Classificação

7.5
Interpretação
7.5
Argumento
8.5
Realização
8
Banda Sonora

[Contém spoilers]

The Walking Dead regressa da sua pausa de inverno da mesma forma com que entrou nela: com um episódio sólido, com algumas boas partes, um ambiente aterrador constante e um seguimento dos acontecimentos que promete não desiludir os fãs. Estamos a sete episódios do final de mais uma temporada e tudo pode acontecer.

Confesso que senti saudades da série, coisa que não acontecia antes de segunda metade da 9.ª temporada. Mais uma vez tenho de dar relevo à evolução incrível que TWD teve. Não foi fácil sair do buraco negro em que a produção se encontrava, com algumas temporadas consecutivas pouco chamativas para os fãs, mas a verdade é que conseguiu dar a volta e agora pode-se dizer novamente que é uma grande série (ao contrário do seu spin-off e estou com muito poucas expectativas em relação ao segundo que aí vem).

Squeeze não foi um episódio espetacular, daqueles que nos fazem ficar em nervoso miudinho do início ao fim, mas que teve muitos bons momentos lá isso teve. O fator claustrofobia foi o que mais contribuiu para que não conseguisse tirar os olhos do ecrã nas cenas em que o grupo rastejava por aquela gruta. Eu não sou claustrofóbica, mas acho que se me visse no meio daqueles túneis super apertadinhos também ia começar a hiperventilar como a Carol.

Por falar em Carol, temos de agradecer todos os desenvolvimentos deste regresso de temporada à personagem, não é? Não fosse a sua impulsividade em querer vingança de Alpha e aquelas sete pessoas não teriam ficado presas no covil do inimigo. Claro que agora sabem onde Alpha esconde o seu maior trunfo, mas será que o preço a pagar por essa informação foram as vidas de Connie e Magna? A primeira regra da ficção é: não há corpo ou não vimos a personagem a morrer, portanto não está mesmo morta. Provavelmente é este o caso, e tenho a dizer que das duas só não quero que Connie morra, mas pode ser que Carol abra finalmente os olhos para a espiral vertiginosa em que está a cair e consiga evitar que mais alguém se magoe.

Muitos são os fãs que criticam as atitudes desta personagem na atual temporada, inclusive eu. Contudo, temos de olhar para o plano geral: ao longo destes anos Carol já perdeu e já sofreu tanto, os momentos de felicidade foram tão escassos, que a morte horrível de Henry e das restantes personagens naquelas estacas finalmente despoletou o lado vingativo de Carol. Quando incluímos toda a bagagem, torna-se compreensível a sua atitude. Ainda assim, continuo com um mau pressentimento em relação ao final que esta vingança pode ter.

Relativamente às cenas na gruta tenho de elogiar a produção da série, porque fizeram-nos mesmo sentir que estávamos ali com as personagens. O sufoco, a pouca visibilidade, estarem rodeados de walkers, não saberem se a qualquer momento poderiam aparecer Whisperers, toda a conjugação destes ingredientes resultou em minutos de suspense muito bem executados. Anseio por mais cenas assim.

Noutra perspetiva, pudemos ver que Negan está mesmo empenhado em que Alpha confie nele, está até disposto a envolver-se sexualmente com ela (quem mais franziu a testa nesta cena?) e a sacrificar uma das únicas pessoas dos Whisperers que poderia ajudar o lado dos bons a derrotar o inimigo. Volto a referir os meus mixed feelings em relação a estas cenas: claro que elas são necessárias, mas por outro lado demonstram que também estes inimigos têm fraquezas e que poderão e serão derrotados. Estou muito curiosa por ver que papel desempenhará Negan na batalha que se aproxima.

No geral, este nono episódio foi mais um a juntar à lista de bons mas não espetaculares episódios que TWD  nos tem apresentado. A qualidade em relação a temporadas passadas é incomparável e acredito que até ao final desta ficaremos de queixo caído mais do que uma vez. Contudo, sou da opinião de que deveriam anunciar o fim da série. A 11.ª temporada já está confirmada. Será a última?

Beatriz Caetano