Classificação

8.5
Interpretação
9
Argumento
8.5
Realização
8.5
Banda Sonora

Depois de terem aprendido a teoria quase toda, temos estado a assistir a episódios cujo tema ensinado aos recrutas é cada vez mais prático. Esta semana, ao contrário do episódio anterior, o foco é a narrativa do passado, em que os recrutas têm que invadir uma central da NSA.

Presente:

O episódio começa no ponto em que acabou o anterior, com os reféns a tentarem fugir, sabendo que os terroristas ainda estão entre eles disfarçados. Assim, Will diz alto que é o único que sabe como encontrar os restantes membros da AIC, para se tornar um alvo a abater e conseguirem descobrir os que faltam. O grupo tenta a sua fuga por uns túneis, até começarem a desaparecer algumas pessoas, altura em que Alex começa a guiar o grupo às voltas até descobrirem quem está por detrás dos desaparecimentos. Quando começa a suspeitar que podem desconfiar dela, a mulher de Sebastian assume-se como membro da AIC e usa Harry como refém. Num confronto entre a sua moralidade e os seus sentimentos, Sebastian acaba por levar um tiro e matar a mulher, salvando Harry. Resta saber se sobreviveu ou não, mas com aquele salto temporal após esta cena, acho que ele está vivo. A última cena no presente é o encontro de Alex e Lydia, já cá fora, em que esta é obrigada a confiar em Alex para resgatar as drives que ela perdeu, sendo que Will encontra-se desaparecido e a única outra pessoa dentro do edifício é Dayana, caindo as suspeitas sobre ela.

Passado:

Alex e Owen estão a trabalhar juntos, enquanto que o fosso entre Alex e Ryan está novamente a aumentar. Owen, totalmente focado em apanhar a filha, agora que se conformou com a realidade, interceta um email onde fica bem assente a intenção de Lydia de invadir a NSA. Assim Owen dá-lhe essa oportunidade tornando essa a tarefa dos recrutas, fazendo com que esta regresse e permitindo-lhe mantê-la debaixo de olho. Alex pede ajuda a Harry para manter os agentes da AIC debaixo de olho, quando dentro do prédio. Numa operação que corre bastante bem, Alex consegue com sucesso invadir os servidores da NSA e apagar o conteúdo relacionado com os seus colegas, enquanto Ryan mete escutas a mando de Lydia. Dayana fez com que Léon fosse expulso e o seu confronto parece, pela primeira vez em algum tempo, realmente afetá-la. As revelações mais chocantes ficaram para o fim do episódio, quando Owen e Alex descobrem uma casa, que pensavam pertencer a AIC, acabando por descobrir, imediatamente antes desta explodir, que pertencia a uma terceira parte que andava a vigiá-los a todos. Ryan, num confronto com Lydia, descobre também que não existe uma AIC, os agentes recrutados por Lydia são sancionados pelo presidente e pelo governo.

Acho que foi o melhor episódio desde o regresso, que muda por completo a nossa perspetiva sobre o panorama geral. A nova dinâmica de investigação, o par Alex/Owen é muito interessante, tal como o confronto de Chen com os seus sentimentos homossexuais, que lhe causam tanto ódio por ele próprio, demonstrado na sua violência para com Harry. Ele transfere os seus sentimentos para Harry, quase como se ao bater-lhe estivesse a reprimir-se com sucesso, algo que já tínhamos visto na série Animal Kingdom, a violência para com os outros como resposta à sua homossexualidade latente. E é assim, com algumas narrativas bastante interessantes e com mistérios para desvendar, que Quantico nos deixa a aguardar pelo próximo episódio. Que acharam deste episódio? Acham que a casa descoberta pertencia à frente de Libertação dos cidadãos?

Raul Araújo