Arrow – 06×07 – Thanksgiving
| 26 Nov, 2017

Publicidade

[Contém spoilers]

“There’s no such thing as insanity”

Esta semana, Arrow entregou-nos uma montanha-russa de twists que terminaram connosco a agradecer por um tão bom episódio e a agradecer por esta série estar presente nas nossas vidas.

No geral, esta semana foi dedicada a estabelecer vilões no Arrowverse. Vimos isso em Supergirl, em The Flash e agora em Arrow. Para além disso, também podemos comparar o tipo de vilões que este ano temos em The Flash e em Arrow, ambos mais virados para o poder do intelecto e as complicações que trazem aos nossos super-heróis tanto em termos da vida de vigilante como na vida pessoal e profissional.

Cayden James tinha anteriormente sido revelado como o aparente grande vilão da temporada. Mas o que ele quer, como, porquê e onde? Basicamente não sabíamos nada. E este episódio consegue com sucesso fazer-nos inicialmente pensar que ele não passa de um lunático que só quer rebentar coisas pelo prazer de ver o mundo arder e depois revela-nos que afinal a genialidade de Cayden é realmente a sua arma mais perigosa e que é capaz de provocar grandes danos à Team Arrow.

Black Siren surge neste episódio mais como uma lacaia semi-controlada de Cayden e não apenas uma completa psicopata, e este papel assenta-lhe bem melhor. Ainda precisamos de compreender os porquês e os comos da relação entre ela e Cayden se ter estabelecido – como é que ele soube da existência dela? E porque se deu ao trabalho de a ir salvar a uma ilha no meio do nada? No entanto, a abordagem da personagem foi um passo no caminho correto e se ela realmente será uma das grandes antagonistas irá precisar de dar muito mais do que temos visto até agora.

Sydelle Noel como Samanda Watson é irritantemente brilhante no seu papel contra os heróis e de certa forma consegue ser mais cativante de momento do que o vilão de Cayden James. Será o antigo chefe da Helix o responsável pelas provas que a agente do FBI possuiu contra a Team Arrow? E como irão as coisas mudar agora que o povo votou contra os vigilantes? Já antes vimos a Team Arrow a ser perseguida pela polícia; o que trarão os produtores de diferente desta vez?

Neste episódio ainda tivemos discussões acesas e um regresso esperado. Ver Diggle e Oliver quase a romper anos de amizade cujos laços são praticamente de irmãos foi penoso de ver para o coração. Ambos têm fortes argumentos e por isso é que a cena acaba por ser bem realizada, deixando-nos bem sem saber o que sentir. Veio como uma agradável surpresa os produtores terem-se lembrado da cena com os Dominators e da realidade de Diggle como Green Arrow, adicionando mais peso a toda a situação de quem irá ficar com o manto do herói. Quando vemos os nossos heróis a serem feridos é óbvio que queremos que eles recuperem e voltem ao pico da sua forma, no entanto também se torna aborrecido quando tudo é facilmente resolvido e parecem não haver consequências para as ações. Foi interessante que o protótipo de Curtis não tenha funcionado à primeira e que, aliás, ainda tenha vindo piorar a situação de Diggle, dá uma certa sensação de realismo e que as coisas não se resolvem da noite para o dia. Muita gente não está contente por Diggle ter assumido o manto do Green Arrow, o que estão vocês a achar?

Paralelamente a The Flash, que viu o regresso de Wally, neste caso, Thea finalmente acorda do seu coma e parece pelo menos manter a sua boa disposição. Thea e Wally merecem estar um pouco no foco e é isso que esperamos que os produtores tenham em mente com o regresso de ambas as personagens.

Um momento dramático de destaque foi a conversa entre Dinah e Lance. Deu para percebermos um pouco o que estas personagens sentem ao verem pessoas que antes amaram transformadas em algo que não conhecem e que agora têm de enfrentar.

Destacam-se porém dois pontos negativos no episódio desta semana: primeiro, a ligação pessoal de Cayden a Green Arrow e o seu desejo de vingança vem como uma repetição de Deathstroke e de Prometheus. O tipo de vilão na temporada parece diferente, mas também era bom se as suas motivações fossem de outro género e não mais do mesmo. Por outro lado, a oposição de William a que Oliver volte a pôr o manto de Green Arrow vem mais como uma teimosia mimada do que uma preocupação real, quando vendo Diggle ferido só se preocupa com quem é que estava a fazer o papel do herói naquela noite.

Como curiosidade, sabiam que o psiquiatra Thomas Szasz que foi referido no episódio por Cayden foi a personalidade que deu inspiração ao nome de um vilão da DC, Victor Zsasz? Quem acompanha Gotham consegue bem lembrar-se do papel de Anthony Carrigan como este vilão psicopata.

E que tal ouvir um pouco de Billy Joel enquanto esperamos pelo próximo episódio, “Uptown Girl”? Não se esqueçam que para a semana temos o épico crossover anual: Crisis on Earth-X. O evento será dividido em duas partes de episódios duplos.  Até lá, salvem as vossas cidades!

Pergunta da semana: para quem viu o filme Justice League pode ter reparado que faltava um pouco de “verde” na equipa. Quem preferiam ver juntar-se à equipa:

– Green Lantern?

– Martian Manhunter?

– Green Arrow?

Emanuel Candeias

Publicidade

Populares

calendário estreias posters junho 2024

Clãs da Galiza Clanes Netflix

Recomendamos