How to Get Away With Murder – 04×01 – I’m Going Away
| 01 Out, 2017

Publicidade

[Contém Spoilers]

Finalmente a espera terminou e temos Annalise e os Keating 5, quer dizer, Keating 4 de volta.

Todos eles tentam continuar com as suas vidas depois da trágica e surpreendente morte de Wes e Annalise marca um jantar com todos eles: Asher, Laurel, Michaela, Connor e Bonnie. Oliver e Frank são os únicos a ficar de fora. Ao chegarem ao jantar, todos encontram uma carta fechada com o nome de cada um deles, mas Annalise impede que eles abram a carta até ela poder falar com eles. Neste momento temos um flashback e voltamos uma semana atrás.

Laurel recebe a visita do seu pai (que parece que vai ser uma figura de destaque nesta temporada) e conta-lhe que está grávida, ou melhor, que esteve, grávida, porque decidiu abortar. Jorge mostra-se muito preocupado com a filha e apoia-a sem questões.

Annalise viaja para casa da mãe e um homem decide seduzi-la no avião, Desmond (Julius Tennon, o marido na vida real de Viola Davis). Chegada a casa da mãe, Annalise tem que lidar com a sua demência e sobre o que devem fazer para garantir a sua segurança. Annalise e a irmã acham melhor que a mãe vá para uma casa de repouso, mas o pai garante que consegue tomar conta dela.

Com toda a tensão em casa dos pais, Annalise pensa no álcool e para evitar ter uma recaída decide ligar a Desmond e ir ter com ele ao hotel. Ao chegar lá e quando estão prestes a envolverem-se, arrepende-se e volta para casa.

Durante a noite, Ophelia tem um episódio de demência dizendo a Annalise que a casa está em chamas por causa de Clyde, o tio de Annalise, que a violou. Momentos tensos, mas é sempre um encanto podermos ver Cicely Tyson presentear-nos com a sua prestação.

É decidido que o pai de Annalise vai ficar a tomar conta de Ophelia e Annalise pede-lhe que tome bem conta dela e que impeça que lhe aconteça alguma coisa.

Do restante clã, Connor continua sem responder ao pedido de casamento de Oliver e arranja inúmeras desculpas para não o aceitar. Mas acaba por explicar-lhe que quer casar-se com ele quando estiverem num bom lugar e não quando Oliver tem medo que ele seja preso. Já Frank, com o dinheiro que tinha, comprou um espaço que ele sugere a Bonnie que utilizem como novo escritório de Annalise; Connor e Michaela continuam com a sua vida de casal.

Assistimos então à audiência da decisão de retirar a licença a Annalise. Num discurso emocionado, Annalise implora para que não lhe retirem a licença, porque já perdeu tudo e todos e não consegue lidar com a perda da última coisa que lhe resta.

Voltamos então ao momento do jantar. Annalise conta que não perdeu a licença e pode continuar a exercer advocacia e conta-lhes o conteúdo das cartas fechadas em cima da mesa: cartas de recomendação para cada um deles. Annalise está a deixá-los ir, pois não quer arruinar o resto das suas vidas. Laurel e Connor aceitam relativamente bem o desejo de Annalise, já Asher e Michaela não reagem lá muito bem e confrontam-na. Bonnie fica surpreendida e em lágrimas com a atitude de Annalise para com ela.

Ainda no jantar, Laurel confessa que decidiu ter o bebé, ou seja, Laurel mentiu ao pai acerca do filho. Porquê? Logo de seguida vemos Laurel chegar ao apartamento de Wes e receber uma mensagem do pai, dizendo que a ama. Ao responder-lhe, Laurel escreve “Porque é que mataste Wes?”, mas apaga a mensagem antes da enviar. Afinal Laurel sabe que foi o pai o responsável pela morte de Wes? Ela é uma rapariga inteligente e perspicaz e o facto de te encontrado Dominic pode tê-la feito suspeitar e começar a ligar todos os pontos.

Bonnie procura emprego e tem uma entrevista com Denver. O que é que isto significa? Vai virar-se contra Annalise?

Annalise tem a primeira consulta de terapia, uma das condições impostas para que a sua licença não lhe fosse retirada. A interação com o terapeuta (Jimmy Smits de Dexter e Sons of Anarchy) foi interessante de se ver e pode trazer grandes momentos a esta temporada.

No final, assistimos a um dos já famosos flashforwards: três meses depois vemos o terapeuta de Annalise chegar a um hospital e conversar com Frank, que lhe diz que ela continua inconsciente e que foram encontradas drogas no seu organismo. Quem? Annalise? Não, Laurel! Esta, que recupera a consciência nesse momento, aos gritos, pergunta a Frank pelo bebé! Isto tem alguma coisa a ver com o facto de Laurel ter mentido ao pai? E de andar a investigar a morte de Wes por conta própria? E como é que o terapeuta de Annalise está relacionado com tudo isto? Já tinha saudades de todo este suspense!

Estes flashforwards não passam de moda e tornam a série única e especial. Mesmo três temporadas depois, estes momentos continuam a deixar-nos colados ao ecrã e a sofrer durante semanas para saber o que realmente aconteceu, mostrando que a fórmula quando é bem feita não se gasta e quando tem elementos que a transmitem com a qualidade com que este elenco o faz não se torna repetitiva.

A banda sonora continua a acompanhar as diferentes cenas de forma magistral e a interpretação dos nossos protagonistas não baixa de nível.

E vocês, o que acharam deste início de temporada? Palpites para o que irá acontecer neste flashforward?

David Pereira

Publicidade

Populares

calendário estreias posters maio 2024

monsieur spade

Recomendamos