Classificação

7
Interpretação
8
Argumento
8
Realização
7
Banda Sonora

[Pode conter spoilers]

Equinox, a nova aposta da Netflix para o final do ano, chegou-nos diretamente da Dinamarca no passado dia 30 de dezembro, com este primeiro episódio The Last Day. Trata-se de um mistério dinamarquês que conta com seis partes e que combina elementos de drama familiar com uma investigação que tem tudo para acabar mal (misturando pelo meio algum terror).

Equinox não espera pelo final e The Last Day começa logo com o mistério central da temporada. Em 1999, um grupo de alunos recém-formados embarca num autocarro para uma aventura divertida e de comemoração. Ou pensavam eles que assim seria, pois tragicamente quase todos os alunos dos 25 que embarcaram desaparecem sem deixar qualquer rasto. Entre estes alunos está Ida (Karoline Hamm), a irmã da protagonista, Astrid (Danica Curcic). Está então dado o pontapé de partida para a nossa história.

À partida pensei que seria mais um thriller comum de investigação policial sobre um acontecimento passado trágico, mas rapidamente me apercebi, e ainda bem, que há mais qualquer coisa aqui para explorar (se virem vão-se aperceber do que falo). Visões, pesadelos, acontecimentos estranhos, entre outros, fazem-nos perceber que de normal isto não tem nada.

Este episódio de abertura teve um início bastante interessante, mas rapidamente se conteve e os seus acontecimentos passaram a desenrolar-se a um ritmo mais lento, como é normal numa série deste tipo (mais dark e de suspense). Está claro que a história e o ritmo ainda não conseguiram nestes primeiros 40 e poucos minutos apresentar-se ao público a um nível consistente, mas acredito que isto irá mudar nos próximos episódios.

Ainda há muito para explorar e muito pouco se sabe sobre o que se passou e o que se passa. A investigação ainda não se estreitou, havendo muitas ideias e temas diferentes com muita pouca coesão entre si. Não há ainda um qualquer caminho concreto a ser seguido, mas existem informações mais do que suficientes para nos deixar curiosos. Eu pelo menos fiquei.

Todo o ambiente aqui montado também é bastante interessante, estando evidente o lado sombrio e temperamental, fazendo com que todos os acontecimentos pareçam ainda mais pesados e aterradores pelo ambiente em que estão inseridos.

Equinox deu assim, neste primeiro episódio, a oportunidade aos espectadores de acompanharem a história sem conseguirem fazer suposições e conexões (que façam sentido), nas próprias cabeças, sobre o que vai acontecer e como tudo isto vai terminar, pois tudo está muito difuso e complexo. Acho que nos dias que correm, em que há muita variedade e muita coisa é bastante previsível, ter uma série assim é sempre bom. Se puderem deem uma espreitadela!

Filipe Tavares