Game of Thrones – 06×08 – No One
| 14 Jun, 2016

Publicidade

Olha aqui está um bom episódio para acabar com teorias. Clegabowl? Não vai acontecer. Lady Stoneheart? Acho que está mesmo na altura de perdermos a esperança de vez. Um mega twist na história da Arya? Por água abaixo. Ao menos este último ainda é o menos doloroso.

No One lidou e terminou histórias como o cerco a Correrrio ou o de Arya com os Homens sem Rosto e vimos mesmo Daenerys a regressar a Meereen. Contudo, focámo-nos tanto no norte e no que está para acontecer (a grande batalha entre os Starks e os Boltons, a Torre da Alegria e se a Muralha vai ou não cair no final da temporada) que, este tipo de episódios, mesmo que não sejam para encher chouriços, não nos parecem tão importantes quando tudo o que é importante está lá para cima.

Porto Real

O julgamento da Fé tem sido a menor das preocupações de Cersei nesta temporada. Com um monstro zombie que segue todos os seus passos, Cersei há muito que decidira escolher um Julgamento por Combate como o seu Tyrion fez por duas vezes ao longo da série. O maior inimigo de Cersei foi a solidão e o afastamento de Tommen.

Tommen, Tommen, Tommen. E eu que cheguei a pensar que ele ia ser o fantoche da mãe a temporada inteira. Como estava errada. O rei é o brinquedo preferido do Alto Pardal que conseguiu acabar com quaisquer esperanças da parte de Cersei de se livrar do julgamento – literalmente – à pancada. O Julgamento por Combate foi banido dos Sete Reinos. Isso arruinou as esperanças de ver os irmãos Clegane um contra o outro. Por agora, claro. Apesar de tudo, creio que foi uma decisão não assim tão estapafúrdia. Este tipo de julgamento não se baseia na verdade dos factos, mas em quem arranja o oponente mais forte e inteligente. Ou quem tem sorte. Ou quem tem o duelo na mão e cai na mesma, no caso de Oberyn Martell.

A cara de Cersei ao ouvir o decreto do rei… e antes, quando Kevan a impediu de ir para junto do filho. A sério, Cersei é uma bomba-relógio. Parece completamente controlada, mas vai ser sol de pouca dura. Cersei é uma mulher derrotada. Sem poder, sem o filho, sem o amante. Acho que ela aguentaria tudo, menos perder o filho. E agora viu que Tommen arruinou as hipóteses de escapar ao que quer que venha aí. Ser traída pela única pessoa que se ama no mundo… Nem imagino a dor que ela não há-de sentir.

Contudo, Cersei é uma mulher impaciente. Sem a carta na manga, terá de arranjar outra. E é óbvio que ela já andava a tratar de um plano B com Qyburn e os seus “passarinhos”. Sobre um rumor. Rumor esse que afinal é muito, muito mais do que isso. Só vejo duas hipóteses para esta misteriosa conversa. Ou realmente Loras se “chibou” sobre o assassinato de Joffrey ou, e esta é mais plausível, se confirma que há fogovivo espalhado por toda a capital. Jaime não deve ter mesmo revelado à irmã o plano do Rei Louco. Pode amá-la, mas não é tolo o suficiente para dar informação a Cersei que sabia que ela acabaria por usar. A Fé Militante é a prova de que, apesar de a Cersei da série ser mais inteligente do que a dos livros, continua a ser impulsiva e não a pensar nas coisas a longo prazo. Esta brincadeira com o fogovivo não vai correr bem. Assim se explicaria então a visão de Bran e todas as vezes que Cersei disse ao longo da série que “reduziria cidades em cinzas” pelos filhos.

Terras Fluviais

Com a Cleganebowl cancelada (pelo menos no Julgamento por Combate! Aposto que os dois irmãos ainda se voltarão a ver. Alguém tem de pôr fim àquela coisa que um dia foi o Montanha), vimos Sandor voltar às origens e a fazer um banho de aengue. Na Irmandade Sem Estandartes não havia uma certa Stark falecida, mas reencontrámos Beric Dondarrion e Thoros of Myr e descobrimos que eles são dos poucos para além dos nortenhos que sabem o que vem aí e que estão dispostos a lutar. Considerando todos os problemas que o Cão de Caça já teve (quando matou o Beric e tal), será que ele vai juntar-se e encontrar outro propósito na vida ou irá marchar ainda mais para sul?

No meio de todo este terreno novo da nova temporada, foi um certo conforto a história de Jaime no cerco a Correrrio. Ele andava tão desviado dos livros que até receei que não houvesse volta a dar. Mas ali está, prontinho para se reencontrar com Brienne.

Apesar de ser igual ao livro, a conclusão do cerco soube a pouco e acabou de forma demasiado pacífica para o espetáculo que se avizinhava. Contudo, ver Jaime e Brienne novamente na mesma sala e o os velhos parceiros Bronn e Podrick juntos.

Duas temporadas separados é realmente muito tempo para os companheiros de viagem. A maneira como eles falaram, de terem de colocar o dever por cima do que sentiam um pelo outro, a despedida deles! Jaime e Brienne sentem algo um pelo outro que vai para lá do respeito e da amizade. Se não fosse a obsessão dele por Cersei, acho que haveria ali alguma hipótese, mas pronto. Jaime portou-se como o homem que se tornou enquanto viajava com Brienne (e que se esquece quando está em Porto Real) e a autorizou a entrar na casa ancestral dos Tully. Quanto a Bronn e Podrick? Nostalgia e saudade. Lembram-se quando Podrick lhes contou que foi a um bordel e as prostitutas não aceitaram o dinheiro? Pois, bons tempos esses.

Sim, foram mesmo as trocas de palavra que marcaram o tempo em Correrrio. Edmure (também conhecido por Black Jack ou Frank Randall) deu uma sova verbal a Jaime. Claro que isso não impediu que o irmão mais novo de Cat entrasse na casa onde cresceu e ordenasse aos seus homens que baixassem o cerco e entregassem Correrrio aos Lannisters e aos Freys. Tudo para proteger o filho. A única calamidade que houve foi a do Peixe Negro (que como não foi mostrada, não acredito que tenha acontecido), depois de dizer a Brienne que não tinha meios para ajudar Sansa.

Meereen

Quando vi tudo tão calmo e a correr bem para os lados de Tyrion vi logo que era sol de pouca dura. O aviso de Barys deixou-me alerta, depois as palavras de Verme Cinzento e de Missandei aquando dos acordos no início da temporada… Tudo se encaminhava para um desastre. E ele chegou. Os mestres chegaram a reclamar a sua propriedade e parecem bem apetrechados.

Claro que, enquanto isto acontecia, Daenerys Targaryen entrou de rompante na pirâmide com cara de tudo menos de quem está louca de felicidade por voltar a casa. E não é para menos. Meereen estava um caos quando ela se foi embora e agora está um caos totalmente diferente do da arena. Será que vão rolar cabeças?

Eu sei que aqueles navios estavam a atacar a pirâmide, mas tudo o que eu vi foi uma frota prontinha para levar Daenerys e o seu exército imenso para Westeros. Desta vez os dragões não se podem meter, mas talvez a misteriosa missão de Varys possa trazer alguma esperança? Era a gozar um bocado com a nossa cara que Euron tenha conseguido construir mil navios neste curto espaço de tempo. Daenerys não apareceu no último episódio e Daario disse-lhe que iam demorar uma semana a chegar à Cidade Livre. Não sei a que ritmo anda a história, mas nem de perto me parece o suficiente para tal tarefa. A não ser que Varys e Tyrion estivessem a falar de outros Greyjoy… mas mesmo eles não têm meios suficientes para toda a gente.

A conversa de Tyrion, Missandei e Verme Cinzento foi bem desnecessária, mas ficou-me a parte em que Tyrion falou do futuro. Que quando Dany tivesse conquistado os Sete Reinos iria plantar uma vinha. Acho que é a primeira vez que oiço alguém a falar de um futuro não imediato. Arya fez o mesmo, se bem repararam.

Que acham que vai acontecer em Meereen? As culpas vão claramente para Tyrion… A morte do anão parece-me improvável. Se Tyrion perecer nas mãos da Mãe dos Dragões, os fãs (eu incluída) nunca perdoarão nem a personagem nem D&D. O cenário não me parece muito verosímil, mas estamos em Game of Thrones. E só deveremos saber o desfecho disto na season finale. Tudo indica que o nono episódio, Battle of the Bastards, se centre apenas em Winterfell e na grande batalha.

Braavos

Portanto a ideia que tinha de Arya ter planeado o ataque ao andar livremente pelas ruas de Braavos foi arrasada aqui. Arya foi ingénua ao ponto de se sentir segura e pisgar-se para Westeros sem ter pelo menos uma visitinha dos Homens Sem Face. O QUÊ? Arya passou lá tanto tempo. Sabe bem como eles agem. Jaqen disse-lhe que uma face iria para a parede e que não teria uma terceira oportunidade.

Fiquei com imensa pena da morte da Lady Crane, mas estava-se mesmo a ver que era isso que ia acontecer depois de ter abrigado Arya. Acho incrível que tenha sobrevivo a tantas facadas, mas folguei por saber que estava viva e devidamente cosida.

O confronto com Waif era o momento mais aguardado do episódio e, no estado em que Arya estava, tinha mesmo de ser uma caça ao rato. Arya não era capaz de a confrontar sem a Agulha, não naquele estado. Acho que Arya só conseguiu escapar por já ter levado tanta porrada dela ao longo da temporada. Já conhece os seus truques e desta vez foi uma luta de igual para igual. Só tenho pena de não ter assistido.

Jaqen: Finalmente uma rapariga não é Ninguém.
Arya: Uma rapariga é Arya Stark de Winterfell e eu vou para casa. 

Casa… Winterfell? Será mesmo possível que Arya esteja disposta a voltar para o Norte? Será que ouviu rumores do que os irmãos andavam a fazer ou…? Não sei. Se ela dissesse só que ia para casa diria que estava a falar de Westeros em geral. Mas ela disse especificamente Winterfell. Resta-nos esperar para ver!

Maria Sofia Santos

Publicidade

Populares

calendário estreias posters maio 2024

trying 4 apple tv+

Recomendamos