The Flash – 03×07 – Killer Frost
| 23 Nov, 2016

Publicidade

“You’re as cold as ice/ You’re willing to sacrifice our love/ You never take advice Someday you’ll pay the price, I know”, Cold as Ice, dos Foreigner, uma ótima música para ouvir enquanto se lê esta review.

Killer Frost, uma das personagens mais entusiasmantes de The Flash está de volta num episódio em que não faltou drama. Após nos últimos dois episódios termos tido fracos vilões da semana e um debate para estabelecer Savitar e Dr. Alchemy como os grandes vilões da temporada, é com vigor que esta semana a série melhora bastante e nos prende em vários enredos. Um dos melhores episódios da temporada até agora!

Kevin Smith é o famoso geek responsável pelo papel de realizador neste episódio. Na temporada passada foi realizador do episódio “The Runaway Dinosaur”. Se estão recordados, este foi um dos episódios mais dramáticos da temporada passada e mostrou que Kevin tem jeito para a realização. Ele irá ainda assumir esse papel num episódio desta temporada de Supergirl, em “Supergirl Lives”. Relacionado com o facto de ele ser realizador, tivemos a presença do ator Greg Grunberg (Heroes) a representar um polícia de Central City, mas não esperem que o ator volte a entrar em episódios futuros! Esta aparição deveu-se apenas a Kevin e Greg serem amigos e trabalharem juntos no talk-show de comédia de Kevin Smith, Geeking Out.

Killer Frost faz lembrar outra personagem muito conhecida com poderes de gelo… De quem estou a falar? Da princesa Elsa do filme Frozen, claro. A natureza comediante de Kevin tornou irresistível de deixar uma pista dessa ligação, e se repararem no nome da companhia de comida congelada “Ledded Goh” é uma analogia à música “Let It Go”. Outro pormenor interessante prendeu-se com o facto de Kevin ser um grande fã de Star Wars e pudemos ver indícios disso na cena de Killer Frost com um dos acólitos de Alchemy em que o compositor Blake Neely deu um tom à música semelhante ao do estilo de John Williams.

Killer Frost voltou e vem logo a arrasar. Há semanas que temos observado a lenta transformação de Caitlin para o seu ego meta-humano e, finalmente, a não Mother of Dragons, mas Mother of Ice está aqui! Ainda não temos a transformação completa, longe disso, mas a personalidade da vilã já está bem patente. Danielle Panabaker consegue equilibrar bem entre a boazinha e tímida Caitlin versus a explosiva bad girl Killer Frost. Fica também estabelecido que os poderes gelados trazem os efeitos indesejáveis de também “gelar” a personalidade e os sentimentos da pessoa. Sendo movida pelo desejo de Caitlin de se ver livre destes poderes, Killer Frost invade a esquadra da polícia para interrogar um dos acólitos, rapta Julian, ameaça um dos outros acólitos e ataca tanto Cisco como Barry com ataques não fatais mas devastadores e impiedosos. Wow, uma completa volta de 180º graus da menina que queria tanto ser médica e era incapaz de fazer mal a um inseto. Os produtores deram-nos a Killer Frost que queríamos, com a imagem de marca da vilã através do “frozen kiss”, com ações impulsivas e palavras amargas, esmagando Barry com acusações e quebrando a amizade entre ele e Cisco apenas com um sussurro. Mais do que isso, deram-nos uma possibilidade de os poderes serem retirados de Caitlin por Alchemy. Sendo a verdadeira questão se realmente queremos que isso aconteça. E a redenção da vilã é-nos dada quando confrontada entre ter que matar Barry e virar verdadeiramente uma assassina (killer) ou arranjar no seu coração o calor e a compaixão para ajudar os seus amigos; Caitlin foi capaz de escolher a sua família. Será que as pulseiras inibidoras manterão Killer Frost fechada durante muito tempo? Não seria melhor tentar descobrir não uma forma de lhe retirar por completo os poderes, já que isso parece quase impossível, mas antes tentar que os poderes não lhe afetem as emoções? Que venha o cabelo branco, os lábios escuros e o fato completo de Killer Frost. Venha tudo da Frost menos o Killer, para não perdermos a Caitlin.

“Knock her out, knock her out” … kapow! Coitado do ator Tom Felton, mas realmente sabe bem vê-lo a ser esmurrado. Quem não tem na mente a imagem de Hermione a pô-lo no chão com um murro em Harry Potter? Desta vez foi Flash a tentar e o efeito foi um K.O. imediato. Eheh.

Savitar continua um enigma, mas muito foi revelado sobre a aparente seita que existe e da qual o Dr. Alchemy também faz parte. Quem são aqueles acólitos? De onde vieram? O que pretendem? Será que possuem algum poder? Alchemy afinal parece ser apenas o lacaio e não o mestre, assume o papel do género de um padre guiando os outros acólitos segundo a vontade do God of Speed, Savitar. E este “Deus”, a que se deve o seu aspeto robótico? Porque é que só Barry o consegue ver? E os seus poderes parecem de alguma forma diferentes dos de Flash, quase como se se conseguisse teletransportar e não só mover-se muito depressa. Será isto uma consequência de um conhecimento bastante avançado da Speed Force ou os seus poderes poderão ter outra origem? Foi um bom plot, mas confesso que fiquei bastante dececionado por mais uma vez o big boss ser um speedster. A não ser que estejamos a ser manipulados, teremos pela 3.ª temporada um vilão que é sempre mais rápido que Barry e cujo objetivo parece ser reunir um exército de meta-humanos que nunca conseguem derrotar o Flash. O grande twist no final, depois do ódio gerado por Julian chantagear Barry a despedir-se de ser CSI, a revelação de ele ser o Dr. Alchemy vem pô-lo no topo da personagem mais odiada desta temporada. O que acham desta revelação? Estavam à espera? Eu admito que pensava que Julian seria Savitar e que Alchemy é que estaria no comando, mas sendo ao contrário tem lógica ser Julian o Alchemy. Reparam no pormenor de que quando Barry está a sair do seu laboratório se vê um raio na janela?

“O verdadeiro poder de Barry não é a super-velocidade. É a esperança.” Uma excelente descrição do Flash. HR e Iris assumiram o papel neste episódio do apoio, com a cabeça mais fria e capazes de tomarem melhor as decisões ou ajudarem os outros a tomá-las. Já antes isso foi falado, mas Iris continua a cimentar o seu papel de âncora do Flash, papel esse que nos comics é extremamente importante sempre que o Flash se perde na Speed Force. Por outro lado, Joe e Cisco são demonstrações do que o medo e a raiva provocam nas pessoas. A fuga e o perigo de vida de Wally podiam ter sido evitados se Joe tivesse confiado no que lhe disseram ao início e tivesse esperado que a transformação acabasse. E Cisco culpa Barry por algo de que ele realmente não tem culpa, como Iris lembra. Apesar do Flashpoint, o mais certo seria Caitlin desenvolver os seus poderes mais cedo ou mais tarde e Dante poderia ser atropelado no futuro. HR é uma personagem cada vez mais esguia que, sem os outros se aperceberem, vai ganhando um papel de mentor como os antigos Wells. Porquê a fachada de que não é um génio? Realmente muito intrigante, mas é exatamente isso que queremos para nos entreter.

Apesar dos holofotes terem sido roubados por Killer Frost e Savitar/Alchemy, Wally também teve um papel relevante ao finalmente recuperar os seus poderes. Aliás, não só os recuperou como é mais rápido do que Barry era no início. Nos comics, Wally West chega a uma dada altura a ser mesmo mais rápido que Flash! A camisola dos S.T.A.R. Labs que Wally usa durante o treino é igual à que Barry usou quando também ele começou, na season 1, a testar tudo aquilo que significava ser um speedster. Fica a questão de qual será o papel de Kid Flash na equipa? Com Cisco a ter mais um papel semelhante a Overwatch de Arrow talvez Kid Flash possa ser o braço direito de Barry, tal como Spartan o é do Green Arrow. E já agora quem acham que será mais rápido: Kid Flash ou Jesse Quick?

Uma dúvida geral, da qual me lembrei quando HR na semana passada referiu a ideia do museu, mas que me esqueci de aqui referir… Quem é que anda a pagar a Cisco e a Caitlin e a manter S.T.A.R. Labs a funcionar? Quem paga as contas, o Batman? É que neste Arrowverse nem sequer Oliver Queen é ainda um bilionário…

E o que vai acontecer a seguir, perguntam vocês? Bem, o mundo vai sair invadido por aliens e a única forma de sobreviver será se todos os nossos heróis juntarem forças. Flash, Green Arrow, a equipa das Legends e a rapariga de aço, Supergirl, irão unir esforços no grande crossover que começa já na semana que vem no 8.º episódio de Supergirl. Não percam! O enredo normal de The Flash voltará a 6 de dezembro no episódio “Present”. Até lá, boas corridas!

Emanuel Candeias

Publicidade

Populares

calendário estreias posters maio 2024

the big cigar

Recomendamos