O serviço de streaming Peacock encomendou um reboot da série icónica da década de 1990, Queer as Folk, criada por Russell T. Davies (Years and Years), sobre três homossexuais que vivem num bairro gay de Manchester, no Reino Unido.

O universo desta nova aposta televisiva vai ser reimaginado pela mente de Stephen Dunn (Little America), produtor executivo, guionista e futuro realizador de vários episódios, incluindo o piloto, em colaboração com a empresa Universal Content Productions (UCP).

Quando fez o anúncio de que estava a desenvolver uma adaptação da série original britânica, a Peacock sublinhou que a narrativa será focada nas vidas de um grupo diverso de amigos de Nova Orleães, nos Estados Unidos, transformadas devido a uma tragédia. A plataforma dá assim seguimento aos planos, começados em 2018 pelo canal internacional Bravo, de “reavivar” o projeto.

Pioneira por mergulhar nas vivências da comunidade gay, Queer as Folk foi “determinante e necessária para dar voz a muitas pessoas”. Como tal, Lisa Katz, Presidente de conteúdos de guião para a NBC Universal Television, está particularmente “entusiasmada por apresentar uma nova geração a este tipo de narrativa autêntica e marcante”.

Entre 1999 e 2000, a série britânica teve direito a dez episódios, protagonizados pelos atores Aidan Gillen, Charlie Hunnam e Craig Kelly. Também em 2000 houve espaço para um remake norte-americano, emitido no canais Showtime e Showcase (no caso do Canadá), onde a história se desenrolava na cidade de Pittsburgh. Do outro lado do Oceano Atlântico, o projeto durou cinco temporadas.

O criador da versão adquirida pela Peacock, Stephen Dunn, transmitiu que quer “continuar o legado” das séries anteriores, mas através de “uma energia e lente mais modernas, através das quais vamos poder ver personagens que já nos cativaram”, conforme reforça Beatrice Springborn, Presidente da produtora UCP.

Embora tenha classificado como “surreal” o facto de ter a oportunidade de mostrar outra visão da história original, Dunn admite que “muito mudou nos últimos 20 anos” e que “seria fantástico se a próxima geração de homossexuais vissem o reboot com a sua família e amigos”.

Recordamos que Russell T. Davies, que integra a equipa na qualidade de produtor executivo, é também o criador da minissérie de sucesso It’s a Sin, que se destaca pela abordagem ao surgimento do HIV.