Orphan Black – 05×05 – Ease for Idle Millionaires
| 13 Jul, 2017

Publicidade

Para os mais sensíveis, relembro que esta review contém spoilers!

Olá, clone club! Estamos a seis episódios do fim e, finalmente, algumas perguntas começam a ter respostas, como por exemplo: o  que é o misterioso “monstro” da ilha de P.T. Westmoreland; qual a importância de Kira para Rachel e quais são os planos de Delphine com Siobhan. Para além disto, como aconteceu em temporadas anteriores, o episódio foi “dedicado” a Cosima e Delphine, com cenas muito carinhosas entre ambas, que “enchem” os corações dos shippers!

O episódio desta semana começa com Cosima a investigar o dente do “monstro”, encontrado, no passado episódio, por Charlotte e Aisha, enquanto ele faz uma nova vítima, alarmando todo o acampamento. Enquanto Cosima examina os resultados da análise do dente, surge um flashback do último episódio da primeira temporada em que ela conta a Delphine que está doente e esta promete-lhe que irá trabalhar sempre para a proteger, seguindo-se um momento romântico entre as duas.

Após o ataque, todo o acampamento está preocupado com a situação, não acreditando que seja um simples urso a atacá-los e, por isso, alguns grupos são enviados para o capturar, juntando-se Mud, pela sua conhecida proximidade a este “monstro”.

Ao mesmo tempo, Cosima visita Aisha, examina-a e descobre que o seu tumor estava mais pequeno, devido à água mágica”. Depois disto, Aisha entrega a Cosima um diário com a evolução e melhoria da sua doença.

Ainda antes da partida dos grupos, Cosima encontra-se com Mud e pergunta-lhe mais sobre este “ser”. Mud revela que fora ela a soltá-lo e que, devido ao fracasso das últimas experiências, o “monstro” ficara preso numa cave, depois de ter tido um quarto na casa.

De seguida, P.T. e Rachel celebram “um momento histórico”, pois, finalmente, o trabalho de Rachel estava a “dar frutos”. Esta aproveita, também, para revelar que a seleção de barrigas estava pronta, tendo  sido escolhidos 1300 indivíduos.

Enquanto ambos conversam, Westmoreland chama por Delphine, que se encontrava à espera, e esta revela que, através do seu trabalho na Sardenha, descobrira que o banco de genes daquela zona era uma “mina de ouro”. Após a conversa, Delphine vai, finalmente, ter com Cosima, que já a tinha visto a subir as escadas para a casa. Quando se encontram, Cosima atualiza Delphine sobre o estado de Aisha, revelando-lhe que estão a manipular os tumores, não com quimioterapia (como é normal naqueles casos), mas sim com terapia genética. Segundo Delphine, esta terapia estava a ser estudada pelo Dr. Leekie, em ratosacomys dimidiatus, o mesmo rato que Rachel oferecera a Kira.

Delphine revela a Cosima que Kira está a ser estudada na Dyad, mas é interrompida pelo mensageiro, relembrando-a que tem de se preparar para o jantar/reunião com P.T. e Rachel, mas Cosima intervém, dizendo que sabe o que é o Lin28a, a “fonte” de Westmoreland. Com esta revelação, Cosima junta-se a Delphine e vão ao jantar. Quando lá chegam, Delphine “deixa” Cosima e vai falar com P.T. enquanto esta se dirige à sala de jantar e surpreende-se quando vê Susan acompanhada de Ira.

Após a chegada de Delphine e P.T., inicia-se o jantar, falando-se de taxidermia – devido aos animais presentes na sala – e da família de Cosima. No entanto, com a chegada de Rachel, a conversa é interrompida, acabando por se mudar o assunto da mesma. Cosima aborda o facto de Rachel ter isolado uma mutação em Kira, mas quando a conversa iria ganhar “fôlego”, o relógio toca e Rachel e Delphine teriam de partir.

Mas antes de partirem, Cosima e Delphine dirigem-se para a sala da roupa, onde Delphine conta o que tem planeado, mencionando a promessa que tinha feito quando Cosima lhe disse que estava doente (no fim da 1.ª temporada), seguindo-se, novamente, um momento carinhoso entre ambas, combinando que iriam mostrar que estavam separadas.

Ao mesmo tempo, Salvador e Mud, que estavam à procura do “monstro” descobrem-no e este mata Salvador, acabando por se descobrir o nome deste “monstro”, Yanis, e o seu passado. P.T. Westmoreland conta como o descobriu num orfanato, assim como a sua capacidade de cicatrização (como Kira) e diz que Yanis foi a sua primeira “experiência”. Susan revela que sintetizou o gene e o colocou no genoma LEDA, mas que não se manifestou na primeira geração, mas sim na inesperada segunda: Kira.

Quando se descobre que Yanis invadiu a aldeia, Cosima, Susan e Ira são levados para uma sala onde Susan afirma que eles têm de descobrir se o gene é hereditário e Cosima apercebe-se de que vão retirar os óvulos de Kira para fazer uma nova geração de clones.

Cosima sai da sala com o objetivo de tentar convencer P.T., mas quando sai é incentivada por Mud a não ir atrás dele. Ainda assim, Cosima faz o contrário e quando chega vê Yanis, triste e magoado, e tenta-se aproximar-se dele, sendo interrompida por P.T., que dá um tiro em Yanis e a tranca na jaula.

Fora da ilha, finalmente, Kira e Sarah entendem-se e começam a falar de “assuntos mais adultos” em troca de informações. Já nos últimos minutos do episódio vemos uma cena ternurenta entre “três gerações”: Siobhan, Sarah e Kira, abraçadas na cama, enquanto dormem.

No fim do episódio, Mrs. S. e Delphine reencontram-se, depois daquele fim do 2.º episódio, e Delphine diz-lhe que têm de avançar rápido, pois “o que quer que seja que estão para fazer a Kira, será feito brevemente”.

Depois deste episódio, soubemos a importância do “monstro” da ilha (que não merecia morrer daquela maneira!) e sabemos o que Rachel está a preparar para Kira! Tenho sentido falta de ver os outros clones, mas, apesar disso, gosto de ver o desenvolvimento de cada uma! Espero que não percam o ritmo agora e que comecem a responder às várias perguntas!

E claro, que apareçam os outros clones!

Rita Rodrigues

 

Publicidade

Populares

calendário estreias posters maio 2024

the boys 4 homelander poster prime video

Recomendamos