Classificação

6
Interpretação
6.7
Argumento
6
Realização
5
Banda Sonora

[Pode conter spoilers]

Chegou à Apple TV+ no dia 8 de outubro uma comédia mexicana falada em espanhol e inglês, que dá pelo nome Acapulco. A narrativa centra-se em Máximo Gallardo (Eugenio Derbez/Enrique Arrizon) que neste episódio piloto conta ao seu sobrinho Hugo (Raphael Alejandro) a história de como conseguiu o seu emprego de sonho.

Desde os seus 8 anos e inspirado num dos seus vizinhos, que Máximo sonhava um dia trabalhar no Las Colinas Resort, tendo seguido a sua história ao longo dos anos. Um dia, em 1984, consegue uma entrevista e não vai deixar esta oportunidade escapar. Começa a trabalhar ajudando os clientes com os seus problemas e necessidades. Máximo é um jovem nos seus 20, sonhador, trabalhador, aplicado, gentil e determinado. Tem espírito de sacrifício e fará de tudo para se manter neste trabalho, apesar de vermos nele algumas duvidas relativamente a ser mesmo isto que ele deseja. O melhor amigo de Máximo é Memo (Fernando Carsa), um rapaz humilde, alegre e que fica feliz com pouco. Sara (Regina Reynoso) é a irmã de Máximo, uma rufia que gosta do irmão, mas não o demonstra e passa a vida a picá-lo com sarcasmo. Já a mãe de Máximo, Nora (Vanessa Bauche), gosta muito dos filhos, faz tudo o que por eles e é preocupada e humilde.

Nos 36 minutos que tem este episódio piloto vemos abordadas diversas temáticas ainda que de uma forma leve e descontraída. Entre elas aquilo que por vezes arriscamos para fazer um bom trabalho, os valores pessoais e até que ponto seremos capazes de os pôr em causa e ainda os amores impossíveis. Agradou-me especialmente o facto de o emprego de sonho do nosso protagonista ser na área da hotelaria e da ação de passar nos anos 80, o que ainda me chamou mais à atenção.

No que diz respeito aos aspetos técnicos, a banda sonora é maioritariamente constituída por música latina e música dos anos 80, o que nos transporta para atmosfera mexicana. Ao nível da imagem predominam as cores quentes alusivas ao verão, bem como um estilo de filmagem caraterístico da época em que se passa a ação.

O episódio é leve, portanto podemos ver em qualquer altura. Não exige um nível de concentração elevado por parte do espetador, sendo ideal para ver como forma de relaxar. Não é uma série espetacular, mas dá bem para entreter. Apesar de não ser uma série que entrou na minha lista de prioridades para um futuro próximo, deixou-me curiosa para ver os restantes episódios e com certeza o farei em momentos de mais cansaço.

Inês Rodrigues