Grey’s Anatomy – 17×08 – It’s All Too Much
| 23 Mar, 2021

[Contém spoilers]

Uma nova semana trouxe consigo um novo e emocionante episódio de Grey’s Anatomy, intitulado It’s All Too Much. Este capítulo da série segue os nossos médicos enquanto estes procuram um caminho em frente, para além dos traumas e da pressão que enfrentam. Acontecimentos recentes levam Richard a questionar a sua fé. Enquanto isso, Maggie confere a Winston privilégios hospitalares de modo a que possam trabalhar em conjunto num paciente complicado.

A morte de Andrew surge como um assunto incontornável neste novo episódio, marcando o mais recente trauma naquele que tem sido um ano devastador para as personagens da série, mesmo quando se tem em conta tudo aquilo por que já passaram. Com It’s All Too Much, Grey’s Anatomy procura assim mostrar de que forma os diferentes médicos processam esta mais recente perda, em especial dentro do contexto desta pandemia.

Tal como acontece na vida real, cada pessoa tem a sua própria forma de lidar com um acontecimento traumático. No caso de Bailey, que ainda não permitiu a si própria chorar a morte da sua mãe, a forma de lidar com a morte de DeLuca – e, talvez mais importante, com os sentimentos de impotência e dúvida que surgem com o facto de não ter sido chamado a socorrer o médico – passa por investigar os acontecimentos que levaram à mesma, nomeadamente possíveis erros médicos por parte dos seus colegas. Na realidade, Miranda não acredita que Owen, Teddy ou Richard tenham feito algo de errado, mas não consegue lidar bem com a ideia de que poderia ter feito algo que faria a diferença. Sem grandes surpresas, no entanto, a mera sugestão abala os médicos que sabem ter feito tudo ao seu alcance para salvar Andrew.

É Richard quem acaba por confrontar a chefe de cirurgia. O estado em que o mundo se encontra e a mais recente tragédia por que passou têm vindo a levar o médico a questionar a sua fé, e as ações de Bailey não contribuem para melhorar a situação. Assim, quando os resultados da investigação concluem o que todos já sabemos, Richard proíbe Bailey de continuar a remexer nesta ferida exposta de modo a que todos possam começar a sarar. Afinal de contas, este é um evento que abalou todos os membros do hospital e toda a gente merece poder processar o que aconteceu de modo a poder seguir em frente – incluindo Bailey, que resolve retirar-se por uns tempos para poder estar com a sua família.

Neste registo, e uma vez que os serviços fúnebres estão proibidos, Richard resolve organizar um memorial para DeLuca. O evento é simples, mas amável, contando com a participação de vários dos personagens próximos a Andrew. Acho que a série tomou a decisão acertada em cortar o áudio dos vários testemunhos, mantendo apenas o áudio daquela que é a entrevista de emprego de Andrew, da altura em que este passou a integrar o corpo médico do Grey Sloan Memorial. Sinceramente, ainda estou um bocado chocada com a morte do personagem e não acredito que ouvir um monte de gente a falar sobre ele viesse a ajudar.

Entretanto, Meredith continua ligada a um ventilador, apesar de a sua condição mostrar melhorias. Os seus testes mais recentes à COVID-19 apresentam resultados negativos, e Teddy prepara-se para levar a cabo o processo de habituar o corpo de Meredith a respirar novamente sem auxílio do ventilador. Infelizmente, a nossa Dr.ª Grey parece não estar ainda pronta para efetuar o seu regresso, decidindo, por enquanto, permanecer na praia com Derek ao invés de regressar ao mundo dos vivos. Parece que, por alguma razão, Meredith não consegue voltar a não ser que realmente o queira fazer. A decisão parece fácil – afinal de contas, Meredith tem filhos a criar e imensas pessoas à espera que melhore. Mas só quando Hayes a relembra disso e implora para que esta faça um esforço é que a médica mostra algum sinal de verdadeiramente querer voltar.

Por fim, Giacomo permanece ainda nestes episódios através de Teddy, que tem vindo a sofrer alucinações durante o episódio, vendo o médico no hospital em vários momentos. A personagem parece estar a sofrer com algum tipo de stress pós-traumático, sendo que Owen intervém no fim do episódio e ajuda a levá-la a casa após o serviço memorial. Pelo vídeo promocional do próximo episódio, estou ansiosa em ver de que forma Teddy lidará com o acontecimento.

Como de rodapé, falta-me ainda mencionar que este episódio teve alguns pequenos momentos que me emocionaram para além do que estava à espera. A cena em que Jo faz algumas piadas de humor negro relativamente às roupas que comprou antes da pandemia para certas ocasiões doeu, não só por ser relacionável, mas também porque a médica percebe que nem sequer num funeral as poderia usar, uma vez que estes não são permitidos. Já o “abraço” entre Helm e Maggie foi outro momento que se destacou neste episódio, ao mostrar uma alternativa a um ato de consolo e uma adaptação a este novo normal.

De forma geral, It’s All Too Much foi um bom episódio para Grey’s Anatomy, aparecendo como um seguimento de peso a Helplessly Hoping e proporciona tanto aos personagens como aos espectadores um momento para processar a morte de Andrew e preparar o que está por vir.

Nacionalmente, podem acompanhar Grey’s Anatomy todas as quartas-feiras às 22h20, na Fox Life Portugal.

Inês Salvado

Publicidade

Populares

calendário estreias

freeridge poster

Recomendamos