The Wheel of Time – 01×02/03 – Shadow’s Waiting/A Place of Safety
| 20 Nov, 2021

[Contém spoilers]

Os episódios dois e três de The Wheel of Time, Shadow’s Waiting e A Place of Safety, cimentam a qualidade apresentada no primeiro episódio, enquanto continuam a desvendar o enredo de Eye of The World (relembro que este é o primeiro livro da saga de The Wheel of Time) a um ritmo elevado.

Após o ataque dos trollocs, o grupo vê-se obrigado a confiar, tanto quanto possível nesta fase, em Moiraine, uma Aes Sedai, que já em si traz desconfiança e uma que sabe muito mais do que lhes está a dizer. Durante a jornada veem Moiraine a ser forçada a tomar decisões difíceis, o que só aumenta a desconfiança sobre esta.

Durante a perseguição, o nosso grupo (constituído por Egwene, Moiraine, Lan, Rand, Perrin e Mat) são forçados a ir a um local que Moiraine queria evitar a todo o custo, Shadar Logoth, contaminado pelo mal e pela sombra. Aqui é um ponto onde as críticas à saga começam por ser muito semelhante a Lord of the Rings, com o grupo a fugir e a ver-se forçado a ir a um sítio onde o mago sábio do grupo não quer ir e onde o mal habita, mas relembro que rapidamente WoT vai ganhar a sua independência face à outra saga.

Inicia-se também o começo do período onde os nossos protagonistas se separam e têm cada um a sua aventura. É também uma oportunidade para conhecer cada um deles melhor, por exemplo já vemos a forma como Mat está a ficar afetado, e vemos as alterações de humor caraterísticas de Rand. Aqui acho que é o único ponto que fica enfraquecido, o facto de eles terem decidido aumentar a idade das personagens. Nos livros, Rand é um adolescente, o que justificaria muito mais facilmente as mudanças súbitas e egoístas de humor, mas percebe-se porque é que decidiram aumentar a idade de todos.

Existe também a introdução de uma das minhas personagens favoritas, Thom Merrilin (Alexandre Willaume), com uma alteração significativa em relação aos livros – em vez de tocar flauta toca guitarra. Mais uma vez, percebe-se o porquê da alteração para a adaptação televisiva. De resto, a personagem entra em grande, misteriosa e carismática como Thom deve ser.

Por fim, Perrin começa a notar uma relação esquisita com os lobos. O que é que acham que está a acontecer? Eu não vou teorizar por já saber mas gostava de ouvir as vossas teorias!

O ritmo a que a série está a avançar é bastante grande, pelo que os 50 minutos de episódio estão repletos de ação e de história, sem grandes momentos mortos, o que faz sentido, tendo em conta que a ideia original é incluir os 14 livros em cerca de oito temporadas. Para já, este ritmo acelerado está a resultar bem, servindo para cativar a atenção dos espectadores. Vamos ver como gerem isto até ao final da temporada… Temo que possam não saber abrandar nos momentos em que é necessário abrandar e perder um pouco mais de tempo.

Em suma, tem sido um início fantástico que dificilmente irá agradar a todos os fãs da saga, mas que sem dúvida pode colocar The Wheel of Time na lista de adaptações televisivas que correram bem, e olhem que no mundo da fantasia não há assim tantas!

O que têm achado?

Raul Araújo

Publicidade

Populares

calendário estreias

Recomendamos