Classificação

8.5
Interpretação
7.2
Argumento
7.3
Realização
7.5
Banda Sonora

[Contém spoilers]

Depois dos acontecimentos traumáticos para Franny, a proteção de menores decide intervir e falar com ela. Entrevistando Carrie (que se mostra um pouco instável), a investigadora da proteção de menores fica com receio relativamente à segurança de Franny. Com isto, o caso segue para tribunal.

Durante o julgamento, Carrie é completamente vergada, toda a sua vida é posta em causa: a sua ajuda a Quinn, sendo que com os problemas que ele tem atualmente levantam muitas questões quanto à segurança de Franny; o facto de Carrie ter ficado no quarto de Franny durante a noite de arma em punho e, o mais grave, o seu transtorno bipolar. Carrie tenta defender-se ao máximo, dizendo que é uma ex-agente da CIA que tem treino e capacidades que a permitem lidar com situações de perigo extremo e que é medicada para a sua doença, que está controlada (devo dizer que parece que não vai continuar por muito tempo), sendo por isso mais do que capaz de manter a sua filha em segurança. O juiz decide que Franny ficará à guarda de outra família até novos desenvolvimentos.

Tiraram a única coisa que mantém Carrie com os pés na terra e que a fez mudar tanto nos últimos anos.

De volta a casa e totalmente sozinha, Carrie dedica-se ao álcool e liga à Presidente-eleita em completa aflição e desespero por ajuda. A Presidente-eleita recusa-se a servir-se do seu cargo para a ajudar. Carrie tem feito tanto por ela e agora vê-se sem apoio em retorno. Não foi simpático!

A Presidente-Eleita deu uma entrevista acerca da morte do seu filho na guerra, conseguindo contornar esse “problema” que sempre foi alvo de curiosidade durante a sua campanha, devido à vontade desta de terminar com a guerra e a ocupação americana no oriente. Durante a entrevista, assistimos em paralelo a um encontro entre Dar Adal e o General McClendon, confirmando as suspeitas de conspiração contra a Presidente-eleita.

Neste entretanto, Saul é interrogado sobre a sua estadia na Cisjordânia, pois a agência não acredita que foi apenas uma visita à irmã e os israelitas questionaram os movimentos de Saul. Dar, a certo ponto, interrompe o interrogatório e impede que Saul continue a ser questionado.

Peter, por sua vez, encontra-se numa casa longe de tudo e todos. Consegue fugir, mas devido às suas limitações físicas é apanhado por Astrid, que lhe conta que a ordem de o tirar do hospital e o levar para um sítio remoto e escondido foi de Dar Adal. O próprio Dar Adal visita Quinn (fui só eu a achar que há ali um passado entre os dois totalmente desconhecido?), questionando-o acerca do ataque e da sua vontade de voltar para Nova Iorque para Carrie. Dar acaba por contar-lhe a verdade acerca da razão do seu estado físico atual: Carrie acordou-o do coma apesar dos avisos acerca dos riscos que corria ao fazê-lo, apenas para saber informações do ataque.

Javadi, que se encontra na América (também tema de conversa entre Dar e o General), é feito prisioneiro pelo seu próprio serviço, a inteligência israelita, e torturado, pois acreditam que ele é um espião americano, ou seja, um traidor. Um outro agente israelita consegue libertar Javadi e este encontra-se com Saul (como era suposto acontecer desde que este aterrou na América). Durante a discussão entre os dois, percebem que Dar Adal era o único que sabia do encontro entre eles em Israel e da sua presença na América. Javadi conta ainda a Saul que Nafisi foi morto, pois estava a trabalhar para a Mossad, mas que antes disso provou-se que Israel não estava a quebrar o acordo nuclear. Para contar tudo acerca do acordo nuclear e Nafisi, Javadi pede asilo político. Saul sugere contactarem a Presidente-eleita, já que ela é a pessoa indicada para lhe garantir esse asilo e vai com certeza estar interessada nesta informação.

No final, assistimos a um telefonema entre a investigadora da proteção de menores e Dar, no qual ficamos a saber da denúncia de Dar acerca de Carrie e Franny.

Os caminhos dos vários núcleos começam a cruzar-se, as peças do puzzle vão-se juntando aos poucos. Vamos ver Carrie de volta ao seu estado maníaco derivado da sua doença e acho que Saul vai ser a pessoa certa para a ajudar. Os caminhos levam todos ao denominador comum: Dar Adal. Dar está envolvido em todos os pontos que temos vindo a acompanhar esta temporada.

David Pereira