Love & Death – Review da Minissérie
| 25 Mai, 2023
6.7

Publicidade

A minissérie da HBO Max, Love & Death, chegou ao fim hoje depois de sete episódios.

Love & Death conta a história real de um crime que chocou o Texas em 1980, no qual Candy Montgomery (Elizabeth Olsen), que se mudou para a comunidade de Wylie há menos de três anos, assassina a sua amiga Betty Gore (Lily Rabe) com 41 golpes de machado. Essa história soa-te familiar? Pois, há pouco menos de sete meses, a Hulu lançou uma minissérie a contar exatamente a mesma história. Candy é protagonizada por Jessica Biel, que contracena com Melanie Lynskey. É interessante de se notar que a mesma história foi adaptada por grandes serviços de streaming com um grande elenco em cada uma delas.

Tendo dito isso, é importante que caso tenhas assistido a Candy, esqueças a série. Apesar de ser a mesma história, a HBO Max e a Hulu adaptam os mesmos momentos de maneiras diferentes, com grandes mudanças e pequenas mudanças. É bom não estares apegado ao que acontece em Candy quando fores assistir a Love & Death.

Candy Montgomery tem 29 anos, é esposa de Pat (Patrick Fugit), um engenheiro elétrico, e mãe de duas crianças. Frequenta a missa e participa em atividades da igreja, como o coro e voleibol. Cansada da sua rotina completamente aborrecida e ao sentir falta de atenção do marido, decide que quer ter um caso com Allan Gore (Jesse Plemons), marido de Betty, para ter um pouco mais de emoção na sua vida. Sem qualquer tipo de escrúpulos, decide perguntar-lhe se tem interesse em viver um affair após começar a sentir atração pelo homem. Então, dá-se o início dos encontro secretos entre ambos em 1978.

Como mencionei, a história passa-se na pequena comunidade de Wylie, interior do Texas, e os nossos protagonistas são todos frequentadores da Igreja local. Todos com um viés de conservadorismo. A maneira como certos assuntos são tratados na trama podem ser bastante constrangedores para quem está a assistir. Diferente de Candy, que tem um tom muito mais obscuro, Love & Death pode, em muitos momentos, ser caracterizada como comédia pelo constrangimento e leveza de certas cenas, mas não deixa de ser uma série que envolve um homicídio. Sendo sete episódios, houve bastante tempo para desenvolver tanto o relacionamento de praticamente todos os personagens entre si, mas principalmente de Candy e Allan, algo muito pouco explorado na outra série. O mesmo pode ser dito pela investigação do caso e todo o julgamento, que durou alguns dias, e do qual vemos diversas sessões. Também vemos todo o trabalho que o advogado de Candy, Don Crowder (Tom Pelphrey), teve durante este período.

A série possui bons atores, então pode-se esperar deles uma boa performance. É claro que Olsen é quem possui maior destaque ao longo dos episódios. No início ela tem a liberdade de fazer um papel ligeiramente cómico e pateta, mas conforme a trama se desenvolve e um tom mais dramático toma conta, é exigido bastante dela. O site Variety aponta que ela será uma das nomeadas para Melhor Atriz na categoria de Minissérie nos Emmys de 2023, argumento que não sei se será suficiente para levar a estatueta, sendo que possivelmente irá competir com nomes que já levaram para casa um Óscar, como Jessica Chastain e Rachel Weisz. Elizabeth Olsen pode frustrar-se novamente após ter perdido na mesma categoria por WandaVision, em 2021.

A minissérie leva como inspiração um artigo da Texas Monthly, Love and Death in Silicon Prairie (Parte I e Parte II), que contextualiza os envolvidos na trama e conta a história desde o início do affair até ao fim do julgamento. É uma leitura interessante para todos aqueles que querem saber da história com mais detalhes, sendo que alguns factos não ficaram tão explícitos na série.

Todos os episódios de Love & Death já se encontram disponíveis na plataforma de streaming HBO Max.

Melhor episódio:

Episódio 7 – Sssshh – É a grande conclusão deste evento que cativou os telespectadores por várias semanas. Neste episódio vemos finalmente a fatídica cena entre Candy e Betty que a série arrastou até ao episódio final.

Personagem de destaque:

Candy Montgomery (Elizabeth Olsen) – Não há como ser outra pessoa. Elizabeth é a peça principal desta história e tudo anda ao redor de Candy.

Temporada: 1
Nº Episódios: 7
6.7
8
Interpretação
6
Argumento
6
Realização
7
Banda Sonora

Publicidade

Populares

calendário estreias posters junho 2024

Clãs da Galiza Clanes Netflix

Recomendamos