Classificação

9.3
Interpretação
8.7
Argumento
8.4
Realização
9.4
Banda Sonora

Atenção: esta review contém SPOILERS!

Mais uma semana e mais um episódio que se passou. Desta vez, The Originals traz-nos Haunter Of Ruins, nome apropriado para este seu terceiro episódio. Haunter Of Ruins balança a sua falta de ação (em comparação com os episódios anteriores) com a sobrecarga de informação que nos é dada. Pois é, pessoal, está na altura de algumas respostas!

Após cinco anos de ausência, Klaus consegue, por fim, passar algum tempo a criar laços com a sua filha, Hope. No entanto, e como seria de esperar, nem todos os membros da família Mikaelson se encontram tão relaxados quanto Klaus: Elijah é forçado a mediar um conflito entre Hayley e Freya, de modo a decidir o melhor modo de proteger a sua família. Entretanto, em Nova Orleães, Vincent conta a Marcel terríveis segredos sobre Eva Sinclair (Maisie Richardson-Sellers), a sua ex-mulher, enquanto ambos continuam a sua busca pelas crianças que têm vindo a desaparecer pela cidade.

Depois de serem escorraçados da cidade por Marcel, os Mikaelson têm, finalmente, um momento de descanso na casa onde Hayley passou os últimos anos a criar Hope. Aqui, Klaus tem a oportunidade de realmente conhecer a sua filha, após os anos passados aprisionado por Marcel. A princípio, Hope demonstra alguma falta de à-vontade de volta do Original – o que leva Klaus a questionar Hayley em relação àquilo que havia sido contado a Hope sobre ele – mas os dois rapidamente encontram algo em comum (a sua paixão por arte) e as inseguranças de Klaus parecem evaporar-se.

Entretanto, Keelin (Christina Moses) continua prisioneira de Freya, que pretende continuar a usá-la para criar o antídoto de que necessita para proteger a sua família de uma eventual investida por parte de Marcel. Isto leva a um conflito entre a bruxa e Hayley, que sente que não está a fazer o seu papel enquanto líder das alcateias ao manter cativa alguém da sua própria espécie. Hayley acaba por tomar a decisão acertada e deixa Keelin partir, mas Freya não está nada feliz com isto e as duas começam a discutir, sendo necessária a intervenção de Elijah para acalmar os ânimos. Apesar de Keelin conseguir escapar, Freya não desiste e acaba por a capturar novamente.

Este trata-se, ainda, de um episódio de despedidas, que só não nos entristecem por já estarmos tão habituados a elas. Sim, dizemos novamente “até breve” a Kol e Rebekah, que decidem partir em busca de alguma emoção nas suas vidas, prometendo, no entanto, voltar um dia. Rebekah chega a despedir-se de Nick e os dois partilham uma cena bastante emotiva na qual Klaus admite que, de entre todos os seus irmãos, Rebekah nunca o fez sentir como o monstro por quem todos o tomavam.

Back in New Orleans, a história de Vincent e Eva é-nos transmitida através de flashbacks, à medida que Vincent a conta a Marcel. É desta interação que nos chegam algumas respostas às questões que nos têm surgido em relação à nova ameaça que assombra a cidade, durante os dois primeiros episódios da temporada. Portanto, vamos a isto.

Estes flashbacks passam-se na altura em que Marcel era o rei do Quarter, antes do regresso dos Mikaelson a Nova Orleães. Como muitos se devem lembrar, Marcel havia proibido o uso de magia na cidade, pelo que Eva e Vincent (assim como todos os restantes bruxos) não estavam seguros. Apesar de Eva querer sair da cidade, Vincent deseja derrotar Marcel, mesmo após descobrir que a sua mulher está grávida. O bruxo procura incansavelmente por algum tipo de magia que não pode ser derrotada, sem qualquer sucesso, até que um dia lhe aparece um livro escrito na sua caligrafia, mas o qual ele não se lembra de escrever. Este livro contém feitiços que requerem sacrifícios e, após diversas tentativas, Vincent, com a ajuda de Eva, chega à conclusão que, para o feitiço resultar, o ser sacrificado tem que ser algo amado por alguém.

De volta ao tempo real, a busca por Adam continua. Após Vincent receber novas informações de Will (Jason Dohring), ficamos a saber que o número de crianças desaparecidas aumentou para quatro, pelo que é cada vez mais urgente descobrir quem está por detrás do acontecimento. Marcel aparece, também, com uma descoberta importante: há relatos de atividade na velha mansão dos Strix, apesar de esta se encontrar desocupada faz já algum tempo. Decidem, então, seguir esta pista, deixando para trás Will, apesar de este insistir em ajudá-los. Ao chegarem à mansão, Marcel e Vincent rapidamente encontram as crianças, mas estas não estão sozinhas. A controlá-las está um homem cuja intenção é sacrificá-las à mesma entidade que Vincent havia libertado, anos atrás. Claro que o seu plano não se chega a realizar, uma vez que a dupla o consegue travar, após algum esforço. No entanto, o feitiço lançado sobre as crianças continua a sugar-lhes a vida… Felizmente, Vincent sabe como o travar e salva as crianças com facilidade. Só há (mais) um problema: Hope está também a ser afetada por este feitiço e não há nada que Vincent consiga fazer por ela à distância.

Apesar do seu ódio pelos Mikaelson, Marcel sabe que não é justo que Hope sofra, especialmente depois de Vincent o lembrar que a jovem é, de certa forma, sua irmã. Assim, Marcel permite que Vincent envie uma mensagem a Hayley, de modo a que esta traga Hope à cidade para que o bruxo a possa ajudar. Estas não irão sozinhas, mas sim acompanhadas de Klaus e Elijah, que se certificarão que nada lhes acontecerá.

Por último, o veículo onde se encontravam as crianças é parado no caminho de volta a Nova Orleães por um carro da polícia, no qual se encontra Will. Este livra-se do condutor original da ambulância, tomando, depois, o seu lugar e levando as crianças, cujo futuro se torna, novamente, incerto.

Resumindo e concluindo, Haunter Of Ruins foi um bom episódio, mais expositivo do que aquilo a que estamos habituados, mas ainda assim com um bom nível de ação, de modo a não se tornar demasiado monótono. Algumas questões não abordadas em cima, mas ainda merecedoras de menção (pois poderão vir a ser importantes), são as seguintes:

  • O que é que realmente aconteceu ao filho de Vincent e Eva?
  • Será que a única ligação de Hope à misteriosa força que faz tremer a cidade é o facto de a jovem ser bastante poderosa e, assim, o alvo ideal?
  • De que modo irão os conhecimentos de Keelin influenciar o resto da temporada, especialmente tendo em conta a sua aliança forçada com Freya?
  • Irá Hayley ter um papel mais ativo enquanto líder das alcateias?
  • Será desta que a relação entre Hayley e Elijah irá funcionar?

Inês Salvado