Classificação

7.5
Interpretação
6
Argumento
7
Realização
6
Banda Sonora

[Contém spoilers]

Com a estreia dos últimos três episódios numa semana, File #8, #9 e #10, NeXt chega ao seu final. E, com muita pena minha, ainda bem que assim foi. Esta era uma série para a qual eu tinha muitas esperanças mas que acabou por se perder e não apresentar a temporada que prometeu nos episódios iniciais.

Começando pelo final, tenho opiniões um pouco contraditórias. Por um lado, acho que a ideia de um sacrifício para salvar a humanidade é um final usado demasiadas vezes em televisão, e não só, para demonstrar o fim triste e altruista da jornada do herói. No entanto, acho que até resultou minimamente bem, porque realmente não conseguia ver o Paul a seguir com a sua vida sem destruir a neXt, mesmo que tivesse que pagar com a sua vida. Por outro, e isto representa outro lado da questão, acho impossível que uma inteligência artificial desta dimensão não se tenha multiplicado para imensos servidores e seja possível de ser destruída fisicamente, porque está toda armazenada num único local físico. Vai um pouco contra tudo o que fomos aprendendo sobre a neXt ao longo da série.

Voltando agora um pouco aos eventos destes três episódios, acho que foi um típico caso da produção querer deixar o melhor para o final. Como já disse anteriormente, a esta altura do campeonato é verdade que já não estou tão investida nas personagens e na história como no início e acho que nada iria conseguir mudar isso. Mas, apesar de continuar a achar que estes episódios não se comparam aos iniciais, pelo menos foram coerentes e mantiveram-me interessada. Não apresentaram imensas histórias desnecessárias e conseguiram evoluir personagens, como foi o caso da Gina e da sua infiltração na NSA. Finalmente conseguiram dar um propósito verdadeiro à personagem, apesar de, claro, ser sempre uma história que serve a história principal. Mas, não sendo uma personagem principal, fiquei contente com este progresso.

Acerca das personagens, tanto as suas interações em grupo nestes últimos episódios, como a forma como cada uma evoluiu, era exatamente o que eu esperava delas durante o decorrer da temporada. Assim, pareceu tudo um pouco rápido demais. Mesmo assim, acho que todos os atores fizeram um bom trabalho, especialmente John Slattery e Fernanda Andrade, como Paul e Shea. Espero vê-los em futuras séries pois são atores que com um bom guião conseguem brilhar.

Apesar do final do episódio de NeXt, File #10, ser um final satisfatório deixaram-nos a pista para algo mais, provavelmente a pensar na possibilidade da série ser renovada. Neste último episódio, foram apresentadas várias indicações que sugerem que Paul está vivo, tal como a doação anónima em nome da filha e a última cena do episódio, onde vemos alguém a pegar numa hard-drive do lixo. Por imagens que vi na Internet dessa cena, aparentemente é mesmo o reflexo de Paul no ecrã. Percebo que esta seria a decisão mais lógica se a série fosse renovada, porque a série não existiria sem Paul. No entanto, com a série cancelada, prefiro o final com o sacrifício de Paul e sem ele ter conseguido escapar de forma miraculosa. Acho que é um final marcante que consegue honrar a personagem principal.

Em conclusão, acho que a ideia original de NeXt tem muito potencial mas teria resultado melhor em formato de filme ou minissérie. Os primeiros e os últimos episódios foram interessantes, apesar de apresentarem algumas falhas. Se a série tivesse sido só esses episódios teria sido consideravelmente mais interessante, principalmente se a equipa estivesse sempre junta, o plot fosse conciso e coerente, e as personagens tivessem espaço para se desenvolverem, como vimos acontecer nestes últimos episódios.

Ana Oliveira