Classificação

8
Interpretação
7.7
Argumento
7.5
Realização
5
Banda Sonora

[Pode conter spoilers]

No passado dia 7 de setembro de 2021, estreou no FX o primeiro episódio da 3.ª temporada de Impeachment: American Crime Story. Esta temporada centra-se na época do governo de Bill Clinton e nas acusações de assédio sexual e escândalos de que foi alvo e prevejo pelo seu piloto que terá uma grande carga de drama.

O episódio inicia-se em janeiro de 1998, apresentando acontecimentos que aparentam ser do final da temporada, havendo depois um flashback de cinco anos para que possamos entender toda a história e o seu culminar. Linda Tripp (Sarah Paulson) inicialmente trabalha na Casa Branca, como assistente do advogado e deputado Vincent Foster, e ao longo do episódio vamos entendendo o verdadeiro carácter desta personagem. Aparentemente simpática, revela-se perspicaz, vingativa, sabe bem o que quer e não olha a meios para o conseguir. Fará de tudo para garantir a sua segurança e bem-estar, mesmo que isso tenha impacto negativo nos que a rodeiam. Monica Lewinsky (Beanie Feldstein) é uma jovem mulher humilde, generosa e simpática, que também trabalhava para a Casa Branca. As duas encontram-se quando são transferidas para o Pentágono e criam laços, que são danificados quando Monica sofre as consequências da personalidade de Linda. Paula Jones (Annaleigh Ashford) é uma mulher casada que aparenta estar submissa na sua relação com o marido, trabalhadora e um pouco insegura, que acaba envolvida num escândalo com Bill Clinton e se vê obrigada a clarificá-lo publicamente.

Este episódio aborda diversos temas relacionados com a política como o poder, a ganância, o escândalo e a revolta contra o presidente, dando-nos a conhecer o lado da política que não é mostrado ao público. Apreciei bastante o facto de não terem focado o primeiro episódio em Bill Clinton, mesmo que o grande tema da temporada seja uma polémica centrada nele. Acho importante ver a história ser apresentada na perspetiva das mulheres. Vemos também a forma como a imprensa age e as consequências que o conteúdo que publica tem para as pessoas envolvidas. Apresenta-se como uma instituição em constante busca de um escândalo que faça render, sendo uma representação da sociedade capitalista e muito focada no dinheiro. Um outro tema fundamental aqui presente é o do assédio sexual e de como as mulheres, ainda mais nos anos 90, eram pouco protegidas e tinham até algum medo de falar sobre o que lhes tinha acontecido.

Em termos técnicos destacam-se efeitos sonoros alusivos ao mistério e ao drama e as cores neutras que nos transportam para os anos 90 e encaixam perfeitamente na temática não tão feliz que é retratada.

Este primeiro episódio é muito rico nas temáticas que aborda, cativante e mantém o espectador atento do início ao fim. Apesar de não ser um tipo de série que costume ver, ela conseguiu chamar a minha atenção, manter-me interessada e curiosa para ver o que ia acontecer, estando agora bastante expectante para perceber como se vão desenrolar os próximos acontecimentos. Ótima série para os curiosos que queiram entender o que realmente aconteceu com Bill Clinton e as mulheres que o rodeavam.

Inês Rodrigues