Iron Fist – 01×01 – Snow Gives Way
| 18 Mar, 2017

Contém Spoilers!

Aí está a série que faltava! Depois de Daredevil, Jessica Jones e Luke Cage, Iron Fist é o defender que faltava apresentar. Todos juntos, estes quatro heróis formam os The Defenders, um grupo de heróis que protege Nova Iorque, mas não é sobre eles que vamos falar, é sim sobre Iron Fist.

Ao contrário das apostas anteriores da Marvel na Netflix, o episódio piloto desta série é algo soft, sem grandes extravagâncias, o episódio mostra-nos o que parece ser um sem-abrigo louco que afirma ser bilionário, mas a verdade é que esse sem-abrigo é de facto Danny Rand, um bilionário que se julgava estar morto há 15 anos, depois dele e os seus pais terem sofrido um acidente aéreo nos Himalaias.

Na altura do acidente, Danny tinha 10 anos de idade; agora, com 25 anos, está de volta a Nova Iorque, à cidade que o viu nascer. O seu regresso tem um propósito, falar com Harold Meachum, o sócio do seu pai e atual presidente da empresa da sua família. O que Danny não sabia é que não é Harold quem gere as suas empresas, mas sim o seu amigo de infância, Ward Meachum em parceria com a sua irmã, Joy Meachum.

Danny invade o prédio da empresa, luta com uns seguranças na entrada, dominando-os com uns golpes de artes marciais, e sobe até aos escritórios, onde descobre que o amigo e sócio do seu pai morreu há 12 anos vítima de cancro. Mas a visita é tudo menos agradável, pois o seu ar sujo e desmazelado e as afirmações de que é o rapaz que morreu há 15 anos leva a que os seus amigos de infância, Ward e Joy, desconfiem dele e tenham até nojo.

Sem sucesso, no escritório, Danny tem de arranjar uma maneira de conseguir falar ou com Joy ou com Ward e daí decide visitar a sua antiga casa, a casa onde nasceu. Com a porta trancada, Danny salta de uma forma espantosa para a varanda do primeiro andar do prédio, entrando pela janela. Já lá dentro, Danny descobre que a sua antiga casa agora pertence a Joy e, ao chegar ao terraço, este tem algumas lembranças da sua infância com Ward e Joy, onde podemos perceber que a relação entre Danny e Ward nunca foi das melhores, e Ward, sendo cinco anos mais velho que Danny, sempre rebaixou o pobre rapaz, batendo-lhe e culpando-o de coisas que não fazia.

No dia seguinte, Danny tenta falar com Joy a sós quando esta está a sair de casa, mas uma vez mais sem sucesso e, ao afastar-se da amiga de infância, quase é atropelado. Só não o é porque dá um salto com um mortal por cima do táxi e foge a correr.

Os poderes de Danny são especiais e tudo isto se deve aos ensinamentos que teve após o acidente nos Himalaias. Segundo o próprio, ele está encarregue de uma missão, a de proteger K’un-Lun de toda a opressão, honrar o sacrifício de Shou-Lao, o Imortal, afirmando também ter sido treinado pelo Mestre Lei Kung, o Trovão. Quem são estes? Não sabemos, aliás, estas suas afirmações dão ainda mais apoio à ideia de este ser apenas um sem-abrigo louco.

Como é óbvio, sabemos que não se trata de um sem-abrigo louco e, no meio de toda esta loucura de voltar dos mortos, lembram-se de no início da review ter dito que Harold Meachum, pai de Ward e Joy, estava morto? Pois bem, afinal não está, Harold está vivo e bem vivo! Harold está a viver num apartamento de luxo, com uns acessórios particularmente interessantes, sacos de boxe e outras peças ligadas às artes marciais e o mais estranho ainda: ele vive com um assistente em sua casa e, no fundo, quem controla as empresas da família de Danny, não é Ward, não! Ward apenas dá a cara, pois quem diz o que fazer e como fazer é o seu pai que, uma vez mais, vai ‘ensinar’ Ward a como fazer as coisas, desta vez como apanhar Danny, e o plano resulta!

Na infância, Danny e Joy sempre se deram bem e, ao saber disso, Harold prepara um plano envolvendo a sua filha, desconfiando que Danny tente encontrar-se com ela uma vez mais; esta tem de o drogar de forma a deixá-lo inconsciente para que possa ser internado num hospício e assim acontece.

Comparando este piloto aos de Daredevil, Jessica Jones ou mesmo Luke Cage, é evidente que este é o mais fraco dos quatro. No entanto, não deixa de ter a sua essência. Iron Fist é mais à base das artes marciais, com um toque sábio de provérbios budistas que dão outro tom à série, o mistério quanto ao seu passado, como é que aprendeu artes marciais? Onde aprendeu mandarim? Porque é que só voltou agora? Terá Harold algo a ver com o acidente? São algumas das perguntas que nos fazem querer continuar a ver a série e, visto ser uma série da Netflix, é caso para dizer que é mais um binge watching na certa!

João Montez

Publicidade

Populares

calendário estreias

Recomendamos