Designated Survivor – 01×17 – The Ninth Seat
| 23 Abr, 2017

Publicidade

[Contém Spoilers]

Abe Leonard, que está de volta à história, continua a levantar questões sobre o que aconteceu verdadeiramente no ataque ao Capitólio. Desta vez, Abe questiona Seth sobre o facto do grupo Al-Sakar não ser o verdadeiro responsável pelo ataque, o que descobriu ao falar com um dos chefe terroristas, no Iraque. Descobriu ainda que Lozano pagou ao dito grupo para assumir os créditos pelo ataque. Para completar, descobre que Kimble tentou adiar, a pedido de Hannah, a tomada de posse de MacLeish como Vice-Presidente e estabelece uma ligação entre Lozano e MacLeish. Ao questionar Kimble sobre isso, ela recusa-se a comentar.

Aaron, que ouviu a conversa entre Abe e Kimble, tenta contactar Hannah, mas estando esta na Dakota do Norte, acaba por contar as descobertas de Abe a Foerstel. Este, por sua vez, transmite a informação a Tom, que prefere não fazer nada contra Abe, apesar desta informação pôr em causa a investigação de Hannah.

A história de Abe acaba por ser recusada pelo próprio jornal por falta de provas, mas um informador anónimo dá-lhe informações sobre Hannah e sobre o preciso momento em que Tom foi baleado na tomada de posse de MacLeish como Vice-Presidente. Abe está perto de toda a verdade e tenho curiosidade para saber quem é a pessoa que lhe está a dar informações.

Hannah e Atwood continuam na Dakota do Norte, investigando a pequena cidade perto do silo de armas. Percebem que é uma cidade muito pacata e com pouca gente, sendo que muitos dos carros e das pessoas são de fora, de outros estados. Acabam por descobrir que, algumas vezes por ano, um grupo considerável de pessoas de todo o país se reúne no preciso local onde se encontra o esconderijo de armas subterrâneo. Nessas alturas aparecem camiões e helicópteros, relembrando tempos antigos, em que a Air Force tinha ali um dos seus postos. Esta informação levanta suspeitas em Hannah e Atwood, que acham que nessas alturas as bombas são transportadas para outros locais.

Hannah consegue roubar um livro (que todas pessoas presentes nesses encontros têm) e que não é mais do que um manual para uma nova América, “Pax Americana”, onde “não há vitória sem sacrifício”.

Ao tentarem entrar na propriedade do silo são barrados por um conjunto de pessoas armadas até aos dentes, prontas para matar quem se atravessar no seu caminho. Desta forma, arranjam outra maneira de ter acesso ao que se passa durante estes encontros, vigiando de longe. Para surpresa de Hannah chega um helicóptero, do qual sai Lozano (sim, Lozano, a.k.a. Catalan!), que supostamente estava morto depois de ter baleado o Presidente Tom! MacLeish sabia que ao ordenar a morte da pessoa suspeita pela tentativa de homicídio de Tom não estava a matar Lozano, mas sim a permitir que este se pudesse movimentar mais facilmente, pois toda a gente o pensava morto. Surpreendente de facto! E qual é o objetivo deste encontro? Definir um novo ataque? De forma a derrubar a América e a construir uma nova, com novos princípios?

Já Tom depara-se com um novo desafio e uma nova confrontação com Bowman. A decisão desta semana recai sobre as nomeações para o Supremo Tribunal. Tom tem entre mãos os nove candidatos que irão ser submetidos para aprovação pelo Senado. Reunidos os líderes do Senado, todos concordam com as escolhas, exceto Bowman, que levanta preocupações com as tendências políticas de um dos candidatos, visto que quatro são democratas, quatro são republicanos, mas o nono, o Chief Justice, independente, mas segundo Bowman com claras preferências pelos Democratas. Tom acaba por se exaltar um pouco, fazendo-se valer do seu estatuto e confrontando Bowman. Acaba por ficar decidido que Tom iria apontar um novo candidato para a nona posição. A administração de Tom consegue então arranjar uma solução para o problema: haver um Supremo Tribunal com apenas oito juízes. Esta medida agrada e é aprovada por todos os membros do Senado.

Continuamos a acompanhar uma luta de Tom em cada episódio e a sua capacidade de reerguer a América. Bowman continua a revelar-se uma oposição dura e que irá fazer estragos na administração de Tom. Temos ainda a questão da Vice-Presidência, posição pela qual Kimble parece querer lutar até ao fim e se Tom não lha atribuir pode trazer muitos dissabores. Já na investigação ao ataque no Capitólio temos novas descobertas, mas continuamos sem perceber bem quem está a mexer os cordelinhos para tudo o que está a acontecer e o porquê. Espero que a justificação não acabe por ser dada muito repentinamente e de forma rebuscada. Melhor episódio que os últimos a que temos assistido!

David Pereira

Publicidade

Populares

calendário estreias posters junho 2024

Clãs da Galiza Clanes Netflix

Recomendamos