Harley Quinn – Review da 3.ª Temporada
| 04 Mai, 2023
8.86

Publicidade

Após dois anos de “ou vai, ou racha” (e outros tantos de hiato), Harley e Ivy têm na 3.ª temporada da série de animação Harley Quinn uma nova e árdua tarefa: encontrar o seu novo ritmo não só como um casal, mas também como indivíduos no contexto de uma nova relação – sem arruinar a mesma, claro. Esta mudança na dinâmica entre ambas coloca as personagens e o seu grupo de desajustados em situações elaboradas, levando a uma temporada que, apesar de impulsionada por esta relação, nunca se deixa perder nela, mantendo as suas raízes bem assentes na fundação que fez da série um sucesso.

A 3.ª temporada de Harley Quinn teve a sua aguardada estreia internacional em julho de 2022, através da HBO Max. Esta nova instalação surge no seguimento de Harley Quinn: The Animated Series: The Eat. Bang! Kill. Tour, uma série de banda desenhada que, por sua vez, fornece uma continuação imediata aos acontecimentos da 2.ª temporada da série ao seguir as aventuras de Harley Quinn e Poison Ivy após o fiasco que foi a cerimónia de (quase) casamento entre Ivy e Kite Man. Se ainda não tiveres tido a oportunidade de ler esta coleção de apenas seis fascículos, recomendo que o faças apenas pela diversão que fornece, uma vez que não irá de todo afetar a tua experiência enquanto espectador.

Já a conclusão desta instalação surge na forma de um episódio especial do Dia dos Namorados, apropriadamente intitulado Harley Quinn: A Very Problematic Valentine’s Day Special. Num episódio de 43 minutos que celebra o primeiro Dia de São Valentim do principal casal da série, Harley empenha-se para planear a maior e mais romântica noite de sempre para si e para Ivy, com resultados que têm tanto de hilariante como impróprio. 

De um modo geral, considero que Harley Quinn mantém o seu nível de qualidade no que diz respeito ao seu argumento, realização e interpretação. Continua ancorada nos comics em que se baseia sem se deixar prender pelos mesmos, retratando as personagens da cidade de Gotham de um modo que, apesar de divertido, refrescante e, por vezes, descontrolado, confere às mesmas uma nova dimensão. Quase pode ser encarada como um estudo sobre quem estas personagens são na sua essência, assim como aquilo que as tornou nas pessoas que são.

Em suma, apesar de não se afastar da sua origem bastante grosseira e violenta, considero que a 3.ª temporada de Harley Quinn consegue ser a mais emocionalmente madura, sem nunca abdicar do seu engenho e carisma. Na minha opinião, reafirmou o lugar de destaque desta série enquanto uma das melhores séries de animação orientadas para adultos do nosso tempo. Lança ainda uma premissa interessante para o seu futuro, a qual promete mostrar um lado de Harley ainda por explorar.

Harley Quinn encontra-se já renovada para uma 4.ª temporada, cuja estreia não tem ainda data prevista. Adicionalmente, uma série com Kite Man e Golden Glider como personagens principais está agora em desenvolvimento na HBO Max.

Melhor episódio:

Episódio 8 – Batman Begins Forever Harley Quinn continua a prestar homenagem ao lore da DC ao longo desta temporada, talvez mais do que nunca com o seu 8.º episódio. Para os verdadeiros fãs do Cavaleiro das Trevas, Batman Begins Forever faz um deep dive ao trauma vivido por Bruce Wayne aquando da morte dos seus pais, destacando o papel que o evento teve na sua formação. Num todo, trata-se de um episódio emocionalmente inteligente e bem realizado, com várias referências ao personagem e a várias das suas iterações, demonstrando um especial carinho pela série animada Batman: The Animated Series.

Personagem de destaque:

Harley Quinn – Ainda que as temporadas anteriores tenham expandido de um modo bastante satisfatório quem Harley é enquanto personagem, é neste novo ciclo que vejo um crescimento exponencial no seu desenvolvimento. A moralidade das muitas figuras de Gotham e o modo como estas se podem identificar no espectro entre herói e vilão é um assunto há muito abordado pela série que, de modo semelhante ao que acontece nos livros de banda desenhada, colhe agora os frutos das sementes que tem vindo a plantar. Harley começa a lutar realmente com o seu próprio compasso moral, concluindo esta temporada como uma anti-heroína certificada com uma forte tendência para a bondade. Além disso, as raízes de psicóloga de Harley são, também, expandidas, permitindo-lhe ajudar várias outras personagens (como é o caso de Bruce e Ivy) no seu próprio crescimento.

Temporada: 3
Nº Episódios: 10
8.86
9
Interpretação
9
Argumento
8.7
Realização
8.5
Banda Sonora

Publicidade

Populares

calendário estreias posters maio 2024

the big cigar

Recomendamos