Classificação

8
Interpretação
8.5
Argumento
7.5
Realização
8
Banda Sonora

Esta semana, Quantico traz um novo tema e grandes revelações que mudam completamente a perspetiva do grupo, a que chamam AIC. O tema ensinado esta semana na Quinta é como convencer alguém a espiar ou transmitir informações contra o seu próprio país.

A Quinta:

Owen ensina que existem 5 grandes pontos para pressionar um sujeito de modo a transformarem-no num recurso. Estes são o dinheiro, os ideais dessa pessoa, coagir, apelar ao ego ou semear dúvidas E é com base nestes princípios que os recrutas, todos como uma equipa, têm de obter uma informação no consulado venezuelano onde, caso sejam apanhados, serão presos. Assim Ryan e Sebastian tentam a abordagem do dinheiro, que falha; enquanto que Dayana e Léon “raptam” a filha do casal; e Harry, juntamente com Alex, aborda o marido, que lhes dá a informação necessária. O único dos pontos anteriores que não tentam usar neste episódio é um apelo claro ao ego. Quando a missão está prestes a ser concluída, Ryan manda uma guarda atrás de Alex, que responde à emboscada planeando a sua própria. Estes estavam a virar-se um contra o outro devido à influência do FBI de um lado e de Harry do outro. No meio da sua luta apercebem-se disso e decidem deixar Harry de fora e formar novamente uma equipa.

Léon descobre que Shelby trabalha para o FBI e decide por vontade própria informar o FBI do que se passar dentro da AIC, desde que não tenha de falar diretamente com Shelby. Owen descobre sobre o grupo secreto e revela a Alex que não era ele que o geria, que seria incapaz de fazer tal coisa. Ao mesmo tempo descobrimos na reunião do grupo que a verdadeira organizadora era Lidia, a sua filha, o que pode explicar como é que todos estavam convencidos que seria Owen.

Presente:

A conversa entre Miranda e Alex desilude um pouco, afinal de contas os terroristas queriam parar a AIC, sendo portanto mais um grupo secreto dentro de uma organização, mas não se trata de nenhum argumento que convença a mudar de lado. Entretanto descobrimos também que a atual presidente Haas esteve na base da criação da AIC, mesmo que sem estar totalmente consciente de que o estava a fazer até ser tarde de mais. Quando o descobriu não fez nada, mas Shelby convence-a a parar o ataque iminente para pagar pelos seus pecados. Raina confronta – em conjunto com Alex – Miranda, que a enganou quando a mandou infiltrar-se.

Foi um episódio relativamente bom, com bons avanços no argumento, especialmente no que diz respeito aos acontecimentos na Quinta. Quanto ao presente, desiludiu um pouco. Ainda existe muita coisa em aberto que será de esperar que comecem a atar as pontas soltas nos próximos episódios. Afinal de contas, não hão de faltar muitos episódios para o passado e o presente se encontrarem, caso sigam o mesmo esquema que na temporada passada.

Raul Araújo