Once Upon a Time – 06×03 – The Other Shoe
| 13 Out, 2016

Publicidade

Ora aqui está uma pequena pérola e logo no terceiro episódio. Cinderella era já uma memória distante em Once Upon a Time. Ela apareceu logo no início da série e pouco ouvimos sobre a sua pessoa desde essa altura. Eu sei que a série se orgulha de fugir ao estereótipo e de dar um twist às histórias de encantar, mas sempre tive pena de as princesas terem tão pouco destaque e ter sido apenas Snow a sofrer uma transformação gigante em relação ao filme da Disney.

Apesar de ter aparecido do nada, Ashley foi muito bem vinda. Ela ainda existe, ainda vive em Storybrooke e continua feliz e contente com o seu Príncipe Encantado. A pedra no seu sapato veio da Terra das Histórias Por Contar e foi buscar inspiração à sequela de 2001 do clássico da Disney lançado cinquenta anos antes. Aquele em que uma das irmãs más se apaixona por um homem pobre e Cinderella ajuda-a a encontrar a felicidade. Nesta versão, porém, a coisa demorou mais um bocadinho.

Cinderella está longe de ser tanto a minha princesa como o meu filme Disney favorito, mas tenho de admitir que há uma certa magia nesta história e Once Upon a Time conseguiu novamente transferi-la para o pequeno ecrã e parece que nunca nos tínhamos despedido de Ashley por quase cinco temporadas.

Acho que este episódio foi importante para mostrar que até a suposta princesa perfeita e inocente não o era assim tanto. Snow White tem o seu quê de defeitos e erros do passado. Once Upon a Time tornou-a humana e o público agradeceu. Neste episódio aconteceu o mesmo com Ashley. Vimo-la sacrificar a felicidade da meia-irmã pela sua. Apesar de ninguém poder exatamente culpá-la, visto Clorinda ter feito a vida de Ella num inferno, a menina altruísta e bondosa que sempre foi vendida deixou cair a máscara. Porque não? Se tanto podemos culpar Ella por ter sido ingénua e ter acreditado na Lady Tremaine.

Por acaso não tenho mesmo nada de especial a apontar de negativo à história da Cinderella. Mostra-nos que Horowitz e Kitsis não se esqueceram totalmente das antigas personagens (continuo à espera da conclusão da história de Mulan e de saber se ela estava apaixonada por Aurora ou por Philip) e que esta temporada e esta nova terra podem ser a nova Floresta Encantada da primeira temporada. A diferença é que aqui as personagens colocaram em pausa as suas histórias e não as esqueceram.

Não foi dado muito destaque ao pequeno dilema de Emma sobre Hook, mas era mesmo necessário incluí-lo? Eu até pensava que os dois viviam juntos. Mais, será que alguém ainda quer saber deste casalinho que não tem mais nada a oferecer, por muita química que tenha? Aliás, até Rumple e Belle me aborrecem novamente.

Agora a história de David é que promete ser interessante. Ele e Snow são uma equipa bem oleada e que funciona às mil maravilhas e não é normal que não dêem ouvidos um ao outro. O assassinato do pai é um osso que David não é capaz de largar e estou curiosa para saber como vai desenvolver esta missão, ainda por cima sozinho.

Dr. Jekyll e Dr. Frankenstein juntos. Uma parelha de doidos, mas que parece interessante em teoria para derrotar a Rainha Má que, por seu lado, se aliou a Mr. Hyde. Eu acho isto muito boa ideia e tal, mas eu já sei que vão dar mais destaque a Emma e ao seu drama sem fim e mal vamos ver os outros em ação.

Onde anda Aladdin? Ando desertinha que ele apareça e para saber qual o seu papel aqui. Deram-lhe logo a primeira cena da temporada e não me cheira que apareça apenas num episódio. Aliás, tenho quase a certeza de que o seu caminho se vai cruzar com o de Emma e a história de os Salvadores serem uns infelizes e blá blá blá.

Maria Sofia Santos

Publicidade

Populares

calendário estreias posters junho 2024

Clãs da Galiza Clanes Netflix

Recomendamos