até agora temos mantido a fórmula de monstro ou bandido da semana e, por muito engraçado que seja de assistir, muitas vezes a história não avança, como foi o caso deste The Passenger.

A história começa logo a seguir ao fim do primeiro episódio, numa cena adorável em que assaltam Mando e lhe tentam roubar a Criança. Sem sucesso, claro. É sempre giro ver Mando “render-se” e depois safar-se na vida com grande estilo. Eu ainda o subestimo, vá-se lá saber porquê! Mando continua à procura de outros mandalorians para o ajudar com a Criança, mas mais uma vez este reencontro é adiado porque passamos o episódio em viagem, basicamente. Um filler logo no segundo episódio da temporada? Chateia-me um bocado!

Mando, a troco de informações sobre outros mandalorian, aceita transportar uma Senhora Sapo (desculpem, mas foi o nome que a internet lhe deu) para ir ter com o seu marido. Ela tinha consigo uma série de ovos que assegurariam a continuação da sua linhagem. À primeira vista parecia um trabalho fácil (com a exceção da parte da velocidade da nave). No entanto, Mando acaba perseguido por patrulhas da Nova República.

Tenho bastantes críticas à temática do episódio, mas a cena da perseguição foi espetacular, meu Deus! Acho que me deixou tão entusiasmada porque me transportou para as clássicas perseguições de Star Wars, especialmente em The Force Awakens (podem ver a cena de que falo aqui). Sim, eu sei que foi bem mais modesta, mas eu vibro com perseguições de naves neste universo! Portanto, no final disto tudo, Mando, a Senhora Sapo e o Baby Yoda acabam numa rocha de gelo e com a nave bastante danificada. Como se Mando não tivesse já problemas suficientes, o seu querido filho portou-se tão mal que merecia ficar de castigo.

Okay, quando eu vi o Baby Yoda a comer aqueles ovos como se fossem tremoços fiquei dividida entre rir muito e ficar indignada por aquele genocídio. Eu quero acreditar que não sabia o que estava a fazer, mas com a Criança nunca sabemos muito bem o que vem dali. Por fim, a cena das aranhas. Mas será que a Criança come tudo e qualquer dia come um dedo a Mando? Enfim!

Bom, espero não ter sido a única com flashbacks de Harry Potter e a Câmara dos Segredos, da cena em que Harry e Ron vão à procura de Aragog e saem de lá perseguidos por centenas de aranhas. A cena de The Mandalorian neste The Passenger foi um pouco mais aterradora, mas a patrulha acabou por voltar e salvar o dia.

Entendem o que quero dizer do episódio por ser filler? A história não avançou nada. Não tivemos mandalorians, não sabemos mais sobre o Baby Yoda, o misterioso personagem (Boba Fett?) que apareceu no final do episódio anterior não foi mencionado… Espero muito que isto mude e haja avanços significativos. Numa série com oito episódios por temporada, não há de ser muito complicado criar uma história interessante sem serem necessários fillers.

O que acharam do episódio? Também se sentem como eu ou têm opiniões mais positivos deste segundo episódio?

Maria Sofia Santos