Classificação

9
Interpretação
8
Argumento
8
Realização
8
Banda Sonora

The Flight Attendant estreou recentemente na HBO Max (e HBO Portugal) e este piloto arranca com uma história de mistério com várias pinceladas de comédia negra e algum drama.

Resumindo um pouco o plot da história, Cassie, interpretada pela atriz Kaley Cuoco, que tão bem conhecemos pelo papel de Penny em The Big Bang Theory, é uma assistente de bordo. Como sabem, os assistentes de bordo passam o tempo a viajar e têm uma vida um pouco nómada. Este é o caso de Cassie, que aproveita essa vida para se divertir ao máximo, seja em festas, com bebidas ou até mesmo sexo casual. Juntamente com isto, ela vai conhecendo várias cidades mundiais e vai vivendo a sua vida sempre no limite, mas a história fica interessante quando numa paragem em Banguecoque, na Tailândia, Cassie se envolve com um passageiro chamado Alex. Os dois passam uma noite de pura diversão onde não faltou álcool e sexo, mas no dia a seguir, quando Cassie acorda, encontra o corpo de Alex com a garganta cortada junto a si na cama. Começa assim a história de The Flight Attendant e este episódio piloto, um misto de mistério e comédia negra.

Confesso que não li nem vi nenhum trailer desta série. Aliás, é mesmo por séries como esta que não gosto de o fazer. No início, a história parecia muito simples. Senti que vinha aí uma comédia leve sem grande interesse cuja diferença fosse o local onde acontece, no caso, um avião, mas é aí que a história tem o twist que muda tudo. O assassinato de Alex leva a história para outro patamar. Não sabemos o que aconteceu, mas sentimos na pele o desespero de Cassie, que faz tudo para fugir dali. Não no sentido de culpa, mas pelo medo de ficar presa num país que não conhece e onde seria fácil culpá-la do crime. O resto do episódio é francamente bom. Vemos o nervosismo de Cassie a aumentar e a forma como ela se vai lembrando das coisas também é muito interessante. Ela começa a ter “conversas” com Alex na sua mente e vai-se lembrando de pormenores. O puzzle certamente irá ser montado ao longo dos próximos sete episódios da temporada.

Analisando mais tecnicamente, começo por ter de dar um gigante aplauso a Kaley Cuoco. Kaley é conhecida por ter sido a Penny durante doze anos, mas rapidamente nos distanciamos da famosa personagem de tanto que a atriz consegue dar um camada diferente a Cassie. No início, o lado goofy e de party girl que Cassie mostra lembra-nos Penny, mas depois todo o desenvolvimento da personagem à medida que tudo vai acontecendo é brilhante e o desespero de Cassie chega a ser angustiante. A minha vontade era de lhe dar um abraço enquanto via as últimas cenas dela no hotel a beber vodka de tanto que estava traumatizada. Depois, temos uma realização interessante, com vários planos que comunicam e uma edição diferente, mas ritmada. Por exemplo, ver o ecrã divido em dois com duas cenas ao mesmo tempo é raro funcionar, mas aqui encaixa que nem uma luva e funciona na perfeição. A banda sonora funciona, mas não confundir banda sonora com música, são coisas diferentes. E as escolhas musicais admito que achei muito bem montadas. Por exemplo, a cena em que Cassie descobre o corpo de Alex e ao mesmo tempo recebe uma chamada onde o toque é a música Wake Me Up Before You Go-Go está muito bem montada. Cria ali um humor negro de que particularmente gosto bastante.

Termino assim a minha análise ao primeiro episódio. Vou já de seguida assistir ao segundo para ver como a história se desenrola. É certo que o mistério em si é um truque para manter as pessoas focadas na série, mas acho que vai para além disso. São oito episódios e acho que vale bem a pena ver.

Carlos Real