Classificação

8.5
Interpretação
7.5
Argumento
9
Realização
7.5
Banda Sonora

[Contém spoilers]

What was so great about the lives we left behind? There was trauma, but being a teenage girl — that was the real living hell.

The Wilds é a nova série de drama da Amazon Prime Video criada por Sarah Streicher. O primeiro episódio de The Wilds conta a história de oito raparigas que depois de sofrerem um acidente de avião ficam “presas” numa ilha deserta. Uma série de teen drama e que ao mesmo tempo consegue tornar-se numa aventura de sobrevivência, ao género de séries como Lost e The Society numa só.

No primeiro episódio de The Wilds, intitulado Day One, conhecemos Leah (Sarah Pidgeon), uma adolescente de 17 anos que se sente (tal como todas as adolescentes) incompreendida pelos pais, que não se encaixa na vida social escolar e que se apaixona por um escritor de um romance que andava a ler para uma aula. Ao longo do episódio este acaba por ser o plot mais desinteressante parecendo uma repetição de coisas que já vimos em todo o lado.

Foram os pais de Leah que quiseram que ela ingressasse no retiro Dawn of Eve (um nome que parece que vai dar que falar) que a ia levar até ao Havai de jato privado. Para o destino iam também Jeanette (Chi Nguyen), Toni (Erana James), Martha (Jenna Clause), Dot (Shannon Berry), Shelby (Mia Healey), Rachel (Reign Edwards), Nora (Helena Howard) e Fatin (Sophia Taylor Ali). Mal sabiam elas que esta viagem ia mudar o rumo das suas vidas.

O que é de facto interessante neste primeiro episódio de The Wilds é que só nos primeiros cinco minutos de Day One, para além de conseguirem descrever a típica adolescente ocidental do século XXI na forma mais completa e verdadeira possível, o espectador fica preso ao ecrã a querer que os minutos passem mais depressa para saber o que vai acontecer a seguir.

A realização do primeiro episódio de The Wilds está excelente. O espectador consegue acompanhar três timelines: o passado antes do acidente e a vida de Leah antes de ter ido de viagem; o passado no decorrer do acidente, e o presente após ter havido um resgate e se ter aberto uma investigação.

Este tipo de construção acaba por dar à série um cunho muito interessante, que não é pesado, oferecendo mais suspense ao longo do episódio, pois quando achamos que vamos descobrir mais alguma coisa somos presenteados com uma memória anterior que nada envolve o grande mistério do acidente no avião e da vida destas adolescentes na ilha, alegadamente deserta.

Quando pensei em ver The Wilds apenas sabia que era um série de drama com adolescentes e que metia suspense à mistura. O que é facto é que acabou por surpreender pela positiva, não só pela sua realização muito bem conseguida, mas também pela interpretação do elenco em geral. O argumento foca nos detalhes sugando a atenção total do espectador.

Entrou na minha lista e agora só quero ver a série até ao fim, pois o final deixa-te bastante intrigado e curioso.

Margarida Rodrigues Pinhal