The Gifted – 01×10 – eXploited
| 14 Dez, 2017

Publicidade

[Contém spoilers]

Human choices for a human future

E se a semana passada The Gifted nos começava a desgastar com o comum, neste episódio demonstram que são capazes de nos fazer sentir adrenalina, raiva, desespero, simpatia e tanto mais, sentimentos fortes para com as personagens e um desejo de trazer justiça ao mundo.

O confronto entre o agente Turner e Dreamer foi tocante e emotivo. Depois de tudo o que Turner passou é difícil não simpatizar com ele e custa encará-lo como vilão. Isto é, até ele decidir entregar crianças inocentes ao Dr. Campbell para este fazer experiências neles. Mas como Reed diz, Turner é uma boa pessoa que está consumida pela perda e pela raiva.

Reed e Kate Strucker continuam a optar por uma via mais diplomática ao invés da guerra total com os Sentinel Services e é uma atitude que encaixa de todo com as personagens. Cada vez se percebe mais que o Mutant Undergound precisa do seu ponto de vista e que só juntando o melhor de cada um dos elementos do grupo estes poderão ter hipótese de evitar a aniquilação.

Já Lorna acha a guerra inevitável e portanto acha que se derem o primeiro passo sempre ficam em vantagem. Não que não concorde com os pensamentos de Lorna, mas a maneira como ela os expressa é o modo de uma criança mimada que amua sempre que a contrariam. É uma personagem com um forte lado cativante, mas que por vezes também mostra ser irritante. Da mesma forma, a relutância teimosa de Marcos partir para a violência é compreensível à superfície, mas devia de todo ser mais explorada para percebermos como isso afeta a personagem.

Gostei do novo visual do Dr. Campbell, que não só ganha um ar mais assustador, como também ganha marcas para mostrar que meter-se com os mutantes tem o seu preço. A vida dos mutantes nas instalações da Trask Industries é aquilo de que já estávamos à espera, um poço de desespero onde as pessoas são descartáveis e não tratadas como seres vivos. Tivemos então um vislumbre dos poderes dos Fenris com Lauren e Andy libertando os seus poderes combinados. Claro que a magnitude da destruição foi contida já que eles estavam numa sala supostamente indestrutível feita para suportar ataques do próprio Hulk. E se pensarmos tanto nisso como no facto de a sala ter Adamantium, um dos metais mais resistentes do universo Marvel, os estragos que eles mesmo assim provocaram à sala é razão suficiente para deixar Wolverine preocupado com o seu esqueleto. A morte a sangue frio de Sonya foi um choque completo, deixando-me de boca aberta e ainda agora estou a processar a informação. Claro que esta decisão deixa o caminho aberto para o romance entre Thunderbird e Blink, mas perde-se uma personagem que já tinha conquistado o coração a muitos fãs.

Esme, a víbora! Sem se preocupar com o lado de humanos ou mutantes, certo ou errado, ela é aquela que explora quem for preciso para chegar às suas irmãs. E depois disso? Quem sabe… Será que nesta versão as Stepford Cuckoos são constituídas apenas por três irmãs gémeas ou Esme terá ainda que resgatar as duas restantes? Pela cena inicial dá para perceber que as irmãs antes de serem presas tinham planos em progresso e até poderiam estar a trabalhar com um grupo maior. Irão os elementos do Mutant Undergound perdoar a Esme esta traição? Se por um lado ela os enganou a todos, por outro não se pode negar que os resultados não estão à vista. E que visão espetacular pudemos presenciar do uso de poderes telepáticos; sozinha foi capaz de derrotar uma dúzia de soldados e quando se juntou às irmãs, então, parecem praticamente imparáveis. Depois de já termos tido a morte de Sonya ainda estava menos à espera que morresse outra personagem que não fosse figurante. A morte de Ed irá sem dúvida pôr o rancor de Turner em ebulição.

“X-Files”:

– Shatter: na série é uma personagem que praticamente só temos visto de passagem e que só teve direito a meia dúzia de falas. A sua caracterização na série está bem conseguida e destaca-se a curiosidade de descobrirmos como ganhou a sua face estilhaçada. Mas quem é ele nos comics? Criado por Geoff Johns e Shawn Martinbrough, teve a sua primeira aparição em Morlocks #1 (Junho, 2002), grupo mutante do qual faz parte. Quanto aos seus poderes e habilidades, o seu corpo é revestido por uma substância negra que é tão dura como diamante, tornando-o invulnerável à maioria dos ataques físicos e, para além disso, já demonstrou ser capaz de regenerar membros perdidos. Outra característica interessante dos seus poderes é a de ser capaz de cristalizar qualquer líquido em que toque (água, óleo e até mesmo sangue).

Tal como a maioria das séries nesta altura, The Gifted entra agora numa pequena pausa, regressando apenas no início de janeiro. Depois deste episódio explosivo restam-nos três nesta temporada para ver como as coisas acabarão. Até lá, não temam o que não compreendem!

Num assunto meio aparte, que têm a dizer sobre a recente compra da Fox pela Disney? São a favor, contra ou não vos diz nada? Acham que isso poderá afetar esta série e outras na mesma situação?

Emanuel Candeias

Publicidade

Populares

calendário estreias posters junho 2024

station 19 abc

Recomendamos