Legends of Tomorrow – 02×09 – Raiders of the Lost Art
| 27 Jan, 2017

Publicidade

Após a pausa, Legends of Tomorrow regressa em grande, com um episódio bastante bom, acima do nível habitual, e engraçado. Esta semana a equipa das lendas encontra Rip Hunter novamente, mas com um pequeno senão: Rip tem uma nova personalidade.

Finalmente descobrimos o que aconteceu a Rip. Já anteriormente tínhamos visto que este agora estava a realizar filmes sobre ele próprio, mas não sabíamos que tinha mudado de personalidade ao fugir do Waverider. Quando fugiu trouxe com ele uma parte da lança do destino e fez uma viagem temporal extremamente perigosa que lhe custou a memória, ou pelo menos parte dela, uma vez que ainda se lembrava da equipa o suficiente para fazer um guião de uma história com todos eles.

Damien e Merlin regressam a 1967 com o intuito de obterem a peça da lança, o problema é que a sua intervenção faria com que o ajudante de Rip desistisse da escola de cinema e esse ajudante era George Lucas, famoso por realizar Indiana Jones e Star Wars. Respetivamente com a perda destes filmes, Nate não se tinha inspirado para ser um arqueólogo e Ray um inventor, perdendo assim o seu fato e os seus poderes.

A equipa viaja para impedir isto só que são surpreendidos por um Rip alterado, convencido que estava a alucinar. Com a ajuda de Martin, conseguem tirá-lo da prisão para o Waverider a salvo, convencendo-o que estão a dizer a verdade. Num momento verdadeiramente bonito para os fãs de George Lucas, conseguem convencê-lo a regressar à escola de cinema, mostrando que os seus filmes iriam inspirar milhares de pessoas. O único problema é que Damien e Merlin estão lá à sua espera, uma vez que a lança do destino, como adereço do filme, estava em sua posse até este a ter deitado fora. Quando estão quase a morrer depois de a encontrarem, George admite a sua paixão pela realização, o que devolve os poderes e o fato a Nate e Ray, levando a um confronto final, já com a presença de Eobard. Rip Hunter faz uma aparição, vestido como ele e com a sua arma e coragem, até que esta falha, num momento algo cómico que leva à sua captura.

Uma história paralela que se passou no episódio foi Martin a ajudar Rory a deixar de ver Snart. Depois de uma operação ao cérebro para retirar um diapositivo que este tinha lá dentro, apercebem-se que as visões vinham da própria consciência de Rory, devido à dissonância cognitiva que lhe causa o facto de ele se considerar mau, mas estar a afeiçoar-se à equipa de heróis, de lendas.

Foi um episódio bastante bom, gostei deste regresso e espero que mantenham este nível. Mal posso esperar que Rip recupere a memória e personalidade, no entanto vê-lo durante aqueles 30 segundos a incarnar a personagem já foi uma boa preview. O que acharam deste episódio?

Raul Araújo

Publicidade

Populares

calendário estreias posters maio 2024

eric netflix

Recomendamos