Classificação

8
Interpretação
6
Argumento
7
Realização
7
Banda Sonora

[Não contém spoilers]

O novo projeto Disney+ e Marvel é Hawkeye. A série estreou com episódio duplo na passada quarta-feira, com os episódios Never Meet Your Heroes e Hide and Seek. Repleta de ação, diálogos divertidos, disparos e flechas a voar, assim chega aos nossos ecrãs uma série aguardada por ser a primeira a desenvolver o personagem Clint Barton fora dos grandes blockbusters.

A história desenrola-se nos eventos pós Thanos e pós blip (como já várias vezes têm sido denominadas as histórias após Avengers: Endgame, ou Fase 4 do Universo Cinematográfico da Marvel) e, no rescaldo da perda da sua melhor amiga e da luta mais emocionalmente exigente, Clint decide reformar-se e passar tempo com a sua família, até que se vê forçado a regressar ao ativo por causa de uma miúda que promete mudar o seu mundo do avesso. Hailee Steinfeld é Kate Bishop – ou, quem sabe, a herdeira do legado de Clint – e o seu talento é notoriamente meter-se em trabalhos complicados. Sem entrar em demasiados detalhes que sejam spoiler, Barton e Bishop terão desafios para enfrentar juntos nos próximos episódios.

Jeremy Renner e Hailee Steinfeld são os atores que dão corpo e alma às personagens principais desta série e, se de Renner era isto que estávamos sem dúvida à espera, Steinfeld conseguiu surpreender pela positiva. Foi capaz de assentar a credibilidade da sua personagem de uma forma única, não sendo só mais uma cópia, mas alguém profundo e individual dentro do vasto mundo Marvel.

Ao contrário de Wandavision ou Loki, Hawkeye não nos faz viajar no tempo e no espaço ou em mundos paralelos, mas faz-nos passear nostalgicamente por momentos extremamente marcantes do universo. A Batalha de Nova Iorque, o facto de Clint ter perdido a audição e tantos outros pequenos easter eggs que vão aparecendo – Thanos Was Right, para quem viu The Falcon And The Winter Soldier – são o suficiente para querermos sentar-nos no sofá e viver mais uma história MCU. Como se isso não bastasse, a relação entre Barton e Bishop faz definitivamente lembrar um pouco a relação entre Tony Stark e Peter Parker. Provavelmente, mais do que a introdução de vilões complexos ou histórias intrigantes, esta é uma série que nos vai trazer mais uma vez uma relação bonita de mentor/aprendiz, dando espaço a que a personagem de Steinfeld venha a assumir o legado que Jeremy Renner deixa como Hawkeye.

Não seria Marvel se não tivéssemos episódios carregados de ação e humor digno dos primeiros filmes da saga Avengers a que Kevin Feige e os Marvel Studios nos habituaram. Desde a relação amor e ódio entre os dois, às intensas e mais do que bem coreografadas cenas de lutas, talvez seja isto que faz com que Hawkeye não seja uma série medíocre: a nostalgia do Natal, dos filmes que nos apaixonaram por esta brilhante saga cinematográfica e a prestação espetacular que Hailee tem na série.

Hawkeye terá um novo episódio todas as quartas-feiras no Disney+.

Joana Henriques Pereira