Classificação

5
Realização
5.5
Interpretação
4.5
Argumento
6
Banda Sonora

Alerta de spoilers!

Vida é a nova série da Starz. O canal que nos trouxe Outlander, apresenta-nos um novo drama criado por Tanya Saracho e produzido por Marc Turtletaub, Robin Schwartz e Stephanie Langhoff. É baseado no livro de Richard Villegas Jr.: “Pour Vida” e foi realizado por Alonso Ruizpalacios.

A série conta-nos a história de duas irmãs com dupla nacionalidade: foram criadas no México e posteriormente seguiram as suas vidas, Lyn (Melissa Barrera) vive em Los Angeles e Emma (Mishel Prada) em Chicago. Ambas saíram da sua terra natal, deixando para trás a mãe.

Muito diferentes, Emma e Lyn afastaram-se e voltam, agora, a reunir-se no México, no seu antigo bairro, para o funeral da sua mãe, onde são confrontadas com o passado e com verdades, para elas chocantes, sobre a sua identidade.

O episódio de trinta minutos é falado em duas línguas, as personagens falam umas partes em inglês e outras em espanhol. A trama começa quando Emma chega a casa da falecida mãe e encontra a irmã Lyn e uma “suposta” colega de casa de sua mãe, Eddy (Karen Ser Anzoategui), ambas discutem e não se entendem; aliás, todo o episódio é passado com elas a discutir, se não é com uma coisa é com outra.

No funeral da mãe, Lyn chora imenso e Emma nunca dá parte fraca, percebendo-se que é pouco sentimental e fria para com os outros. Lyn, no funeral, encontra o ex-namorado, Johnny (Carlos Miranda), que está noivo, mas acaba por se envolver com ela e é quando o drama começa a sério. Lyn descobre que a mãe se tinha casado com Eddy e que o testamento iria ser dividido por três. Sim, esse era o real problema, o edifício em vez de ter ficado apenas para as irmãs, em parte também é para Eddy.

No geral não achei um mau episódio (acaba por se ver bem), mas no fim dá a sensação que é uma série sem pernas para andar: personagens pouco cativantes com as quais não nos identificamos, sendo mais um drama passado no México e no meio daquela cultura tão característica, parte que considerei a mais interessante.

Se gostam de too much drama, crises familiares e de espanhol, aconselho a ver. Como referi, não é uma super série e acaba por não ser um piloto que nos deixe a chorar por mais. É sim só mais uma série de drama com muito pouco a acrescentar.

Margarida Rodrigues Pinhal