The Mandalorian – 01×08 – Chapter 8: Redemption
| 05 Jan, 2020

Publicidade

[Contém spoilers]

Desculpem o atraso da review, mas com festividades foi complicado ver séries. Mas mais vale tarde que nunca e aqui está a análise do último episódio da 1.ª temporada de The Mandalorian, Chapter 8: Redemption! Espero que quando a nova temporada começar no outono deste ano que já esteja a ver os episódio em alta definição no Disney+ (mal posso esperar por ver Rei Leão e todos os filmes da minha infância sem ser com aquela qualidade muito mediana dos DVDs!).

Minha gente, mas que final de temporada soberbo foi este! Tivemos de tudo: ação, nostalgia, comédia, suspense… Não é isso que uma pessoa quer?

Ora o episódio começa momentos após os acontecimentos do episódio 7. Moff Gideon e os stormtroopers estão a cercar Greef Karga, Cara Dune e Mando. O mais assustador é que Gideon sabia a identidade deles todos. Sabia que Cara era de Alderaan (o planeta destruído por Darth Vader que era também o planeta onde a Princesa Leia cresceu) e o verdadeiro nome do mandalorian, Din Djarin e Karga um homem caído em desgraça. No entanto, Mando também sabe quem é Gideon. O seu nome estava na lista para ser executado pela Nova República. Ele fazia parte da polícia do Império e comandou o ataque ao Mandalore e quase destruiu a espécie dos mandalorians. Agora como é que esta criatura escapou à morte é que eu gostava mesmo de saber. Espero bem que não tenha morrido.

Mando odeia droides, isso é certo e sabido. Mataram os seus pais e quase lhe deram o mesmo destino quando o seu planeta estava a ser atacado durante a famosa Guerra dos Clones. Na altura, Din foi salvo por um mandalorian e quando chegou a altura fez o juramento. Desde aí nunca mais ninguém o viu sem o capacete. Até este episódio.

Depois da morte de Kuiil (sim, ele morreu mesmo!), foi IG-11 que salvou o dia (em tudo), ao resgatar o nosso querido bebé Yoda dos stormtroopers (morri a rir quando eles estavam aos tiros e nenhum deles conseguia acertar no alvo! Stormtroopers: péssimos atiradores do início ao fim).  Excelente sequência de IG-11 a recuperar a Criança das garras do Império e ao mesmo tempo a ajudar e muito o trio maravilha a safar-se daquela alhada que parecia não ter salvação possível. Achei toda a cena espetacular, com o bebé Yoda a impedir a morte de todos mais uma vez (cada vez fico mais impressionada com os seus poderes!) mas Mando fica gravemente ferido graças a Moff Gideon ao ponto de pedir a Cara Dune que proteja a Criança.

Sou-vos sincera. Fiquei ligeiramente desiludida por Mando não ter tirado o capacete em frente ao bebé Yoda. Os mandalorian podem mostrar os rostos em frente à família. Mas enfim. Também teve o seu quê de especial mostrar-se a uma espécie que ele abomina, a um droide. Os droides mataram-lhe a família. Um droide salvou o bebé Yoda e salvou-o de morta certa.

Finalmente, finalmente houve alguma abordagem em relação às origens dos poderes da Criança, que nenhum deles parecia entender de maneira nenhuma. A Armoror explica e fala-lhes dos Jedi, uma ordem inimiga dos Mandalorianse explica que o dever de Mando é educar a Criança até chegar à maioridade e/ou procurar a sua família, a sua espécie, o que já nos indica o que esperar da segunda temporada da série.

A última aquisição de Mando, presente da Amoror, permite-lhe voar, o que acaba por dar uma luta fantástica entre ele e Moff Gideon na sua nave. Adoro as cenas de luta com Mando, Pedro Pascal está realmente brilhante nestas cenas. No final, é mais uma vez IG-11 que consegue safá-los ao auto destruir-se e matar os stormtroopers que os esperavam no final do rio de lava. O seu dever fora cumprido. O bebé Yoda estava em segurança.

Já todos sabíamos que Moff Giden não tinha realmente morrido com a queda da nave. Não há corpo, não há morte. Porém digo-vos que não estava nada à espera que ele saísse dali com o sabre negro! O sabre negro pertencia a Tarre Vizsla, o primeiro Mandalorian a ser introduzido à ordem dos JediComo é que ele conseguiu aquilo, meu Deus?

Foi um excelente final de temporada para uma série que teve a sua estreia em grande, depois ficou um pouco – ou demasiado – morna mas que arrebita e recupera nos últimos episódios. Sem dúvida das melhores estreias de 2019. Estou muito curiosa com a chegada da 2.ª temporada, para saber que aventuras aguardam Mando e ao seu protegido e que mais elementos do universo Star Wars nos serão apresentados. Agora vai ser uma longa espera até ao outono…

Maria Sofia Santos

Publicidade

Populares

calendário estreias posters junho 2024

Clãs da Galiza Clanes Netflix

Recomendamos