Legends of Tomorrow – 02×15 – Fellowship of the Spearui
| 23 Mar, 2017

Publicidade

A dois episódios do final da temporada, Legends of Tomorrow vai recriar a mesma estrutura de um dos seus melhores episódios, aquele em que inseriram George Lucas como parte do enredo. Desta vez o escolhido foi J.R.R Tolkien na altura em que ele fazia parte do exército e estava a combater os alemães.

O episódio começa com a equipa a invadir a base da Legião do Mal, uma vez que Rip ainda se lembrava onde era. A invasão é feita de um modo discreto e sem alarido, levando a que roubem os pedaços de lança sem serem apanhados. É importante referir que durante o seu tempo nesta zona fora do tempo, Rory alucina novamente com Snart, pois trata-se do local onde este morreu.

Com a lança completa, Nate descobre que a única maneira de destruir a lança seria com o sangue de Cristo. No entanto, existem certas pessoas que são tão importantes para a história e com quem é estritamente proibido interagir e Cristo é uma delas. Assim Nate sugere uma alternativa: existe um historiador que pensa ter descoberto o sangue de Cristo e é ele J.R.R Tolkien, que se encontra no meio da primeira Guerra Mundial. Assim, a equipa viaja até ao campo de batalha.

Durante esta visita Nate, Ray e Rip resgatam Tolkien do meio das trincheiras e levam-no até à nave, enquanto Mick conversa sobre os planos da equipa com Snart. Segue-se uma explicação sobre a sua missão a Tolkien, para que este lhes conte a localização do sangue. Falam sobre um artefacto mágico, capaz de um poder enorme, e de uma irmandade cujo objetivo é destruir o objeto (Parece-vos o enredo de algum filme que conheçam?). Com a  lança completa, todos lutam para resistir à tentação de a usar, sendo que os principais são Rory, que quer reavivar Snart, e Amaya, que quer salvar a sua família e aldeia.

Quando se encontram no local do túmulo que procuravam são surpreendidos por Damien e um novo companheiro, um Snart antes de um tempo anterior, que tinha sido o mesmo que tinha tirado informações a Rory. Segue-se uma luta que acaba com a equipa a fugir com o mapa pretendido. Quando se encontram no meio da batalha segue-se o que considero o melhor momento do episódio: para parar temporariamente a luta, Rip faz um discurso, um discurso que muitos fãs de Lord of the Rings conhecem, alguns até de cor e salteado. Aragon: “There may come a day when our courage fails us, When we forsake our friendships and we break the bonds of the fellowship, but today is not that day”). Tratou-se de um momento bastante bom, se bem que imcomparável ao original.

No entanto, independentemente da qualidade do discurso, a equipa volta a deixar-se surpreender pela nova dupla da legião e acabam por ser traídos por um dos seus. Rory vai fazer companhia a Snart. E assim acaba o episódio, com a Legião do Mal a entoar o ritual de ativação da lança.

Foi um episódio bastante interessante que, na minha opinião, teve melhores momentos do que o de George Lucas, mas também teve piores, enquanto que a ideia que se transmite no episódio de George é que este inspira Nate e Ray, aqui dá a entender que as lendas é que inspiraram a história de Frodo. Gostaria de ver mais episódios destes no futuro. O que acham que irá acontecer a seguir?

Raul Araújo

 

Publicidade

Populares

calendário estreias posters maio 2024

mayfair witches estreia

Recomendamos