Classificação

5
Interpretação
3
Argumento
4.5
Realização
4
Banda Sonora

Contém SPOILERS!

Criada por Casey Johnson e David Windsor, produtores previamente envolvidos em séries como Galavant, Trophy WifeDon’t Trust the B—- in Apartment 23The Real O’Neals dá-nos a conhecer o quotidiano da familia O’Neal, a sua devoção à religião católica e tudo o que se passa por trás das aparências. A série é (mais uma) comédia de 30 minutos, lançada no dia 2 de março e com 13 episódios programados para 2016.

Passando às apresentações da família, esta é composta por Eileen, a matriarca; Pat, o seu marido; Jimmy, o filho mais velho que aparenta ser o desportista sem cérebro da família; Kenny, o filho do meio que narra o episódio; e Shannon, a filha mais nova e aparentemente inocente.

O episódio começa então com a família num restaurante, acabadinhos de sair da igreja, onde ficamos a perceber que é Eileen quem toma as decisões por todos. Ficamos ainda a saber que os O’Neals estão a organizar uma recolha de fundos para ajudar a Igreja e que o item mais valioso não foi conseguido.

Começa aqui o episódio a correr mal, o que deveria fazer o espectador rir, mas há pouco por onde pegar. O que interessa no fundo é que, na verdade, os O’Neals são como muitas outras famílias que vivem apenas das aparências: Jimmy sofre de anorexia, Kenny é gay e os pais estão a frequentar terapia de casais já há um ano e decidiram que se vão divorciar.

Existem pequenos momentos cómicos na série, como quando Kenny está a tentar desentupir a sanita e pede ajuda à estátua da Virgem Maria, ou quando está a falar com o espelho, onde está a imaginar um modelo a quem está a dar a entender que é gay. Mas parece-me que a série não se irá desenvolver muito mais – aliás, teria provavelmente sido uma melhor escolha torná-la num filme de 1h30, em que tudo ficava bem no fim, do que numa série episódica onde já sabemos que todos os clichés típicos de uma família que vive das aparências vão aparecer.

Daniela B.