Once Upon a Time – 06×04 – Strange Case
| 20 Out, 2016

Publicidade

O Estranho Caso de Dr. Jekyll e Mr. Hyde é um clássico da literatura britânica e dos meus livros favoritos. Pelo nome, o episódio só podia ser dedicado a eles, só não esperava que a aventura deles acabasse tão cedo na série. Claro que depois me lembrei que Once Upon a Time volta sempre às suas origens. Neste caso, os amados clássicos da Disney. Esta temporada não era sobre o médico e o seu alter-ego. Eles só serviram para percebermos melhor a situação de Regina e da Rainha Má. O foco principal será Jasmine e Aladdin, que ficará amigo de Emma e os dois lamuriar-se-ão sobre a grande porcaria que é ser-se o/a Salvador/a.

No entanto, estas duas personagens despedem-se da nossa série em grande estilo. Ainda não sabíamos da história deles nem em como se relacionava com a de Rumplestiltskin, o eterno causador de problemas de toda a gente. A razão? Uma mulher. Em ambos os casos.

Confesso que fiquei meio confusa em relação à história de Mary. A obra de Robert Louis Stevenson em nada se assemelhava a esta. Depois fui pesquisar e descobri que se basearam numa obra da americana Valerie Martin, publicada no início dos anos 90, Mary Reilly. Romantizaram a coisa, pois claro. Eu cá acho que deviam ter usado o material original, mas pronto, picuinhices minhas. O livro original é demasiado macabro, acho eu.

Portanto, o vilão desta história toda acaba por ser Dr. Jekyll, que amava uma mulher que acabou por se apaixonar pela parte de si de que ele se envergonhava. Irónico, não? As partes que o médico mais odiava em si eram as que Mary mais apreciava.

Tornar Jekyll num vilão foi um plot twist muito à Once Upon a Time. Eles andavam meio discretos e não tinham tido assim um papel muito importante depois da season finale do ano passado, mas era uma questão de tempo. O alvo para se vingarem de Rumple acaba por ser sempre o mesmo. Belle deve estar mesmo cansada de ser o saco de pancada constantemente. Ainda por cima agora que não é só dela que tem de cuidar. Fiquei mesmo chateada quando Rumple a trancou no Jolly Roger. Ele tem razão quando diz que a mulher precisará dele no futuro, mas espero que não seja imediato. Eles ainda não estão preparados para se reconciliarem. Se é que alguma vez estarão. Rumple tem demasiados esqueletos no armário.

Agora Regina tem um grande dilema nas mãos. Com a poção destruída, nada pode acabar com a Rainha Má sem ela morrer também. Parece-me que a Presidente da Câmara terá de aceitar por fim que o mal nela faz parte daquilo que ela é. Porém, esta viagem de auto-descoberta ainda vai demorar. Além disso, eu mal percebo como é que isto funciona. Regina está igual, certo? A saída da Rainha Má não mudou em nada, pelo menos à primeira vista.

Dois episódios seguidos sem Emma como estrela principal? Estou chocada. Contudo, aquela interação com o papá foi tão fofinha! Emma e David têm das melhores relações desta série e vê-lo em baixo com a mudança de Hook para casa dela só nos fez fazer “Aaaawww”. Já sabemos que a dupla David e Emma resulta, porque não temos mais doses deles?

Snow voltou a ser professora. Nunca pensei que voltassem a pegar nesta história, mas faz sentido, visto Storybrooke ter recebido tanta gente nova, incluindo crianças. Gostei da maneira como ela regressou e a maneira como “Shirin” a fez mudar de método de ensino, mais parecido com Snow White e menos com Mary Margaret. Espero que explorem mais a amizade delas.

A outra surpresa do episódio ficou reservada para o final, quando descobrimos que Shirin é, na verdade, a princesa Jasmine e ela está em Storybrooke à procura de Aladdin. Será que o “diamante em bruto” está mesmo na cidade? O que lhe terá acontecido depois do confronto com Jafar? E de que maneira o caminho dele se cruzará com o de Emma? E visto que o Oráculo voltou, será que ela vai ter um papel importante esta temporada? Porque é que ela está envolvida na procura de Aladdin?

Apesar do rumo inesperado que deram ao Dr. Jekyll e Mr. Hyde (a introdução de uma mulher na história, não o facto de Jekyll ser o vilão), foi um episódio bastante bem conseguido. A história realmente andou. Se era para Jekyll e Hyde se tornarem peso morto na série, mais valeu tê-los despachado logo ao início. Só gostava de ter visto mais interação entre os dois. Pode ser que ainda se vejam em flashbacks!

Maria Sofia Santos

Publicidade

Populares

calendário estreias posters junho 2024

Clãs da Galiza Clanes Netflix

Recomendamos