Classificação

8.5
Interpretação
8
Argumento
8.5
Realização
7
Banda Sonora

Este primeiro episodio de Waco, minissérie da Paramount Network, acompanha a história real do cerco no Monte Carmelo (Waco, Texas) ao culto de David Koresh. Baseada, em parte, nos livros de David Thibodeau, Waco: A Survivor’s Story, um dos sobreviventes do cerco, e no livro do agente especial e negociador de reféns do FBI, Gary Noesner (Stalling For Time: My Life As An FBI Hostage Negotiator). Curiosamente Thibodeau e Noesner, que haviam estado em lados opostos aquando do cerco, juntaram-se no set durante de gravações da série.

O episódio começa precisamente com o início do cerco, a 23 de fevereiro de 1993, numa ação conjunta entre o FBI e a ATF (Bureau of Alcohol, Tobacco, Firearms and Explosives). Homens armados começam a cercar a casa de Koresh e dos seus seguidores. Enquanto o autoproclamado profeta pede aos seus homens, armados, que não cometam nenhuma burrice e que protejam todos, sai para a rua numa tentativa de negociar com a polícia, apelando ao seu bom senso e alertando para o facto de a casa ter mulheres e crianças. A trama central deste primeiro episódio concentra-se na meia dúzia de meses que antecederam o início do cerco. O FBI atravessava uma fase má da sua reputação quando no cerco à casa de Randy Weaver, um extremista de direita e anti-governo, resolve não comparecer em tribunal acusado por posse ilegal de armamento. A polícia decide cercar a casa na floresta, Randy e a família resistem à detenção e o FBI mata a mulher e um filho de Weaver. O homem só se viria a entregar 11 dias após o início das negociações. A população, revoltosa com a atuação da polícia, manifestou-se contra o FBI, que começava a ficar cada vez mais desacreditado.

Alguns meses após o sucedido com a família na floresta, e numa tentativa de voltar a ter a confiança do povo, o culto de David é notado pela polícia, que o acusava de posse ilegal de armamento para um possível ataque no futuro e de abuso sexual de menores. A ideia dos policias seria a de salvarem as crianças do culto, descobrirem um arsenal e saírem vitoriosos e finalmente voltariam a cair nas boas graças das pessoas. Como se sabe, as coisas não terão corrido da forma que o FBI e a ATF pretendiam. O cerco ao culto Davidiano viria a durar cerca de 51 dias e culminaria na morte de várias pessoas, incluindo mulheres, crianças e o próprio David Koresh. Os seguidores de Koresh tinham-no como um homem inteligente que havia memorizado toda a Bíblia, apesar de o próprio ter tido necessidade de ensino especial e ter sofrido abusos enquanto criança.

A casa onde habitavam não tinha água corrente e era parca em quaisquer outras necessidades, mas diz que todos viviam felizes com o pouco que tinham. Consideravam-se um grupo de estudo dos Sete Selos do livro do Apocalipse. Cada um era livre de entrar e/ou sair do culto, mas se se decidissem a ficar teriam que viver de acordo com as regras de Koresh. Não era permitido fumar, beber ou usar drogas e os homens teriam que ser celibatários. David considerava que tinham que se libertar dos prazeres carnais para que a mente ficasse mais aberta e recetora e não viver escrava dos prazeres carnais. Desta forma, e num ato completamente altruísta, Koresh assumia o fardo de fazer sexo com as mulheres seguidoras do culto, para que pudessem dar à luz os 24 anciãos de que fala o livro do Apocalipse. David, que era também músico, conhece Thibodeau num pequeno concerto num bar; este último é um dos sobreviventes do incêndio que consumiu o edifico, sede da seita de Kosher, que, como referi anteriormente, escreveu o livro que serviu de premissa à serie.

Os irmãos John e Drew Dowdle, produtores executivos da série, após lerem o livro de Thibodeau, quiseram mostrar ao público o testemunho deste seguidor de Koresh e assim uma outra versão da seita e do autoproclamado profeta. Há quem diga que Koresh era um abusador e violador, há quem o defenda e faça dele um homem de paz. Esta é a premissa para um total de seis episódios que compõem esta minissérie. Quanto a vocês não sei, mas uma coisa que sempre me suscitou a curiosidade foi o interior de seitas como esta, o que se passará na cabeça das pessoas? O que os levará a seguir um homem que se considera um profeta e líder? E o que acontece para que ali se mantenham e defendam o culto com unhas e dentes? Quanto à veracidade dos factos esta é ambígua, as versões são mais que muitas. Mas uma coisa é certa, a serie é fenomenal, agarrou-me completamente e assim é quando os episódios não parecem durar mais que cinco minutos.  O elenco é espetacular e as interpretações fantásticas de Taylor Kitsch, Michael Shannon, entre tantos outros. É com certeza uma série a acompanhar.

Ana Galego Santos