The Flash – 03×13 – Attack on Gorilla City
| 24 Fev, 2017

Publicidade

Going to Planet of the Apes

Apesar de um certo fator de previsibilidade e de um drama teen lamechas, este episódio teve demasiados momentos épicos para não ficar gravado nas nossas mentes como um dos grandes momentos de The Flash.

O ano passado a primeira viagem à Terra-2 (T-2) foi um dos melhores momentos da 2.ª temporada e está sem dúvida no top 5 dos melhores episódios da série. Tal como anteriormente, este ano, o conflito nessa exótica Terra também será dividido em duas partes.

Harrison Wells – o génio cientista, não o hipster/mental coach do HR – foi raptado e levado para Gorilla City, uma cidade povoada por gorilas super inteligentes. Estando um dos seus mentores e amigos em perigo, e mostrando-se mais uma oportunidade de mudar uma peça de dominó da cadeia de eventos que levará à morte de Iris às mãos de Savitar (um dos cabeçalhos do futuro referia-se a “Central City recupera após ataque de gorilas”), a Team Flash rapidamente monta uma equipa de resgate e aventura-se para o coração de África, numa Terra diferente, e para uma cidade muito diferente.

Barry, Cisco, Caitlin e Julian/Indiana Jones: a irmandade do Gorila. Chegados a Gorilla City somos obrigados a libertar um longo: wooow. É uma maravilha visual sem igual, numa mistura de civilização antiga (do género dos Maias) em simbiose com a Natureza. Foi realmente uma pena não termos tido a oportunidade de explorar mais e que tenha sido tudo num “flash”.

A rápida captura da equipa foi demasiada repentina, não havendo resistência por parte de ninguém. Flash consegue que lhe acertem duas vezes no episódio com um dardo sem ele se conseguir nunca desviar, sem falar que mais uma vez a sua capacidade para uma rápida metabolização das drogas parece ter sido ignorada. Um dos pontos fracos do episódio passou por este ritmo demasiado acelerado, não nos deixando apreciar o mundo fantástico em que estávamos e faltou um impacto sentido de toda a aventura.

A aparição de Grodd provoca sempre uma reação de espanto (lembrete: este gorila foi criado na Terra-1 pelo vilão Reverse Flash e anteriormente a Team Flash enviou-o para a T-2 para poder viver no meio de seres semelhantes a ele), mas desta vez, para além, dele temos muitos mais gorilas gigantes. Solovar, com o seu pelo branco, destaca-se facilmente e transpira imponência. Quando Grodd começa a contar que Solovar quer conquistar a Terra-1 (T-1) e bla bla bla, é logo um sinal para disparar o alarme. Porque iria ele querer atacar uma Terra forasteira, quando se realmente quisesse subjugar os humanos faria mais sentido atacar a sua própria Terra?

Criado pelo escritor John Broome e o artista Carmine Infantino, Solovar – ou King Solovar – é nos comics o benevolente monarca de Gorilla City e fez a sua primeira aparição em The Flash #106 (1959). Nos comics vemo-lo muitas vezes a aliar-se a Flash para impedir os planos de Grodd de controlar o povo gorila. Será que na 2.ª parte deste arco veremos também uma aliança entre Barry e Solovar?

O clímax do episódio, como não podia deixar de ser, foi a batalha de gladiadores entre Solovar vs. Flash. De um lado temos o homem mais rápido do mundo, com acesso à Speed Force e a ajuda dos seus fiéis companheiros; do outro um gorila telepata com mais de 2 metros, uma lança e um escudo enormes e cara de poucos amigos. Façam as vossas apostas! A realização esteve fenomenal e a ação foi de acelerar o ritmo cardíaco, é uma cena para ver e rever. Só esse confronto faz o episódio valer a pena.

Finish him: Reverse Flash Punch! Poooowww!!!! A derrota de Solovar dá a Grodd a oportunidade de reinar sobre Gorilla City e com a captura de Gypsy tem agora os meios para invadir Central City da T-1. Como é que Gypsy lá foi parar? E será que irão explicar a tecnologia que os gorilas possuem para bloquear os poderes dos meta-humanos? E iremos saber mais sobre a criação de Gorilla City? Sem dúvida que se aproxima uma batalha em que toda a ajuda será necessária.

Jesse e Wally tiveram um plot tão forçado que quase se deseja que nem tivesse acontecido. A anterior paixoneta dos dois é encarada aqui como um louco amor de duas almas separadas que pertencem juntas. Não houve de todo uma construção suficiente para uma relação tão profunda e, apesar de até gostar de os ver juntos, acho que no final acabou por ser uma história apressada e mal executada. Jesse esteve todo o tempo num estado melancólico sem ter grande coisa para fazer. Aproveita-se a conversa entre os dois jovens sobre agora terem os dois poderes e se isso não interferirá com aquilo que sentiam. Fica a dúvida se após a situação com Grodd ser resolvida, Jesse sempre ficará em Central City da T-1? Gostavam de tê-la como uma adição permanente à Team Flash?

O contraste entre HR e Harrison Wells foi um realce interessante. Simpatizo muito mais com o Harrison Wells e o seu contributo para a equipa é muito mais pratico e visível, porém, como Cisco diz, HR também tem os seus dotes e ajuda a Team Flash à sua maneira.

“Attack on Central City” irá trazer-nos de volta à Terra-1, com Grodd a comandar o exército de super gorilas que têm como objetivo dominar a cidade protegida pelo speedster. Espero que a grandiosidade desse episódio seja mais sentida e nos dê uma conclusão digna de entrar para o pódio. Até lá, boas corridas!

Emanuel Candeias

Publicidade

Populares

calendário estreias posters maio 2024

mayfair witches estreia

Recomendamos