Classificação

8.7
Interpretação
8.1
Argumento
8.7
Realização
8.9
Banda Sonora

Vodka, neve e mais vodka!

Esta semana o team-up de Brian com Piper foi um sucesso, e embora isso bastasse para um bom episódio, tivemos ainda Rebecca e Sands com descobertas surpreendentes.

A versão de Brian do que aconteceu no episódio passado… melhor resumo de sempre. Eh eh eh. Depois do cliffhanger do último episódio, Brian decide ir à procura de Piper para saber se ela já conseguiu replicar a enzima e, desta forma, ter uma maneira de escapar das garras de Sands/Morra.

Os episódios com Piper, até ver, têm-se revelado pontos altos da série, principalmente porque, por um lado temos Brian com a sua moral, e do outro temos Piper, que é um intermédio entre Brian e Eddie. Ou seja, Piper funciona como uma excelente ponte entre o filme e a série.

A mudança de cenário para a Rússia foi refrescante e a abordagem de Brian foi divertida. No meio de todos aqueles russos mal-encarados ele continuou na sua vibe e pôs-se a beber shots de vodka e a revelar tudo sobre o FBI, NZT e por aí fora. Oh Brian, só mesmo tu. Quando descobre que Piper está presa (ao menos não estava morta nem era uma escrava sexual), o plano dele para a libertar foi do mais original e engraçado que podia haver. Telefonar a George R. R. Martin para revelar o final de Game of Thrones ao Procurador-Geral foi magnífico (será que deu umas boas dicas a Martin para acabar a saga de A Song of Ice and Fire mais depressa? Naquele universo têm mais sorte que nós, que teremos que esperar bastante até ver esse final chegar).

O romance entre Piper e Brian foi descontraído e não vi problemas nisso, já que foi algo casual. Como Piper disse, foram eles a viver uma vida que já não é a deles. O meu problema é Brian ter que ter romances com todas as personagens femininas que aparecem na série, chega a ser pior que o James Bond. Um ponto muito muito interessante foram as diferenças de opiniões sobre o NZT entre os dois. “A verdadeira eu precisa do teu verdadeiro eu”. Será que com o tempo Brian também começará a pensar assim? Terá o NZT algum efeito secundário de tornar as pessoas em vilões?

A missão final na mansão de Zukov foi muito ao estilo das missões de espiões, mantendo o género de Limitless, com Brian a tocar o kakalin com a balalaika para distração, e com Piper a encarnar o espírito de Alias, em cenas de ação bastante aceitáveis. E no final conseguiram mais um ingrediente para a enzima de imunidade ao NZT, que vem bem a calhar, pois presumo que Piper não tenha muito mais tempo, e tenho a impressão que até ao fim da temporada Brian também precisará de uma ajudinha.

Noutra parte do mundo, Rebecca, após ter uma acalorada discussão com o pai de Brian, Dennis, tem a surpresa de Rachel lhe revelar que o agente secreto que foi a casa de Brian era Sands. Sinceramente, a família de Brian continua na lama, quanto mais tentam ajudar pior fazem.

Por seu lado, Sands também teve umas descobertas interessantes, nomeadamente que Piper está viva e em contacto com Brian.

Brian terá muito que explicar no próximo episódio e nós ficamos ansiosamente à espera disso. Embora não perceba o que ele pretende ao voltar para Nova Iorque, já que nada mudou e os problemas lá só aumentaram. Esperemos que ele tenha realmente um bom plano. Até lá, abram as vossas mentes.

Emanuel Candeias