Classificação

8
Interpretação
8
Argumento
8
Realização

[Livre de spoilers]

Barbarians é uma série histórica alemã que estreou dia 23 de outubro na Netflix com o piloto Wolf and Eagle. A série retrata a época em que as tribos que constituem os povos germânicos entraram em guerra com o Império Romano. Barbarians foi criada por Andreas Heckmann, Arne Nolting e Jan Martin Scharf e é protagonizada por Jeanne Goursaud e David Schütter. Para já encontra-se disponível na plataforma de streaming uma temporada com seis episódios, tendo cada um uma média de 50 minutos.

Um aspeto que deve desde já ser destacado é o facto de Barbarians ser uma série que simultaneamente é verídica e fictícia, uma dualidade que tem estado cada vez mais presente nas plataformas de streaming. Esta dualidade explica-se pelo facto de que, por um lado, trata-se de uma série histórica que remonta ao início do século I, no qual houve um duelo entre os povos germânicos (chamados bárbaros) e o Império Romano. Deste modo baseia-se em factos reais, mas por outro lado há também um elemento presente de ficção que se desenrola em personagens que não têm uma existência baseada na vida real, mas que surgem desenvolvidos neste contexto histórico.

Além disso, na minha opinião, o piloto de Barbarians convence o leitor a ver o resto dos episódios. O espectador é impulsionado a querer ver a continuação desta tão intrigante narrativa. O que irá acontecer? Irão os bárbaros derrotar o Império Romano, mesmo que em clara desvantagem? É por este tipo de questões que mesmo quem não for um típico adepto do género histórico (como eu) acaba por querer fazer binge watching desta série, que por ter só nove episódios passa a correr. As personagens são também outro fator determinante. Isto porque são muito bem construídas; nesta série algo que nunca se encontra são personagens ocas. Todos os personagens têm um carácter forte que os distingue facilmente dos outras, têm ambições, desejos, são complexos. Isto é logo percetível no piloto. Ninguém surge nesta história por acaso, todos estão conectados entre si de uma forma ou outra.

Por último, algo que tenho ainda a apontar favoravelmente é o facto desta série ter uma história tão vincadamente sua, que a distingue de todas as outras. O facto de ser tão diferente leva a audiência a sentir-se intrigada e atraída pela mesma. Algo que também contribui para esse fascínio são as imagens incríveis, de cortar a respiração, dignas de uma obra cinematográfica, que Barbarians apresenta. E a realização da série está tão bem conseguida que o espectador, imerso na trama, esquece por momentos que o que está à sua frente é ficção. Os sentimentos são expressos com tamanha intensidade pela representação impecável e realista dos atores que tal é possível.

Por todos estes motivos e mais alguns aconselho vivamente esta série. Embora, como já disse, não seja o tipo de série que costumo ver, admito que me deixou curiosa e por isso não me consegui ficar pelo piloto. E logo por aí percebe-se o quão viciante e cativante é Barbarians.

Liliana Ferreira