Classificação

9
Interpretação
9
Argumento
9
Realização
8
Banda Sonora

“Friendship isn’t a big thing – it’s a million little things”

Jon, Eddie, Rome e Gary são um grupo de amigos que se conhece após se verem obrigados a ficar horas dentro de um elevador avariado. Apesar de terem personalidades e estilos de vida bastante diferentes, aquele estranho acontecimento serviu para os unir e, desde então, encontram-se regularmente para ver jogos de hóquei no gelo ou beber uma cerveja. Isto até Jon surpreender toda ao gente ao suicidar-se, atirando-se da varanda do edifício onde trabalha. Ao depararem-se com esta tragédia os três amigos ganham uma nova perspetiva sobre as suas vidas.

A Million Little Things surpreendeu-me bastante com este primeiro episódio! Encaixa-se perfeitamente na categoria de drama familiar e este é, admitidamente, um dos meus géneros favoritos de televisão. Conseguiu deixar-me com uma sensação de aconchego e familiaridade ao apresentar-me estas personagens tão simples mas tão multidimensionais, ao mesmo tempo. Jon, por exemplo, aparentava ser das pessoas mais positivas entre o grupo: nos vídeos filmados por Rome, Jon acabava sempre com uma frase inspiradora do género Life’s too short not to be happy e, no entanto, ninguém suspeitava como se sentia interiormente. Ou Gary, que é o amigo que está sempre pronto para fazer piadas, mas que, na verdade, se sente aterrorizado pela possibilidade do cancro que teve na mama poder voltar.

Outro dos pontos que me conquistou na série foi o tema da amizade, especialmente a amizade entre estes quatro homens. No fim do episódio, Rome, Eddie e Gary apercebem-se de que apesar de se conhecerem há dez anos e terem regularmente mantido contacto, não sabem realmente o que se passa na vida uns dos outros porque não falam dos seus sentimentos e emoções. Se falassem talvez tivessem uma ideia do que Jon estava a passar e o pudessem ter ajudado mais. Este tema mexeu bastante comigo porque quantos de nós sabem realmente as situações pelas quais os nossos amigos estão a passar? Muitas vezes é difícil quebrar essa barreira e conseguir conectarmo-nos verdadeiramente com a outra pessoa.

A única coisa que me deixou um pouco de pé atrás foi um pouco de drama desnecessário com o uso de traições, que é um tema demasiado utilizado em televisão. No entanto, este é apenas o piloto e acredito que servirá eventualmente para desenvolver as histórias e as interligações entre as personagens, não sendo completamente irrelevante.

Familiar, acolhedor, divertido e introspetivo são as palavras que melhor definem a minha experiência a ver este episódio. Aconselho vivamente que espreitem esta série se gostam de dramas familiares ou séries focadas em grupos de amigos, pois esta série parece ser o melhor destes dois mundos! Fica a esperança de que os próximos episódios sejam igualmente especiais porque o panorama televisivo merecia uma série destas!

Ana Oliveira