Empire – 01×13 – The Tameness of a Wolf
| 16 Abr, 2016

Publicidade

O episódio abre com o funeral de Camilla e um discurso de Hakeem. Ainda tive as minhas dúvidas acerca do destino da estilista, mas parece que Naomi Campbell deu mesmo o último ar de sua graça a semana passada. Não posso dizer que terei saudades. Au revoir, Camilla.

Esta semana os dramas na empresa foram colocados de lado e tivemos um episódio recheadinho de drama familiar, devido ao primeiro aniversário de Cookie fora da prisão e ao passado de Lucious. Como é possível ainda não ter passado um ano desde o início da série?! Querem dizer-me que toda a montanha russa de acontecimentos nestes vinte e cinco episódios passaram-se em tão curto espaço de tempo, mal dando espaço para as personagens recuperarem dos diversos traumas? Aplaudo os Lyons por ainda não se terem internado num hospício ou por nenhum visitar um psiquiatra com regularidade. Mas deviam!

Os fashbacks da infância de Lucious foram poderosos e mostram cada vez mais porque é que o milionário é como é. Acho meio inadmissível Cookie nunca ter sabido de nada disto. Sim, todos temos os nossos segredos. mas num casal como eles é tão estranho Lucious só confidenciar à mulher agora que viu a mãe matar-se à sua frente! O lado bom é que tivemos mais uma cena Lucious/Cookie em que foi evidente a química entre eles em todo o seu esplendor. Estes dois são para sempre. Jamal disse que a mãe se estava a apaixonar outra vez pelo pai? Cá para mim ela nunca deixou de estar.

As cenas do vídeoclipe foram poderosas e o melhor do episódio. Lucious viu o passado exposto àquela gente toda e Cookie tornou aquilo tão verdadeiro… A sério, se não fosse ela, Lucious nunca teria conseguido fazer aquele vídeo. Belos momentos de Terrence Howard.

Lucious: “Aparentemente, eles amam-te mais a ti do que me odeiam a mim”.

Não seria Empire se a festa de anos de Cookie não virasse outra vez uma enorme discussão familiar. Será que os Lyons não podem juntar-se em paz e sossego e haver pelo menos um serão em harmonia? Claro que não. Todavia, foi escusado. Podiam ter guardado a visualização do vídeo para outra altura e dar aquele miminho a Cookie, a única pessoa que ainda parece lutar pela família. A cena em que os filhos lhe cantaram os parabéns foi tão enternecedora.

Lucious é um homem que pensa que quem é diferente é fraco. Jamal é gay, Andre é bipolar. Daí o seu favorito ter sido Hakeem. Sempre pensei que Lucious odiasse mais Jamal pela sua orientação sexual, mas cada vez mais me apercebo que é Andre que está realmente em baixo, apesar de não ser tão visível. Para além de ter seguido os negócios em vez da música e de ter casado com uma mulher caucasiana, ele vê no primogénito a mãe que o abandonou.

Eu gosto bastante de ver o Hakeem com Laura. Vê-se que a rapariga o torna melhor. O problema é que Hakeem foi lixado vezes e vezes sem conta pela família. Competições com o irmão, a relação com o pai, a ausência de quase duas décadas da mãe. Ninguém o pode condenar por querer viver uma vida minimamente normal. Portanto, numa jogada muito à Hakeem, lá faz ele a perguntinha mágica a Laura. Hakeem é uma personagem que sempre me deixou muito cética, por ter sempre mostrado que é o menos complexo dos três irmãos. Esta jogada pode ter sido questionável, mas percebe-se a razão. Quer ter uma família normal. Contudo, eu acho que Hakeem não sabe o que é ter uma relação saudável ou se sabe sequer amar alguém. Não será tudo isto apenas uma maneira de fugir aos Lyons? A mim parece-me que Hakeem está mais apaixonado pela família de Laura do que por ela.

Ainda não entendi bem o que é que a série pretende com as personagens não-Lyon  É óbvio que as estrelas são os cinco (até reparei no pormenor de Cookie em pedir a Porsha um bolo suficiente para cinco. Nem sequer contou com Rhonda, a esposa do filho) e o resto é secundário. A família está tão envolvida nos seus amores e ódios internos que ignora quem os rodeia. Tiana anda desentendida com Laura e o protagonismo que tanto aspira e o amor que ainda sente por Hakeem mas é só nem no campo do caçula dos Lyon parece ter muita sorte. O mesmo posso dizer de Rhonda e Anika. Agora que se uniram numas férias dos Lyon, o que acontecerá a estas personagens? Será que Empire está pronta para as despachar?

Para finalizar, Jamal. Lá volta ele a cantar sobre os seus graves problemas com o pai. Ninguém o pode culpar por odiar Lucious (aliás, até o acharia tolinho se não o odiasse), mas trazer-nos mais do mesmo? Agora ter o apoio e a voz de Freda, que também foi despachada em três tempos (e não digo isto como se tivesse sido uma boa ideia) pelo “mentor”. Contudo, a revelação a Cookie sobre quem é o pai dela tornou tudo mais interessante. Estou curiosa para saber como serão as consequências do assassinato de Frank Gathers. Não estava à espera que voltassem a colocar essas cartas no baralho.

A cinco episódios do fim, a segunda temporada de Empire continua com o seu caminho um tanto irregular, especialmente nos últimos episódios. Sinto que a série não está a mostrar todo o seu potencial e tem tudo para brilhar, com vozes fenomenais e atores do outro mundo. Receio que Empire se tenha transformado numa espécie de Lucious, demasiado arrogante devido ao seu sucesso. Espero estar errada.

Maria Sofia Santos

Publicidade

Populares

calendário estreias posters junho 2024

la brea 3 poster

Recomendamos