Classificação

6.5
Interpretação
5
Argumento
6
Realização
7
Banda Sonora

[Não contém spoilers]

Love Child é uma série australiana, que estreou em 2014 e terminou em 2017, contando com quatro temporadas. Em território nacional, estreará hoje, dia 12, no AXN White, que transmitirá todas as semanas um novo episódio desta 1.ª temporada.

A série passa-se em King’s Cross (Sidney), na Austrália, no ano de 1969. Neste ambiente, conhecemos a vida de jovens mulheres na época da revolução sexual e da emancipação das mulheres, que lutam por mais liberdade por parte da sociedade e dos sistemas governamentais, que não lhes querem dar direitos dignos. Especificamente, a série foca-se em duas localizações: a casa para jovens grávidas, Stanton House, e o hospital universitário King’s Cross. O grande tema que interliga as personagens é a gravidez jovem e a forma como estas grávidas são tratadas, pelos pais, pelo hospital e pelas leis governamentais do país.

Em Stanton House, vivem jovens que engravidaram inesperadamente, muitas vezes fora de um casamento, tendo sido levadas a viver nesta casa pelos pais, como forma de esconder a gravidez e o parto, considerados uma vergonha para a imagem da família. Os filhos que nascem nestas condições são denominados “love child”, dando nome à série. Acompanhamos a chegada de Vivian Maguire (Sophie Bloom) a esta instituição, e a partir dela conhecemos outras jovens mães, na mesma situação.

Por outro lado, acompanhamos também Joan Miller (Jessica Marais), uma jovem enfermeira que regressa de Londres, para trabalhar no Hospital King’s Cross. É interessante acompanhar o contraste entre esta enfermeira, habituada à vida moderna e liberal londrina, e a vida das mulheres australianas, que aparentam ainda estar presas umas décadas antes. A Joan vai ser o elemento catalisador, que tenta mudar a forma como tudo é feito e como as mulheres são tratadas, ao mesmo tempo que se tenta aproximar cada vez mais das suas pacientes, ajudando-as no processo de gravidez e do parto. Para mim, foi a personagem mais interessante e com mais potencial, pois é a personagem que interliga a vida na Stanton House com a vida dos enfermeiros, no ambiente hospitalar.

No geral, é uma série muito fácil de ver e muito focada nas personagens, – na sua vida, altos e baixos, amores e desamores -, abordando um tema social muito importante, principalmente para a época. Inclusive, o tema dos direitos das mulheres acabou até por ter um pedido de desculpas, em 2013, pela primeira-ministra, pelos danos causados a todas as mulheres dos anos 1970, consequências das leis proibitivas impostas pelo governo da altura.

Gostei muito do ambiente da série, com muitas referências aos anos 1960-1970, com um guarda-roupa característico e uma obsessão geral da população por Mick Jagger. Não acho que as personagens sejam más, mas também não fiquei presa a nenhuma delas, nem ansiosa para saber o que acontecerá de seguida. Sou capaz de ver a série de forma casual mas, neste momento, não fiquei apaixonada. Nota-se que a série já tem uns anos, porque me recordou de muitas séries do género que saíram na altura, um pouco dramáticas, estilo novela, mas não chegando ao ponto de ser demasiado dramáticas.

Podes acompanhar os novos episódios da série australiana Love Child a partir de hoje e todas as quartas-feiras, a partir das 21h25, no AXN White.

Ana Oliveira