Legacies – 04×04 – See You On The Other Side
| 11 Nov, 2021

[Contém spoilers]

Foi na passada sexta-feira que o canal The CW exibiu, por fim, o último episódio pensado para a 3.ª temporada de Legacies. Intitulado See You On The Other Side, este novo capítulo da série (que havia sido concebido como season finale) traz consigo a – aparente – conclusão da storyline de Malivore, ao mesmo tempo que lança uma emocionante premissa para episódios futuros.

Neste mais recente capítulo, Hope debate-se com a sua nova realidade, após os eventos de We All Knew This Day Was Coming. Entretanto, Alaric pede ao Super Squad que trabalhe em conjunto, enquanto, na escuridão de Malivore, Cleo e Landon procuram uma forma de escapar antes que seja demasiado tarde. Por fim, MG divulga informações importantes a Lizzie e Finch vê um lado diferente de Josie.

Confesso que, apesar do meu recente otimismo – reticente e sempre cauteloso – em relação ao futuro de Legacies, antecipava já que este novo episódio ficasse um pouco aquém das minhas expectativas. Afinal de contas, todos “sabemos o que a casa gasta” no que diz respeito a esta série, pelo que sabemos também que dificilmente teríamos dois bons capítulos de seguida. Ainda assim, já me conheces: não tenho quaisquer reservas em dar crédito quando este é merecido e a verdade é que (neste nosso panorama, pelo menos), See You On The Other Side é um episódio acima da média.

Isto deve-se, em grande parte, ao holofote colocado sobre Hope, personagem que esteve esquecida enquanto protagonista até recentemente. Se bem te recordas, a jovem Mikaelson deu início à sua transição para tríbrida completamente ativada no episódio anterior, tendo sido raptada por Kaleb e levada a Malivore antes de poder concluir este processo. É neste contexto que a encontramos novamente em See You On The Other Side: sem poderes, em período transitório, aprisionada pelo nosso vilão.

Sem perder muito mais tempo, eis um breve resumo daquilo que a nossa protagonista enfrentou, ao longo deste episódio: primeiro, Hope consegue libertar-se do local onde Malivore a mantém cativa, procedendo a alimentar-se de Alaric de modo a completar a sua transição. Em seguida, a personagem mata o vilão e, consequentemente, o seu namorado, sendo que este último acontecimento a leva a tomar a decisão de utilizar os seus recém-adquiridos poderes enquanto vampira para desligar a sua humanidade. Agora que estamos todos a par das circunstâncias, tenho a dizer que estou bastante satisfeita com esta storyline para Hope, ainda que tenha as minhas reticências em relação a alguns aspetos, nomeadamente a razão que leva a personagem a tomar esta importante decisão.

Não é segredo que não sou a maior fã da relação de Hope com Landon, mas desta vez o meu problema não se prende propriamente com o romance em si. Na realidade, entendo perfeitamente o porquê da escolha da nossa protagonista; afinal de contas, falamos sobre uma personagem que já perdeu imenso na sua curta vida e que se vê agora forçada a colocar um termo à existência de alguém que ama. É algo bastante humano, não querer sentir o tipo de emoções associadas a tal escolha. O que me incomoda, na verdade, é a falta de coerência demonstrada a nível argumentativo, tendo o episódio anterior visto Hope a aceitar a inevitável perda de Landon (e Cleo) – algo que foi completamente esquecido, neste capítulo da série.

Ainda assim, estava disposta a olhar para o lado. Afinal, este não é de todo o pior crime cometido por Legacies até à data – não, esse lugar é ocupado pela incapacidade crónica desta série de se comprometer a algo e aceitar verdadeiras e duradouras consequências para as situações em que coloca os seus personagens. Todo o trauma vivido por Hope e os sacrifícios que a jovem Mikaelson teve de fazer para salvar aqueles que ama aparentam ser em vão, uma vez que Malivore foi derrotado (mas nem por isso, encontrando-se numa espécie de limbo com Ted) e Landon se encontra morto (mais uma vez, nem por isso, aparecendo na sinopse de episódios futuros). Este back and forth constante causa danos à série, tendo um grande impacto na forma como algumas narrativas são percecionadas pela sua audiência. Neste caso em particular, o desligar das emoções de Hope acabou por não surtir o efeito desejado, tendo ficado aquém das expectativas devido à repetição dos eventos que antecederam o momento.

No entanto, se me desconectar um pouco destes aspetos menos positivos – o que acaba por ser fácil, dada a minha saturação tanto com Landon, como Malivore – consigo apreciar uma coisa: Hope é finalmente uma tríbrida e só isso importa. Consigo aceitar um set up pouco satisfatório se Legacies se mostrar capaz de fazer jus à narrativa de Hope sem a sua humanidade e, se este episódio foi indicativo do que está para vir, parece-me que finalmente me vou poder entusiasmar de novo com esta série. Adorei a cena em que a nossa protagonista acorda desta sua transição, os seus sentidos sobrecarregados pela ativação do seu lado enquanto vampira. Achei-a bastante bem realizada e interpretada, sendo claro que Danielle começa agora a ter mais abertura para explorar os seus dotes enquanto atriz neste papel (algo que não acontecia há muito, quiçá desde The Originals). Isto torna-se ainda mais evidente no momento em que a personagem revela a Alaric que resolveu desligar as suas emoções e que pretende afastar-se da Salvatore School por uns tempos, chegando mesmo a ameaçar o Dr. Saltzman. Há algo de delicioso em ver os momentos negros dos nossos protagonistas e, da mesma forma que adorei ver Elena sem a sua humanidade em The Vampire Diaries, antecipo acompanhar Hope nesta sua nova jornada.

Como sabemos, apesar da sua tentativa em isolar-se, Hope não estará só. Pois é, pessoal, Claire Holt regressa já no próximo episódio no papel de Rebekah Mikaelson. Confesso que apesar de adorar Freya, Rebekah sempre foi a minha favorita, pelo que há muito aguardava o seu retorno a este universo. Estou bastante entusiasmada em ver de que forma a personagem tentará ajudar a nossa protagonista e se terá (ou não) algum sucesso nesta sua missão.

Mas voltemos a Malivore; afinal, teremos bastante tempo para falar sobre Rebekah dentro em breve. Conforme mencionei, o personagem é derrotado por Hope neste See You On The Other Side e devo dizer que a expressão que o vilão tinha quando viu a nossa protagonista na sua forma final pela primeira vez não teve preço. De facto, retirei uma dose saudável de gratificação deste momento, que rapidamente diminuiu ao perceber que Malivore se encontra preso no limbo com Ted e que os dois procuram uma forma de sair desta nova prisão. Como podes calcular pelos meus comentários anteriores, não estou nada satisfeita com esta “morte” de Malivore, mas sinto algum conforto em saber que, pelo menos no futuro próximo, não teremos de lidar com esta storyline.

Infelizmente, nem tudo são boas notícias. De acordo com o previsto em We All Knew This Day Was Coming, Josie e Finch reataram a sua relação e, muito sinceramente, estou bastante frustrada com o sucedido. Legacies utilizou o facto de Josie procurar uma forma, através de magia negra, para trazer Cleo e Landon de volta para o seu plano de existência para assinalar o regresso de Dark Josie, a manifestação do conflito interno da jovem Saltzman. Ainda que esta narrativa não seja dotada dos seus problemas, a série tem utilizado Dark Josie para explorar e desenvolver Josie enquanto personagem, levando-a a concluir que este seu lado negro será sempre parte de si. Ora, após o sucedido no episódio anterior, que nos trouxe o icónico discurso emancipatório de Josie, a última coisa que esperava neste novo capítulo era que a série deitasse por terra todo o progresso da personagem ao utilizar este seu lado como um estratagema para reatar a sua relação com Finch, que decide agora ser capaz de amar Josie para lá dos seus problemas, apesar de nada ter ocorrido na série de modo a indicar esta mudança de perspetiva por parte da lobisomem. As duas personagens partilham ainda uma cena íntima pontuada por fogo de artifício, levando-me a crer que Legacies tem tanta fé na química entre estas personagens como eu tenho num futuro risonho para a sua relação.

Por fim, Ethan é agora um ser sobrenatural porque… Bem, porque não? Há muito que a série provou não prestar grande atenção às regras do sobrenatural, por isso não me impressiono – apesar de discordar. Acredito que Legacies necessita de uma presença mais acentuada da sua fação humana, de modo a criar um contraste necessário com os seres sobrenaturais que tem como foco, mas os seus argumentistas aparentam discordar. Ah, e Kaleb reteve os poderes do dragão que o possuiu, portanto também teremos de lidar com isso. Pelo menos tem uma nova oportunidade com Cleo, que regressa agora à Salvatore School.

De um modo geral, e apesar do meu mau humor habitual, acredito que este foi um bom capítulo para a série. Apesar de ter alguns problemas com este episódio, acredito que lidou de modo positivo com a transição de Hope e com as escolhas tomadas pela personagem. Espero que Legacies se mostre capaz de fazer jus à narrativa da jovem Mikaelson ao longo dos capítulos vindouros e que o processo de trazer Hope de volta seja feito de modo gradual. Gostaria de ver Hope sem a sua humanidade durante, pelo menos, meia temporada, sendo que a restante lidaria com as consequências desta sua decisão, mas veremos o que o futuro reserva. Por agora, sinto-me satisfeita com a série e, pela primeira vez em algum tempo, ansiosa por um novo episódio.

Legacies regressa já esta semana com um novo episódio, I Thought You’d Be Happier To See Me, que assinala o retorno de Rebekah Mikaelson ao universo de The Vampire Diaries. Até lá, podes rever todos os episódios de Legacies na plataforma de streaming HBO Portugal.

Inês Salvado

Publicidade

Populares

calendário estreias

Recomendamos